Vintage online: saiba mais sobre as plataformas digitais que vendem antiguidades

ReproduçãoForbes
Com o aumento do consumo consciente e uma maior valorização do design, o interesse por antiguidades está reacendendo

Resumo:

  • O mercado de antiguidades passou por muita dificuldade nos últimos tempos, mas parece encarar uma nova realidade atualmente; 
  • Plataformas online possibilitam proximidade com consumidores; 
  • Veja mais detalhes sobre a ressurreição do mercado de antiquários na internet.

VEJA MAIS: Corretor de imóveis ganha US$ 100 mil por mês com canal no YouTube

Nas últimas duas décadas, o mercado de antiguidades tem lutado para recuperar a força. No entanto, com o aumento de consumidores conscientes e uma maior valorização do design, o interesse no nicho está reacendendo. Agora, em vez de garimpar lojas de antiguidades peculiares e feiras com tesouros escondidos, os clientes podem navegar em plataformas online para encontrar seu próximo investimento. As marcas estão tentando trazer a indústria de volta à sua antiga glória com uma nova geração de consumidores.

Dorian Caffot de Fawes, um negociante de antiguidades de Londres, está animado com as perspectivas. “A paixão por antiguidades está voltando.” diz. “O desejo de comprar uma peça com história e que contribui para um menor impacto ambiental está aumentando e cabe a nós, como líderes dentro da indústria, garantir acesso a isso.” Caffot de Fawes está ansioso para aproveitar a nova geração e já trabalha para atrelar um sentimento de acolhimento à sua marca, permitindo que todos os clientes, independentemente do seu conhecimento de antiguidades, sintam-se bem-vindos. Sua loja, na Lillie Road, em Londres, é uma das galerias já bem estabelecidas na área. Além disso, ele mostra suas coleções online para que os clientes possam explorar os objetos quando quiserem.

O afastamento da produção em massa e do consumismo em excesso levou a uma revitalização de interiores atemporais e peças que podem ser transmitidas através das gerações. Isso não apenas contribui para uma economia circular, com o reaproveitamento de móveis, mas também permite que legados vivam, dando aos proprietários uma conexão mais emocional com seus espaços.

A Vinterior, uma plataforma on-line com sede no Reino Unido, oferece uma grande variedade de móveis vintage, antiguidades e designs de meados do século. Ao utilizar a tecnologia, ela traz uma nova acessibilidade à indústria, o que permite que a próxima geração se afaste do desânimo e da ingenuidade ao explorar o mundo das antiguidades.

A fundadora Sandrine Zhang Ferron começou a empresa depois de ter tido dificuldades para encontrar antiguidades para sua própria casa. Seu objetivo era criar um método conveniente para outras pessoas interessadas em itens vintage ou antigos. “As pessoas acordaram para os danos causados ​​por nossa cultura descartável, e estamos vendo um reavivamento no interesse pelo design antigo”, afirma Ferron. “A qualidade artesanal de muitas antiguidades também contribui para a sua durabilidade. E o fato deste mobiliário ainda estar forte após um século (ou mesmo séculos!) é um testemunho de sua qualidade.

LEIA TAMBÉM: 7 peças de luxo à venda na MADE 2019 em São Paulo

Através de nossa plataforma, permitimos que os consumidores acessem facilmente uma grande variedade de itens, isso entrega mais acessibilidade ao mercado “. Desde o seu lançamento em 2016, a marca já tem mais de 1600 revendedores independentes listados no mercado e possui uma das maiores seleções de móveis vintage do Reino Unido.

Ao lado dos mercados de varejo, a ascensão das plataformas de aluguel agora oferece uma alternativa para achados únicos vintage. A Harth, startup sediada no Reino Unido, tem mais de 15 mil itens disponíveis para aluguel por meio de seus serviços, diretamente de marcas e também de peer-to-peer (rede de compartilhamento entre consumidres). Combinados com uma variedade de designs contemporâneos e modernos, antiguidades e itens vintage são predominantes na seleção curada pela Harth. A plataforma abre um novo mercado para peças que antes não eram utilizadas e, ao fazê-lo, estimula a economia sustentável.

A indústria tem lutado para alcançar o sucesso que viu nos anos 1980 e 1990, e um relatório do site alemão de estatísticas “Statista”, em 2016, afirmou que o mercado de arte e antiguidades na Grã-Bretanha declinou em quase US$ 3 bilhões em dois anos. Com a popularidade das compras online e preços acessíveis em alta, o mercado não poderia competir. No entanto, o que podemos ver agora é o início de uma inversão desta tendência, uma visão para um futuro onde as antiguidades desempenham um papel importante no design de interiores. Outras plataformas, como Pamono, 1st Dibs, Talisman e The Kairos Collective, também estão oferecendo aos clientes a facilidade de pesquisar antiguidades na internet. Com essa conveniência e grande variedade, optar por uma uma peça vintage supera as compras convencionais. Elas trazem histórias pessoais e únicas para seus espaços e permitem que os proprietários de imóveis invistam em objetos que permanecerão com elas por toda a vida.

O futuro do artesanato e do design sustentável está longe da produção em massa e de grandes fábricas que oferecem alternativas de móveis mais baratas. Ao nos conscientizarmos de nosso impacto no planeta, as antiguidades assumem o papel de decorar nossa casa com bom gosto, sem contribuir para o aumento do consumo. Adotar essa mentalidade não apenas reduzirá nosso rastro no meio ambiente, como também nos ensinará a paixão de preservar o ofício de fabricantes e designers que já se foram. Ao preservar o passado, olhamos para o futuro com lentes positivas.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).