Telegram pede desculpas ao STF e pede adiamento de suspensão do aplicativo

Fundador do Telegram disse que empresa não recebeu notificação do STF e por isso descumpriu determinação do ministro Alexandre de Moraes.

Da Redação
Compartilhe esta publicação:
Ilya Naymushin/Reuters
Ilya Naymushin/Reuters

Segundo fundador do Telegram, o STF tentou entrar em contato com a empresa por um “antigo endereço geral de email

Acessibilidade


O fundador e presidente-executivo do Telegram, Pavel Durov, pediu desculpas ao STF (Supremo Tribunal Federal) pela falta de resposta da empresa a uma decisão da corte, após o ministro do STF Alexandre de Moraes ter determinado a suspensão do aplicativo hoje (18).

Segundo Durov, o STF tentou entrar em contato com o Telegram por um “antigo endereço geral de email”, o que levou à falta de resposta. A solicitação agora teria sido respondida, segundo ele.

“Em nome da equipe, eu peço desculpas à Suprema Corte brasileira por nossa negligência”, disse Durov, que pediu ao STF que adie em alguns dias a implementação da suspensão do aplicativo.

Mais cedo, o ministro Alexandre de Moraes determinou a suspensão integral do Telegram no Brasil, a ser implementada em até 24 horas, a pedido da Polícia Federal.

Em seu despacho, o ministro afirmou que a decisão se baseia no descumprimento, por parte do aplicativo, da determinação de bloqueio e desmonetização de contas ligadas ao blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, considerado foragido da Justiça no inquérito que investiga milícias digitais e produção de notícias falsas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Na decisão, Moraes pede que a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) tome as providências para a suspensão em até 24 horas que as operadoras de telefone insiram bloqueios para impedir a utilização do Telegram. Além disso, a decisão pede que o aplicativo seja retirado das lojas online da Google e da Apple.

Em nota, a Anatel informou que foi oficiada pelo STF e “providenciou o imediato encaminhamento da decisão judicial às entidades atuantes no setor regulado que possuem pertinência com a determinação judicial”.

Leia mais: STF determina bloqueio de perfis do Telegram e ameaça retirar aplicativo do ar

Compartilhe esta publicação: