Dólar crava novos recordes históricos em sessão de atuação do BC

iStock
o dólar fechou em alta de 0,59%, a R$ 4,2398 na venda, mais de 2 centavos acima da máxima anterior

O dólar até desacelerou a alta depois de dois leilões extraordinários promovidos pelo Banco Central no mercado à vista, mas ainda assim fechou com folga em nova máxima recorde hoje (26), depois de ao longo do pregão disparar a quase R$ 4,28 e cravar novo pico histórico também para o intradia.

A onda de compra de moeda foi deflagrada depois de declarações dadas na véspera pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, indicando que o dólar alto veio para ficar.

LEIA MAIS: Dólar dispara e supera R$ 4,26 ante real

A força da moeda, contudo, também teve como respaldo a percepção de que o Banco Central estava hesitando em atuar no mercado cambial, o que forçou duas intervenções da autoridade monetária no mercado à vista.

No mercado interbancário, cujas operações se encerram às 17h, o dólar fechou em alta de 0,59%, a R$ 4,2398 na venda, mais de 2 centavos acima da máxima anterior – de R$ 4,2150 na venda, marcada na véspera (25).

Durante os negócios, a cotação cravou R$ 4,2785 na venda. Na compra, a moeda foi a R$ 4,2770, superando com folga a taxa de R$ 4,2482 na compra alcançada em 24 de setembro de 2015, quando os mercados domésticos sofriam com forte volatilidade logo depois de a S&P retirar do Brasil o grau de investimento.

Na B3, em que as operações vão até as 18h15, o contrato de dólar mais negociado subia 0,27%, a R$ 4,2400, após máxima de R$ 4,2775.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).