Após consolidação nos e-sports, Los Grandes mira Web3

Rodrigo “El Gato”, fundador da organização de jogos eletrônicos, fala sobre a aquisição da startup GEMU e estima R$ 40 milhões em receitas para 2022.

Luiz Gustavo Pacete
Compartilhe esta publicação:
Divulgação

Rodrigo “El Gato”: “sabemos que dentro dos e-sports ainda existe um caminho longo a ser percorrido”

Acessibilidade


Criada em 2018 por Rodrigo “El Gato”, streamer especializado no jogo Free Fire, a Los Grandes, uma das maiores organizações de e-sports da América Latina, está expandindo sua atuação com a aquisição da startup GEMU e a meta de faturar R$ 40 milhões em 2022, crescimento de 300% em relação ao ano passado. A  GEMU tem um serviço que conecta marca, público e jogadores profissionais e, de acordo com Rodrigo, contribuirá para o projeto de expansão da Los Grandes. A transação de compra foi baseada em dinheiro e ações somando R$ 6 milhões no total.

Com a movimentação, os sócios da GEMU, Bruno Cyrillo e Ramon Wanderley, assumirão papéis de liderança dentro da organização, sendo, respectivamente, Head de Operações e Financeiro e Head de Tecnologia. Além disso, outras 5 pessoas da companhia passam a fazer parte do time de tecnologia da Los Grandes, com o objetivo de melhorar a interação da organização com público gamer e com outras marcas.

LEIA TAMBÉM: Casal brasileiro cria startup de games nos EUA com Minecraft como cliente

Uma das frentes estratégicas de negócios é manter os olhos atentos para todas as possibilidades da Web3, como criptogames, NFT´s e blockchains: “Com a compra da GEMU, damos o nosso primeiro passo dentro do mercado de startups, com o objetivo de nos tornarmos referência em tecnologia dentro do cenário de games e e-sports. Essa é mais uma movimentação importante para 2022, pois além de abrirmos novos frentes de negócios, também nos aproximamos das tendências da Web3”, explica Rodrigo Terron, conselheiro da Los Grandes e 30 Under 30 2021.

Essa é a primeira aquisição da organização que, atualmente, conta com mais de 60 colaboradores (entre staff, jogadores e influenciadores) e 5 line-ups esportivas, sendo times de CS:GO, Valorant, Free Fire Mobile, Free Fire e Wild Rift. “Sobre o longo prazo, nosso desejo é dar mais Los Grandes para as pessoas torcerem. Onde pudermos ter a organização, nós queremos inseri-la, buscando sempre gerar entretenimento, competitividade e, claro, muita relação com a nossa torcida. Afinal, a Los Grandes é isso, é torcer, acreditar, amar e, também, entreter”, diz Rodrigo “El Gato”.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“A GEMU vem pra fazer parte desse ecossistema de tecnologia que estamos criando. Nosso desejo é que eles nos ajudem a avançar e potencializar neste quesito com o passar do tempo, sendo parte essencial do nosso projeto de expansão. Além disso, a GEMU vai nos ajudar também nas nossas relações com os torcedores pois, por meio do aplicativo, vamos criar desafios para nos aproximar ainda mais dos nossos fãs”, explica Rodrigo. Questionado sobre novas aquisições, ele afirma que blockchain e criptomoedas são segmentos em potencial em caso de novos movimentos.

LEIA TAMBÉM:  O que motiva o recorde nas exportações brasileiras de games?

“Eu realmente acredito que a blockchain vai mudar o mundo, não apenas na aquisição de um token, mas sim no conceito como um todo. A segurança e a transparência que ela oferece é algo que realmente chegou para fazer a diferença. Sempre digo que vou ficar muito feliz quando começar a assistir um filme e ver que o menino que está jogando vídeo game não é mais visto como alguém que está perdendo tempo. Afinal, essa é minha luta diária: mostrar a profissionalização e o caminho sério que os esportes eletrônicos oferecem, pois existem pessoas que trabalham duro para tudo isso acontecer e que desejam seguir uma carreira séria com esse esforço”, afirma.

Ainda de acordo com Rodrigo, esse ecossistema, que de acordo com a NewZoo deve movimentar mais de US$ 2 bilhões ao ano, está só no início. “Sabemos que dentro dos e-sports ainda existe um caminho longo a ser percorrido, principalmente em reconhecimento. Um dos meus principais objetivos é correr atrás dessa evolução, mostrando que os games são uma grande oportunidade para muitas pessoas. E acredito que esse também é o grande desafio da Los Grandes, que está juntando forças para fazer e ajudar tudo isso a acontecer.”

Compartilhe esta publicação: