O que é um oligarca? Tudo o que você precisa saber sobre os bilionários da Rússia

Empresários russos abraçaram a privatização pós-soviética – e Vladimir Putin – para se tornarem extraordinariamente ricos. É por isso que os chamamos de oligarcas.

John Hyatt
Compartilhe esta publicação:
Anthony Devlin/PA Images via Getty Images
Anthony Devlin/PA Images via Getty Images

Dono do Chelsea, Roman Abramovich reage a fala de Vladimir Putin em evento de 2018

Acessibilidade


Em resposta à invasão da Ucrânia pela Rússia, os EUA e aliados tentaram estrangular bancos, empresas e oligarcas russos, cujos iates gigantescos e propriedades extensas deixaram muitos de nós imaginando: o que torna alguém um oligarca e como eles se tornaram tão ricos?

Os oligarcas são “empresários excepcionalmente ricos que são política e socialmente influentes”, diz Elise Giuliano, professora do departamento de ciência política da Universidade de Columbia especializada na Rússia pós-soviética. “Eles geralmente estão pessoalmente conectados aos principais líderes políticos de um país, embora nem sempre.”

A definição clássica de um oligarca incluiria alguma influência política, mas ficou aparente desde que a guerra começou que a maioria dos bilionários russos tem pouca ou nenhuma influência sobre o presidente russo Vladimir Putin.

Como nasceram os oligarcas russos

Os oligarcas originais da Rússia fizeram suas fortunas na década de 1990, durante o caótico rescaldo do colapso da União Soviética, quando os ativos estatais foram transferidos para licitantes privados, muitas vezes em negócios corruptos. Durante esse período de liberalização econômica, empresários abastados, ex-funcionários e empreendedores corajosos adquiriram grandes participações em empresas russas de petróleo e gás, metais e mineração, ferrovias e transportes, produtos agrícolas e outras indústrias essenciais.

Um novo grupo de oligarcas ficou rico por meio de seus laços com Putin, que governa a Rússia de uma forma ou de outra desde 2000. Putin alternadamente enriqueceu e puniu oligarcas, tratando os magnatas e seus negócios como peões em suas partidas de xadrez político. Mikhail Khodorkovsky, então o homem mais rico da Rússia, foi preso em 2003 por crimes fiscais depois de apoiar o rival político de Putin. No entanto, muitos dos oligarcas de hoje são atuais ou ex-funcionários de Putin. Yuri Kovalchuk, amigo de longa data e conselheiro do líder russo, obteve grandes participações em empresas bancárias e de telecomunicações por meio de seus laços com Putin.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Embora a proximidade dos oligarcas com Putin varie, todos contam com seu apoio. “Dada a forma como a economia russa está estruturada, muito depende direta ou indiretamente do Estado”, diz Brian Taylor, professor de ciência política da Universidade de Syracuse. Os oligarcas “não são atores econômicos autônomos que estão em posição de enfrentar o Estado ou responder ao Estado”.

Privatizações na Rússia

As sementes da oligarquia russa foram plantadas entre 1992 e 1994, quando a recém-independente Federação Russa realizou um esforço de privatização. Sob o programa, ações de cerca de 15 mil empresas estatais foram disponibilizadas para compradores privados. Seu objetivo era permitir que russos comuns comprassem ações. Em vez disso, empresários bem relacionados adquiriram blocos de ações, conseguindo participações grandes ou controle das empresas. Sob o programa, dois terços de todas as ações privatizadas passaram a ser detidos por membros da empresa, de acordo com um estudo de 1999 do Fundo Monetário Internacional.

O esquema de empréstimo por ações do presidente russo Boris Yeltsin em 1995 cunhou alguns dos oligarcas mais ricos da Rússia. Em troca de emprestar dinheiro ao governo russo sobrecarregado pelo déficit e ajudar a financiar a campanha de reeleição de Yeltsin, alguns empresários ricos receberam ações de 12 empresas estatais de energia e mineração na forma de “arrendamentos”. Os arrendamentos se transformariam em propriedade – dependendo se Yelstin vencesse.

“Se o líder comunista Gennady Zyuganov tivesse vencido a eleição [de 1996], todos esperavam que ele simplesmente nacionalizasse essas empresas e recuperasse as ações que haviam sido colocadas”, diz Daniel Treisman, professor de ciência política da Universidade da Califórnia, Los Angeles, especialista em política pós-soviética.

Após a vitória de Yeltsin, Vladimir Potanin, um dos arquitetos do acordo, assumiu o controle da Norilsk Nickel, a maior produtora mundial de níquel refinado. Outros beneficiários incluíram Khodorkovsky e Roman Abramovich, que adquiriram amplas participações em petróleo e gás.

A crise financeira russa de 1998 foi um revés temporário para os oligarcas. O aumento dos preços das commodities e a crescente integração econômica da Rússia no Ocidente nos anos 2000 criaram dezenas de novos magnatas. Em 2001, a Rússia tinha oito bilionários avaliados em conjunto em de US$ 12,4 bilhões. Dez anos depois, havia 101 bilionários no valor de US$ 432,7 bilhões, de acordo com dados da Forbes.

Os oligarcas logo aprenderam que sua riqueza estava condicionada à obediência a Putin. Eles não podiam ir além do exemplo de Khodorkovsky, que passou dez anos na prisão. Outro oligarca, Boris Berezovsky, que prosperou sob Yeltsin e criticou Putin, vendeu suas participações na mídia russa e foi para o exílio.

Os oligarcas entenderam a mensagem. Os interesses políticos de Putin e seus interesses financeiros precisavam ser o mesmo.

“Se você fosse um oligarca russo na época e ligasse a CNN e visse um cara [que] é muito mais rico, muito mais inteligente e muito mais poderoso do que você sentado em uma cela, qual seria sua reação natural?” diz Bill Browder, um financista americano que viveu na Rússia pós-soviética. “E então, um por um, eles foram até Putin e disseram: ‘O que temos que fazer para não entrarmos naquela jaula?'”

Para alguns oligarcas, isso significava vender suas empresas de volta ao governo. Roman Abramovich vendeu sua participação na empresa de petróleo e gás Sibneft para a estatal Gazprom em 2005. Mikhail Fridman e Viktor Vekselberg, que se tornaram oligarcas em parte ao adquirir a empresa privada Tyumen Oil em 1997, venderam sua empresa para a Rosneft, uma empresa de energia governamental em 2013.

Silovarcas, um novo tipo de oligarcas

À medida que Putin consolidou o poder e afirmou o controle estatal sobre mais empresas privadas, surgiu uma nova espécie de oligarca – o “silovarca”. O termo, cunhado por Treisman, é uma junção de oligarca e siloviki, uma palavra russa para a elite militar e de segurança do país. Muitos silovarcas conhecem Putin pessoalmente, por seu tempo na KGB ou por terem trabalhado com ele em São Petersburgo durante o início de sua carreira política pós-soviética.

“Os chamados silovarcas são elites empresariais que alavancaram suas redes no FSB (Serviço Federal de Segurança da Rússia) ou nas forças armadas para acumular riqueza pessoal extrema”, escreveu Stanislav Markus, professor de negócios internacionais da Universidade da Carolina do Sul. “Desde 2003, os amigos de Putin e os silovarcas cresceram constantemente para controlar setores da economia e ocupar cargos importantes no poder executivo.” Os silovarcas são “representados desproporcionalmente nos conselhos corporativos das chamadas corporações estatais e muitas vezes têm grandes participações em empresas de setores nos quais a lucratividade depende do favor do governo”.

Os oligarcas enfrentam um futuro difícil enquanto o Ocidente pune a Rússia de Putin. Até ontem, 20 deles estavam sob sanção pessoal dos EUA e seus aliados. Não parece mais importar de que lado, Rússia ou Ucrânia, eles tomaram. Oligarcas que venderam seus ativos russos e transferiram suas propriedades para o Ocidente estão se distanciando apressadamente de Putin e seu regime. Muitos deles estão sendo golpeados com sanções de qualquer maneira. Silovarcas e aqueles com ativos russos não foram protegidos por Putin. Eles viram suas fortunas despencar com o colapso dos mercados russos.

Mais sobre oligarcas russos:

Conheça os imóveis extravagantes dos bilionários russos alvos de sanções

Quem são os bilionários russos alvos de sanções dos Estados Unidos e da Europa?

Bilionários russos dão jeitinho profissional para escapar de sanções

União Europeia impõe sanções a mais 4 bilionários russos

Reino Unido congela bens de Abramovich e outros 6 oligarcas russos

Compartilhe esta publicação: