Airbnb interrompe operações na Rússia e Belarus

O Airbnb disse que seu braço sem fins lucrativos oferecerá moradia gratuita e temporária para até 100 mil refugiados de saída da Ucrânia.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
SOPA Images/Getty Images
SOPA Images/Getty Images

O presidente-executivo do Airbnb, Brian Chesky, tuitou a suspensão

Acessibilidade


A empresa de aluguel de imóveis para temporada Airbnb tornou-se ontem (3) a mais recente marca global a interromper as operações na Rússia, à medida que as sanções de países do Ocidente se acumulam contra Moscou após a invasão da Ucrânia.

O presidente-executivo do Airbnb, Brian Chesky, tuitou a suspensão, que também inclui Belarus, aliado da Rússia. Grandes companhias, incluindo General Motors, Boeing e Google, da Alphabet, também tomaram medidas semelhantes.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“As pessoas estão reservando Airbnbs na Ucrânia em que não pretendem ficar apenas para ajudar os anfitriões”, acrescentou Chesky, exemplificando uma maneira que estrangeiros encontraram para enviar apoio financeiro aos ucranianos.

O Airbnb, que está se recuperando de um período de poucos negócios induzido pela pandemia, projetou resultados surpreendentes para o primeiro trimestre devido à forte demanda nos Estados Unidos e estadias mais longas dos hóspedes.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A empresa não respondeu imediatamente a um pedido de detalhes adicionais sobre as suspensões de operações na Rússia e em Belarus.

As ações da companhia caíam 2,7%, por volta de 12h (horário de Brasília).

O Airbnb disse na segunda-feira que seu braço sem fins lucrativos oferecerá moradia gratuita e temporária para até 100 mil refugiados de saída da Ucrânia.

Compartilhe esta publicação: