O que esperar de um retiro de yoga

Os retiros de yoga trabalham com a mente, o movimento e o espírito para ajudar os participantes alcançar a integridade.

 

  • Projeto de Sara Black, realizado no resort The Farm at San Benito, proporciona um dia inteiro de imersão e relaxamento;
  • Para aproveitar ao máximo, é necessário estar aberto a novas experiências;
  • Por meio de atividades durante o dia, os retiros ajudam as pessoas a se conectarem internamente e externamente.

Antecipei a hora de dormir em uma sexta-feira à noite. O dia seguinte começaria às 5 horas da manhã em uma van cheia de mulheres com vidas completamente diferentes, em direção ao The Farm at San Benito, em Lipa City, Filipinas. Algumas eram velhas amigas, outras recém-conhecidas e poucas completas estranhas. Foi o projeto Reconnect With Your Nature Retreat, de Sara Black, que trouxe a interessante mistura de pessoas para um mesmo espaço.

VEJA MAIS: 10 melhores aplicativos de meditação e mindfulness

O céu já estava claro quando a van passou pelos portões do resort. Após um rápido conhecimento da recepção, as participantes lotaram uma sala que oferecia vista para um exuberante jardim com flores tropicais. Foram feitas perguntas sobre a dinâmica e sequência do programa. “Devemos usar nossas roupas de yoga? Deixamos nossas malas aqui?”. Dias antes, um comunicado havia sido enviado por e-mail com informações sobre o que levar e como se preparar para o retiro, mas pouco havia sido divulgado sobre a programação. Sara, em sua mensagem, escreveu: “Vou compartilhar o cronograma no dia da chegada. O essencial é estar aberto a essa nova experiência e a tudo o que você aprenderá com ela”.

Não há palavra ou frase capaz de descrever com precisão um retiro de yoga ou de bem-estar. Claro que a sensação pode variar de pessoa para pessoa, dependendo do patamar em que ela se encontra atualmente e das intenções estabelecidas quando começa a jornada. Muitos perguntam se é parecido com um retiro espiritual. A resposta é sim e não – ao mesmo tempo. É espiritual no sentido de que se destina a nutrir e revigorar o espírito. Os retiros de bem-estar também ajudam as pessoas a voltarem para o seu centro e se conectarem internamente. Sara fala sobre seu ponto de vista: “O intuito não é espalhar a ideia da yoga como um exercício ou uma prática, e sim como um estilo de vida. Yoga é a união da mente, do corpo e do espírito”. Ela enfatiza que, além da prática de yoga, seus retiros se concentram em encontrar e estabelecer a integridade. “Somos esse corpo. Mas também somos nossa mente e espírito. O ponto não é negligenciar uma parte, e sim integrar todas elas. A vida moderna fragmenta tanto os seres humanos que, em determinado momento, queremos apenas nos sentir inteiros.”

A experiência começou no anfiteatro, onde se formou um círculo de boas-vindas para breves apresentações. Em seguida, realizou-se um Sattva yoga, prática que integra a mente, a respiração e o fluxo. Foram feitos vários exercícios respiratórios destinados a aumentar e despertar o prana (energia). A meditação se deu, naturalmente, na sequência. Os praticantes de Sattva explicaram que a meditação é essencial para “desenvolver a concentração da mente, aumentando o leque de possibilidades”. No final, saudações ao sol e poses que ajudaram a alinhar o corpo e liberar a tensão. A prática é recomendada para qualquer pessoa, “Nós aceitamos participantes qualquer que seja o nível de conhecimento, mas essa não é a questão. O que realmente importa é o desejo do indivíduo de crescer”, diz Sara.

Sattva yoga integra meditação, respiração e movimento para equilibrar e alinhar o corpo.

A clareza, energia e harmonia da prática matinal oferecem um clima de introspecção no início do dia. Uma área de estar com uma antiga mangueira era o lugar preferido para colocar os pensamentos em um diário. Sara instruiu: “Deixe seus pensamentos fluírem para as páginas. Não há julgamentos aqui”. Esse era o momento oportuno para refletir e fazer um balanço das coisas que produziam gratidão, abrindo caminhos para a descoberta de novas perspectivas e respostas.

“O bem-estar precisa ser holístico. Corpo, mente e espírito estão interligados todo o tempo. Comemos cinco vezes ao dia e uma nutrição consciente é necessária. O alimento afeta diretamente a vibração da nossa energia e, por isso, ainda faz parte do trabalho energético que eu faço com meus alunos”, diz a especialista. Um almoço à base de vegetais da lanchonete vegana do The Farm foi preparado para ser servido depois de uma conversa nutricional esclarecedora de um dos médicos que atuam no local. A refeição estava surpreendentemente saborosa, até mesmo para o participantes acostumados com os hambúrgueres tradicionais.

LEIA TAMBÉM: 3 dicas para controlar o ego e parar de pensar tanto – sem meditação

Massagens foram agendadas no período da tarde. Os hóspedes do The Farm viajam o mundo todo para receber tratamentos no Healing Sanctuary Spa, que desfruta de reconhecimento e aclamação mundial. Seria um sacrilégio visitar o resort e não usufruir de um tratamento no spa. Uma esfoliação corporal usando café barako e óleo de coco colocou imediatamente o corpo em um estado de relaxamento completo. Os grãos de café são usados ​​em esfoliações corporais à medida que revitalizam e estimulam a pele, deixando-a radiante. Eles também são conhecidos como agentes purificadores e auxiliadores na redução da celulite. Para completar a tarde, fizemos uma massagem relaxante de 60 minutos. Os terapeutas abordaram pontos de tensão e músculos cansados. Foi uma experiência excepcional.

Ingredientes utilizados para tratamentos no spa são de origem natural e ajudam a revitalizar e purificar a pele.

No final da tarde, já era possível sentir os benefícios das experiências vivenciadas no corpo. A pele estava nutrida e emanava um brilho que apenas uma mente, corpo e alma revigorados seriam capazes de irradiar. Um mergulho na piscina estava previsto como atividade, mas após o esfoliante e a massagem de café, uma bebida quente parecia mais necessária antes da atividade final do dia.

Uma grande pintura da Mandala, uma expressão artística enraizada no hinduísmo e no budismo, parecia a atividade adequada naquele dia para uma experiência destinada a ajudar os participantes a “reconectarem-se à sua verdadeira natureza, que é a energia amorosa”. A atividade não apenas cultivou a criatividade, mas também um senso de comunidade e conexão. “Uma parte crucial dos meus retiros é a vinculação da comunidade. Faz parte do processo levar as pessoas a experimentarem a integralidade. Uma vez que você tenha percebido que estamos todos conectados por meio da energia amorosa, o vínculo com a comunidade faz com que as pessoas se sintam mais à vontade com elas mesmas e com os outros.”

Os sons da cachoeira preenchiam o silêncio criando uma sensação de ambiente revigorado e reenergizado. Orações e bênçãos marcaram o fim do retiro. Alguns participantes correram de volta para a cidade, ansiosos para voltar à rotina regular com renovado entusiasmo e senso de identidade. Outros ficaram para jantar compartilhando ideias, trocando energia e conectando-se com os novos amigos. Foi um dia de reconexão com a verdadeira natureza, oferecendo à mente, corpo e alma, o combustível necessário para estabelecer conexões significativas nos dias seguintes.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).