Indicador de mercado para inflação de longo prazo na zona do euro atinge pico desde 2012

Superando 2,40%, o swap de inflação ficou muito acima da meta de 2% do Banco Central Europeu.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Boyana Boychev/Getty Images
Boyana Boychev/Getty Images

Indicador que mede a inflação da zona do euro de 5 em 5 anos chegou a seu maior patamar em 10 anos

Acessibilidade


Um importante indicador de mercado das expectativas de inflação de longo prazo da zona do euro superou 2,40% hoje (13), indo a um pico em dez anos depois que uma leitura acima do esperado sobre os preços ao consumidor do Reino Unido somou-se a sinais de pressões de custo persistentes.

O swap de inflação a termo de cinco e cinco anos da zona do euro foi ao maior patamar desde 2012, segundo dados do Banco Central Europeu, e muito acima da meta de 2% da autoridade monetária, que se reúne amanhã (14).

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“Isso definitivamente estará testando sua (do BCE) determinação e sua posição. É definitivamente um problema. Há muitos argumentos que eles apresentaram para minimizar a importância desse indicador”, disse Antoine Bouvet, estrategista sênior de juros do ING.

O indicador estava em cerca de 2,20% antes da invasão da Ucrânia pela Rússia e em torno de 2% no início do ano.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Isso mostra pelo menos uma coisa: há preocupações de que a inflação esteja fora de controle”, acrescentou Bouvet, embora tenha dito que esse risco é pequeno e não uma visão amplamente aceita.

Uma pesquisa da Reuters da semana passada mostrou que os economistas ainda esperam que a inflação da zona do euro, que atingiu 7,5% em março, atinja seu pico neste trimestre.

Dados divulgados hoje (13) mostraram que a inflação britânica acelerou para 7,0% em março sobre um ano antes, contra 6,2% em fevereiro, maior taxa desde março de 1992 e mais do que o esperado pela maioria dos economistas.

VEJA TAMBÉM: Aumento da inflação na zona do euro intensifica dilema de política monetária do BCE

Compartilhe esta publicação: