Country Manager da Bitso para o Brasil revela planos e defende potencial das criptomoedas

Com mais de 4 milhões de clientes, a plataforma de compra e venda de criptomoedas anunciou Thales Araújo de Freitas como líder para o país.

Luiz Gustavo Pacete
Compartilhe esta publicação:
Divulgação

Thales Araújo de Freitas assumiu em abril como Country Manager para o Brasil da Bitso

Acessibilidade


Atualmente entre uma das maiores plataformas de compra e vendas de criptomoedas da América Latina, a mexicana Bitso anunciou, em abril, Thales Araújo de Freitas como Country Manager para o Brasil. Naquele mês, a empresa também foi escolhida pela Forbes USA como uma das melhores empresas de criptomoedas do mundo. Com mais de 4 milhões de clientes, a Bitso tem no Brasil um mercado estratégico. Com exclusividade à Forbes Brasil, Thales fala sobre a estratégia para o país e o desafio de gestão de um ecossistema ainda em ascensão. “Queremos ser a principal ponte para unir a solidez do sistema financeiro brasileiro com a acessibilidade e flexibilidade de criptomoedas e das finanças descentralizadas.”

Forbes Brasil – Você passou por grandes instituições financeiras tradicionais até chegar na Bitso, o que o crescimento do mundo cripto representa neste momento?
Thales Araújo de Freitas – Acredito que as criptomoedas, assim como todo o ambiente cripto, irão de fato revolucionar as finanças. Veremos uma mudança radical tanto no alcance quanto na usabilidade dos ativos digitais. As pessoas mudarão completamente a forma como se relacionam com o dinheiro; milhares que não têm acesso a serviços financeiros serão incluídas financeiramente; e o uso de cripto irá cada vez mais além de investimento e terá uma utilidade muito maior no nosso dia a dia, para pagamentos e transações cotidianas.

LEIA TAMBÉM: As melhores corretoras de criptomoedas do mundo

FB – O que o Brasil representa para a Bitso? Qual tua agenda ao assumir a empresa por aqui?
Thales – O Brasil é um mercado prioritário para a Bitso. Acabamos de completar nosso primeiro ano de atuação no país com um crescimento acelerado não apenas em nossa base de clientes, mas também no número de funcionários. Nos últimos 6 meses, o número de usuários da plataforma da Bitso quadruplicou no Brasil em relação aos primeiros seis meses de atuação no país. Contratamos 170 pessoas e hoje o Brasil já é a segunda maior nacionalidade na Bitso. Minha principal missão é não apenas continuar com esta curva de crescimento, mas também dar passos importantes na busca pelo amadurecimento e desenvolvimento de todo o ecossistema de cripto no Brasil, evoluindo em temas importantes como por exemplo educação, regulação, diversidade e sustentabilidade.

FB – Quais os desafios em termos de educação e conscientização dos brasileiros sobre o mundo cripto? 
Thales – Alguns estudos recentes mostram que a popularização das criptomoedas tem se expandido no Brasil, em comparação com outros países. Mas, de fato, educação ainda é um dos maiores desafios. Precisamos trabalhar para que as pessoas passem do estágio de dúvida e incertezas e entendam tudo o que essa tecnologia tem a oferecer em termos de inclusão financeira e oportunidades de desenvolvimento econômico. Ainda que os criptoativos, assim como qualquer outro tipo de investimento, envolvem algum risco, o enorme crescimento que estamos vendo em adoção não apenas como investimento mas, principalmente, possibilitando novas formas de uso cotidiano, nos permite mostrar todo o potencial que essa tecnologia oferece e como pode impactar positivamente a vida de milhões de pessoas. Especialmente no Brasil, onde temos uma memória histórica muito forte de hiper inflação e mudanças de planos econômicos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

FB – Ainda existem muitos mitos relacionados a este segmento? Quais os principais e como desconstruí-los?
Thales – Ainda que a adoção de criptomoedas esteja aumentando, como todo tema relativamente novo, é natural que existam alguns mitos e dúvidas. E é nosso papel como líderes do setor ampliar e compartilhar o conhecimento sobre estes temas. Com educação e informação, podemos desmistificar algumas questões e mostrar todo o potencial do mercado cripto para as pessoas. Uma das dúvidas gira em torno da segurança de cripto. Embora de vez em quando escutemos falar de pessoas que foram enganadas com criptomoedas, isso deve sempre ser considerado no contexto do que está acontecendo no setor financeiro, onde os golpes são mais prevalentes e maiores. Os usos ilícitos com criptomoedas são mais limitados do que a percepção que eles têm delas. E um dos principais motivos é que o blockchain – a tecnologia por trás das criptomoedas –, por oferecer alta rastreabilidade e transparência, é uma ferramenta altamente eficaz para combater o crime no mundo financeiro global. Na Bitso, nossa maior prioridade é oferecer produtos seguros e confiáveis que sigam os mais altos padrões de conformidade.

LEIA TAMBÉM: Plataforma de criptomoedas Bitso recebe US$ 250 milhões e estreia em varejo no Brasil

FB – Por fim, quais as oportunidades e possibilidades desse ecossistema e como a Bitso observa esse crescimento?
Thales – As possibilidades são enormes e, apesar dos grandes avanços já conquistados, estamos ainda no início dessa jornada. Como já abordamos, ainda existem alguns mitos em torno da tecnologia do mundo cripto e, conforme essas dúvidas foram sendo esclarecidas, o ecossistema se expandirá imensamente. E partir disso, veremos as criptomoedas sendo usadas de forma cada vez mais orgânica na sociedade. Milhões de pessoas já estão descobrindo as vantagens e oportunidades diversas das criptomoedas. A adoção como forma de investimento ainda é muito importante, mas também se destacam cada vez mais casos de uso como: compras e pagamentos; reserva de valor como alternativa ao atual cenário econômico; contratos inteligentes; e até a possibilidade de acessar empréstimos fora do tradicional sistema financeiro, ao qual milhões de brasileiros e latino-americanos ainda não têm acesso.

Compartilhe esta publicação: