Santander vê inadimplência estabilizando, mas evita acelerar crédito

"Todos os ajustes que fizemos desde o ano passado estão dando sinais de que deram resultado", disse o presidente-executivo do grupo

Reuters
Compartilhe esta publicação:

Matthew Horwood/Colaborador/Getty Images

Acessibilidade


A qualidade da carteira de empréstimos do Santander Brasil começa a dar sinais de estar sob controle, mas o banco ainda não está confortável para acelerar em linhas de maior risco, disse hoje (28) o presidente-executivo do grupo, Mário Leão.

“Todos os ajustes que fizemos desde o ano passado estão dando sinais de que deram resultado”, disse Leão a jornalistas, citando, entre outros fatores, a menor concessão de empréstimos sem garantias.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Após ter subido por três trimestres consecutivos a partir da segunda metade do ano passado, na base sequencial, o índice de atrasos da carteira do banco superior a 90 dias ficou estável em 2,9% no segundo quarto deste ano.

As provisões para devedores duvidosos, porém, atingiram R$ 5,75 bilhões de abril a junho, um aumento de 59,7% em relação ao mesmo período de 2021.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Leão disse não esperar uma deterioração adicional dos índices de inadimplência do banco.

“Mas ainda não estamos confortáveis para acelerar crédito em linhas sem colateral”, afirmou.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: