Superiate de bilionário russo é retido no Estreito de Gibraltar

Pelo menos nove superiates no total de US$ 1,6 bilhão (ou R$ 7,7 bilhões) foram bloqueados, perderam o registro ou foram congelados desde a invasão russa à Ucrânia.

Giacomo Tognini
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Superiate Axioma, do oligarca russo Dmitry Pumpyansky

Acessibilidade


Autoridades no território britânico ultramarino do Estreito de Gibraltar detiveram um iate de um bilionário russo que sofreu sanções na segunda-feira (21). As autoridades francesas também detiveram dois iates de outro bilionário russo sancionado na semana passada. Isso eleva para nove o número de superiates bloqueados, congelados ou que perderam o registro desde a invasão russa à Ucrânia, em 24 de fevereiro.

Na segunda-feira (21), o Estreito de Gibraltar – localizado no extremo sul da Espanha – deteve o iate Axioma, de 236 pés, de Dmitry Pumpyansky. Axioma “foi confirmado como objeto de uma ação de prisão por um importante banco internacional no Supremo Tribunal de Gibraltar”. A embarcação partiu da ilha caribenha de Antígua em 4 de março.

VEJA TAMBÉM: Espanha apreende superiate de R$ 2,5 bilhões ligado ao bilionário russo Igor Sechin

Pumpyansky é dono do Axioma, que está registrado em Malta, por meio da Pyrene Investments Ltd., com sede nas Ilhas Virgens Britânicas. De acordo com a empresa especializada em avaliação de iates VesselsValue, o Axioma vale US$ 42 milhões (cerca de R$ 204 milhões). Construído em 2013 pelo estaleiro turco Dunya Yachts e originalmente conhecido como “projeto Praça Vermelha”, o iate possui uma sala de cinema 3D e um centro de esportes aquáticos – incluindo jet skis, caiaques e equipamentos de mergulho –, bem como sauna a vapor e academia. A embarcação tem ainda seis camarotes com capacidade para 12 hóspedes, incluindo uma suíte VIP e master. Pumpyansky construiu sua fortuna como proprietário do grupo de fabricação de tubos TMK, que fornece tubulações para a gigante petrolífera russa Gazprom. O bilionário foi sancionado pela União Europeia em 9 de março e pelo Reino Unido em 15 de março.

Hoje (23), a agência de notícias AFP (Agence France Presse) informou que as autoridades francesas apreenderam dois superiates de propriedade de Alexei Kuzmichev, segundo uma fonte do governo francês. Um deles, o Big Bear, de 85 pés, foi apreendido em Antibes na segunda-feira (21); o outro, o Little Bear, de 56 pés, foi apreendido em Cannes em 16 de março, segundo a AFP. As autoridades francesas avaliaram os dois iates em US$ 99 milhões (cerca de R$ 482 milhões). Kuzmichev é sócio dos oligarcas russos Mikhail Fridman, Pyotr Aven e German Khan nos grupos de investimento LetterOne e Alfa Group, sediados em Luxemburgo. Ele renunciou ao conselho da LetterOne em 8 de março, uma semana antes de ser atingido pelas sanções do Reino Unido e da União Europeia.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

LEIA TAMBÉM: Biden está à procura dos iates bilionários russos – veja onde eles estão

A Forbes conta que pelo menos nove superiates no total de US$ 1,6 bilhão (ou R$ 7,7 bilhões) foram bloqueados, perderam o registro ou foram congelados desde a invasão russa. Isso inclui o Dilbar, do investidor do Facebook Alisher Usmanov – um dos maiores iates do mundo, avaliado em US$ 588 milhões (cerca de R$ 2,8 bilhões), que está preso na cidade portuária alemã de Hamburgo e foi bloqueado pelas sanções dos EUA em 3 de março –, bem como o SY A de Andrey Melnichenko, o maior iate à vela do mundo, que foi congelado pelas autoridades italianas em 12 de março.

Compartilhe esta publicação: