Conheça as tendências não óbvias apresentadas no SXSW

Reynaldo Gama, CEO da HSM e CO- CEO da SingularityU Brazil, traz alguns dos destaques do festival de inovação que ocorreu no Texas.

Luiz Gustavo Pacete
Compartilhe esta publicação:
Divulgação SXSW

O SXSW movimentou mais de R$ 2 bilhões para a cidade de Austin na edição de 2022

Acessibilidade


Chegou ao fim mais uma edição do South by Southwest (SXSW), festival de inovação realizado em Austin, no Texas. Com ele, várias tendências, provocações e reflexões acerca do futuro da sociedade e dos negócios. Após dois anos sem versão presencial, o SXSW retornou em 2022 com muitas expectativas. Para Austin esse é o momento mais importante, já que são gerados mais de US$ 400 milhões (R$ 2 bilhões) em receitas para a cidade. Reynaldo Gama, CEO da HSM e CO CEO da SingularityU Brazil, que estuda tendências e esteve no evento, destacou para a Forbes Brasil algumas das tecnologias não óbvias que lhe chamaram atenção na edição deste ano.

Identidade ampliada

“É a tendência de cada indivíduo ampliar sua identidade em múltiplas plataformas e lugares, tendo uma persona para cada ambiente. Cada vez temos identidade em inúmeros lugares e plataformas, seja nas mídias sociais e agora no metaverso. Ou seja, elas estão crescendo globalmente e cultivando esta percepção do online e offline, buscando obviamente seguidores e serem, de alguma forma, micro influenciadores, o que acaba tornando-as vulneráveis a críticas deste processo.”

LEIA TAMBÉM: Afinal, o que atrai tantos brasileiros ao SXSW?

Modo humano

“A tecnologia, sem dúvida, está cada vez mais presente na rotina das pessoas. Porém, muitas já estão cansadas de tanta tela e pouca interação social. Por isso, a humanização precisa estar dentro das estratégias e entregas das empresas. Nos Estados Unidos, por exemplo, existe uma rede de supermercados que tem uma fila na qual o consumidor pode ficar o tempo que quiser, sem pressa. Uma fila que foi pensada para os clientes que gostam de interagir, tirar dúvidas de produtos e não querem a frieza do autoatendimento e da rapidez da transação. Este modo humano vem se tornando uma tendência dentro de um mundo tão tecnológico. “

Nostalgia do passado

“As pessoas estão procurando por experiências mais nostálgicas, simples e que tragam a essência humana, em um mundo cada vez mais complexo e tecnológico. Essa tendência pode ser comprovada pelo grande número de lançamentos de produtos mais tradicionais como cadernos, planners físicos, discos de vinil e a volta de jogos clássicos como o snake (cobrinha), febre da era de games 8-bit.”

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

LEIA TAMBÉM: Startup criada por brasileiras leva tecnologia de live-commerce ao SXSW

Aprendizado instantâneo

“Com a grande quantidade de conhecimento e informações que as pessoas recebem todos os dias, a busca por aprendizado mais rápido está crescendo. Aquelas aulas de conteúdo profundo, com grandes gurus, devem ficar para trás. Hoje as pessoas estão buscando o aprendizado mais rápido, sob demanda, com pílulas de conteúdo. Como disse Isaac Asimov, “I´m not a speed reader, I am a speed understander”. “

Economia Fluida

“Veremos cada vez mais as empresas apostando em setores diferentes dos seus tradicionais, e usando de suas cadeias produtivas para criar produtos e serviços não óbvios. O restaurante Taco Bell, é um exemplo, que inaugurou um hotel na Califórnia – e teve grande demanda pelos quartos. Já no Brasil, a HSM, que atua no mercado de educação corporativa, fundou o Learning Village, hub de inovação e tecnologia com foco em educação e desenvolvimento de pessoas, entrando para o mercado de real state – entre os serviços, oferece posições de trabalho para as startups. E, quando pensamos em pessoas, isso também se aplica, pois não teremos um indivíduo em um único segmento ou lugar, mas em vários ambientes e mercados.”

Compartilhe esta publicação: