Ações da Rússia saltam em retomada das negociações após suspensão de um mês

O governo disse que vai canalizar até 1 trilhão de rublos (US$ 10,5 bilhões) para comprar ações russas.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Maxim Shemetov/Reuters
Maxim Shemetov/Reuters

Bolsa de Moscou

Acessibilidade


As ações da Rússia saltavam hoje (24), primeiro dia de negociações em quase um mês depois de suas tropas terem invadido a Ucrânia, com ganhos em papéis de commodities compensando a queda nos setores bancário e aéreo.

O governo disse em 1 de março que vai canalizar até 1 trilhão de rublos (US$ 10,5 bilhões) de seu Fundo de Riqueza Nacional para comprar ações russas afetadas pela forte liquidação do mês passado.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Ainda não está claro se esse dinheiro já está sendo usado, no entanto, e o Ministério das Finanças não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Os mercados estão gradualmente reabrindo depois de o presidente Vladimir Putin ter enviado suas forças à Ucrânia quatro semanas atrás, levando a sanções do Ocidente e contramedidas de Moscou.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Restrições a negociações com estrangeiros e proibição de cobertura de vendidos em ações russas permaneceram em vigor quando a bolsa de Moscou retomou parcialmente a atividade hoje.

O índice referencial MOEX disparou mais de 11% no início das negociações antes de devolver parte dos ganhos e passar a ser negociado com alta de 4,4%. As negociações no índice denominado em dólar RTS permaneciam suspensas.

Empresas de energia registraram ganhos fortes, com a produtora de gás Novatek, as petroleiras Rosneft e Lukoil e a gigante de gás Gazprom em alta de 10% a 20%.

Por sua vez, o rublo russo ampliava a recuperação, ganhando 2% e rondando 96 contra o dólar no pregão de Moscou.

A moeda havia atingido na quarta-feira a máxima em três semanas de 94,975 por dólar depois de Putin afirmar que a Rússia começará a vender seu gás a países “hostis” em rublos.

Compartilhe esta publicação: