Cruzeiros da Disney passam a exigir vacina contra Covid-19 para crianças a partir de 5 anos

Regra da Disney Cruise Line vale a partir de 13 de janeiro.

Alison Durkee
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Casal de atores William Levy e Elizabeth Gutiérrez aproveita as férias com os filhos durante cruzeiro da Disney Cruise Line

Acessibilidade


A Disney Cruise Line expandiu sua exigência de vacinação contra a Covid-19 nesta quarta-feira (17) para crianças de cinco a 11 anos em cruzeiros a partir de janeiro. Este é um dos primeiros grandes casos de vacinação obrigatória que se estende a crianças, agora que as vacinas também estão liberadas para elas nos Estados Unidos.

Os cruzeiros da Disney já exigem que todos os passageiros elegíveis à vacina sejam totalmente vacinados contra a Covid-19 – o que por enquanto significa aqueles com 12 anos ou mais – e disse em seu site que a exigência se estenderá a passageiros com cinco anos ou mais para viagens a partir de 13 de janeiro.

LEIA TAMBÉM: Com vacina em game, Pfizer quer ampliar conscientização no combate à Covid-19

Atualmente, os responsáveis precisam fornecer prova de um teste de Covid-19 negativo feito nas crianças entre 24 horas e três dias antes do cruzeiro, para que elas possam embarcar. Todos os hóspedes, incluindo os vacinados, também devem fazer um teste de Covid-19 antes do embarque e no dia anterior ao desembarque.

A maioria das grandes empresas de cruzeiros tem agora requisitos de vacinação – embora a Carnival Cruises permita algumas isenções – mas grandes concorrentes de cruzeiros, como a Royal Caribbean, ainda não expandiram essas políticas para as crianças.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Norwegian Cruise Line proíbe qualquer pessoa não vacinada de navegar em seus cruzeiros, o que até agora significa que crianças não podem navegar, e a Celebrity Cruises diz que todos os hóspedes elegíveis devem ser vacinados, mas até agora especifica em seu site que isso inclui apenas as pessoas de 12 anos para cima.

A Disney não tem nenhum requisito de vacina em vigor para os visitantes de seus parques temáticos, embora todos os funcionários da empresa nos Estados Unidos devam ser vacinados.

O que não sabemos
Quanto tempo vai durar a necessidade da vacina da Disney. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças disseram em outubro que pretendem suspender seus requisitos de segurança obrigatórios para navios de cruzeiro a partir de 15 de janeiro, o que deixará quaisquer medidas de segurança para cada linha de cruzeiro decidir.

A Disney tem ainda outros protocolos de segurança em vigor em seus cruzeiros, como uso obrigatório de máscara dentro dos navios e capacidade reduzida. A CFO Christine McCarthy disse na teleconferência sobre os lucros do quarto trimestre da empresa neste mês que a linha de cruzeiros terá medidas de distanciamento social em vigor até o primeiro semestre de 2022 “pelo menos”, no entanto, sugeriu que as medidas poderiam ser relaxadas depois disso.

O que observar
Se as prescrições de vacinas para crianças serão mais difundidas. A obrigatoriedade de vacinação da Disney vem depois que São Francisco disse que planeja estender seu requisito de prova de vacinação para locais públicos fechados para crianças, mas outras cidades com requisitos de vacinas semelhantes, como Nova York, até agora mantiveram seus requisitos para crianças a partir de 12 anos.

As prescrições de vacinas para as escolas também podem se tornar mais comuns, particularmente se a vacina for totalmente aprovada pela Food and Drug Administration (FDA), mas muitas escolas até agora não exigiram vacinas para crianças mais novas.

Ponto crítico
Qualquer exigência de vacina infantil pode ser impopular para muitos pais, pois uma pesquisa recente da Kaiser Family Foundation (KFF) realizada em outubro revelou que 53% dos pais de crianças de cinco a 11 anos estão “preocupados que seus filhos possam ser vacinados contra a Covid-19, mesmo que eles não queiram”.

A maioria dos pais de crianças de 5 a 11 anos de idade permanece hesitante em vacinar seus filhos, apesar das evidências de que as vacinas são seguras e eficazes, com a pesquisa da KFF descobrindo que 30% “definitivamente não” vacinarão seus filhos, 5% apenas o farão, se necessário, e 33% planejam “esperar para ver”.

Pano de fundo
Os cruzeiros têm sido uma fonte significativa de preocupação para a transmissão de Covid-19 desde os primeiros dias da pandemia, quando muitos navios se tornaram os principais vetores da infecção pela doença e resultaram em surtos generalizados. Como resultado, os cruzeiros foram fechados durante a maior parte da pandemia, antes de serem retomados no verão (no Hemisfério Norte), com medidas de segurança rigorosas em vigor.

Os requisitos de vacinas para cruzeiros têm sido controversos, apesar do alto potencial de transmissão de Covid-19. A Flórida – um dos principais centros de cruzeiros dos Estados Unidos – proibiu os navios de cruzeiro de exigir prova de vacinação.

Um juiz federal bloqueou a proibição em agosto, no entanto. A decisão dizia que a Norwegian Cruise Line poderia exigir vacinas em seus cruzeiros fora da Flórida. Um porta-voz do governador da Flórida, Ron DeSantis, disse anteriormente à Forbes que o Estado não aplicaria a proibição de prova de vacinação contra outras linhas de cruzeiro até que um tribunal de apelações decida sobre o caso.

Compartilhe esta publicação: