WeWork terá mulher em conselho de administração

Getty Images
A We Company planejava se tornar pública com um conselho de sete membros homens

A The We Company, proprietária da WeWork, disse hoje (4) que irá adicionar uma mulher, Frances Frei, ao seu conselho de administração e revogou um pagamento de US$ 5,9 milhões ao seu presidente-executivo pelo direitos da marca “We” antes da oferta pública inicial da empresa.

LEIA MAIS: WeWork mostra aumento do prejuízo em registro de IPO

As medidas foram tomadas após críticas ao pedido de abertura de capital da We Company no mês passado, que mostrou que a empresa planejava ir a público com um conselho de administração totalmente masculino e divulgou o pagamento à empresa do presidente-executivo Adam Neumann.

“Frances Frei se juntará ao nosso conselho de administração após a conclusão desta oferta”, disse a empresa em um documento alterado para seu IPO. “Atualmente, ela é professora de gerenciamento de tecnologia e operações na Harvard Business School e presta serviços de consultoria de recursos humanos para a The We Company desde março de 2019”.

Originalmente, a We Company planejava se tornar pública com um conselho de sete membros homens, uma prática que grandes investidores, como a BlackRock, desaprovam.

A We Company, sediada em Nova York, fundada em 2010, viu sua receita dobrar para US$ 1,54 bilhão no primeiro semestre deste ano, embora seu prejuízo tenha sido 25% maior no período do que no ano anterior, em US$ 900 milhões.

Liderada pelo cofundador Adam Neumann, a empresa pretende abrir capital em um cenário turbulento de mercado, com a disputa comercial EUA-China contribuindo para o pior agosto de quatro anos em ações de Wall Street.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).