Ibovespa sobe 1,32% em dia de giro fraco

Reuters
Feriados no exterior reduziram volume de negócios

O principal índice da bolsa paulista subiu hoje (27), em dia de poucos negócios diante da falta de referência de Wall Street devido a feriado nos Estados Unidos, enquanto agentes do mercado avaliavam de forma positiva as manifestações em apoio ao governo do presidente Jair Bolsonaro ontem (26).

LEIA MAIS: Ibovespa tem terceira queda seguida

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa 1,32%, a 94.864,25 pontos. O giro financeiro somava R$ 8,6 bilhões.

Para profissionais do mercado financeiro, a leitura majoritária entre os agentes é que os protestos podem ajudar a pressionar o Congresso a aprovar a reforma da Previdência.

“Com o exterior mais morno, o cenário doméstico ganhou foco e o mercado está precificando que a reforma da Previdência ganhe força por conta das manifestações”, afirmou o Filipe Villegas, analista da Corretora Genial.

Bolsonaro classificou nesta segunda-feira de “extremamente significativas” e “históricas” as manifestações realizadas no domingo em todo o país, que apoiaram seu governo e de medidas propostas pelo Executivo ao Legislativo.

No domingo, Bolsonaro reconheceu que precisa conversar mais com as lideranças do Congresso, afirmando ter parte da culpa pela falta de diálogo, e disse que vai propor nesta semana um pacto aos presidentes do Legislativo e do Judiciário para colocar o Brasil no destino que a população quer.

O volume de negócios foi reduzido nas principais praças no exterior, com os mercados do Reino Unido e dos Estados Unidos fechados por feriados. As atenções nas outras regiões se voltaram para as eleições do Parlamento europeu, com a maioria das bolsas subindo após o pleito mostrar forte apoio a partidos pró-União Europeia.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).