Mercosul e Efta concluem negociações para acordo de livre comércio, diz Bolsonaro

Adriano Machado/Reuters
Presidente Jair Bolsonaro comemorou acordo com o Efta, hoje (23), em seu Twitter

O presidente Jair Bolsonaro afirmou no Twitter que o Mercosul concluiu hoje (23) negociações para um acordo de livre comércio com o Efta, bloco que reúne Suíça, Noruega, Islândia e Liechtenstein.

“Mais uma grande vitória de nossa diplomacia de abertura comercial”, disse Bolsonaro em postagem na rede social, acrescentando que o Efta tem PIB de US$ 1,1 trilhão e é o “9° maior ator comercial do mundo”.

LEIA MAIS: Bolsonaro diz que acordo UE-Mercosul entra em vigor em até 3 anos

O anúncio ocorre em um momento em que países membros da União Europeia, com quem o Mercosul concluiu negociações para um acordo comercial no final de junho, ameaçam se colocar contra os entendimentos entre os dois blocos, em meio à repercussão internacional das queimadas na Amazônia.

O presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou nesta sexta-feira que seu governo se oporá ao acordo comercial entre UE e Mercosul, porque Bolsonaro estava mentindo quando minimizou preocupações a respeito das mudanças climáticas na cúpula do G20, realizada em junho, no Japão.

Poucos minutos antes de anunciar o acordo com o Efta, Bolsonaro, também no Twitter, rebateu Macron, dizendo que lamentava sua posição. “Não somos nós que divulgamos fotos do século passado para potencializar o ódio contra o Brasil por mera vaidade”, disse o presidente.

A Irlanda, onde o agronegócio tem forte resistência ao acordo com o Mercosul, também disse nesta sexta-feira que se oporá ao acordo, que ainda depende de aprovação das casas legislativas do países dos dois blocos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).