Bank of America supera estimativas de lucro com força em crédito ao consumo

Devido à composição do balanço patrimonial, o BofA é o mais sensível entre os grandes bancos dos EUA às mudanças nas taxas de juros.

Reuters
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Bank of America divulgou hoje (18) uma queda 13% menor do que a esperada no lucro do primeiro trimestre, uma vez que o forte crescimento dos empréstimos ao consumidor ajudou a amortecer o impacto da desaceleração nas negociações globais.

O banco reportou alta de 9% na receita bancária no varejo, para US$ 8,8 bilhões, no trimestre encerrado em março.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“Os resultados do primeiro trimestre foram fortes, apesar dos mercados desafiadores e da volatilidade”, disse o diretor financeiro, Alastair Borthwick, em comunicado.

“A receita líquida de juros aumentou US$ 1,4 bilhão em relação a um ano antes, apoiada por um forte crescimento de empréstimos e depósitos. No futuro, com a expectativa da curva futura de aumento das taxas de juros, prevemos obter mais benefícios de nossa franquia de depósitos.”

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

No entanto, as taxas totais de banco de investimento caíram 35%, para US$ 1,5 bilhão, no trimestre.

O segmento bancário global do Bank of America, que abriga o negócio de banco de investimento, teve US$ 165 milhões em provisões para perdas de crédito, principalmente devido à sua exposição à Rússia e ao crescimento dos empréstimos.

O segundo maior banco dos Estados Unidos em ativos liberou US$ 362 milhões do que havia reservado para empréstimos ruins. A receita líquida de juros, uma medida importante de quanto o banco pode ganhar com empréstimos, subiu 13%, para US$ 11,6 bilhões no trimestre.

Devido à composição do balanço patrimonial, o Bank of America é o mais sensível entre os grandes bancos dos Estados Unidos às mudanças nas taxas de juros e deve se beneficiar do plano do Federal Reserve para aumentar as taxas de juros.

O lucro aplicável aos acionistas ordinários caiu quase 13%, para US$ 6,6 bilhões, ou US$ 0,80 por ação, de US$ 7,56 bilhões, ou US$ 0,86 por ação, um ano antes.

O banco reportou aumento de 8% no lucro antes de impostos e provisões. Analistas esperavam, em média, lucro de US$ 0,75 por ação, de acordo com a estimativa do IBES da Refinitiv.

O Bank of America completa uma temporada de ganhos mistos para os bancos de Wall Street com JP Morgan, Goldman Sachs, Wells Fargo, Morgan Stanley e Citigroup registrando quedas de lucro.

Compartilhe esta publicação: