Ibovespa crava nova máxima de fechamento

Amanda Perobelli/Reuters
O volume financeiro da sessão somou R$ 18,67 bilhões

O Ibovespa renovou a máxima de fechamento hoje (4), mesmo tendo desacelerado no final, em sessão marcada pelo otimismo internacional com a possibilidade de um acordo comercial entre Estados Unidos e China.

LEIA MAIS: Ibovespa avança 0,9%, com menor temor de recessão global

O Ibovespa subiu 0,54%, a 108.779,33 pontos. O volume financeiro da sessão somou R$ 18,67 bilhões.

No primeiro dia com fechamento em novo horário (18h00 no horário de Brasília) o Ibovespa registrou o maior nível intradia, a 109.352,13 pontos.

A possibilidade de acordo entre EUA e China animou os mercados, com o secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, dizendo no domingo (3) que não havia razão para que o acordo não esteja no caminho certo para ser assinado ainda este mês.

O Ministério das Relações Exteriores da China disse que o presidente Xi Jinping e Donald Trump têm estado em contato, mas não detalhou quando e onde Xi poderá encontrar Trump.

Mercados globais reagiram com otimismo. Os índices europeus atingiram o nível mais alto em quase 2 anos, e bolsas norte-americanas registraram recordes. O S&P 500 avançou 0,37%.

No plano doméstico, a atenção é dividida com a temporada de balanços trimestrais, com Itaú Unibanco publicando seus resultados após a sessão.

Para analistas da XP Investimentos, os resultados do terceiro trimestre serão relativamente fracos, em geral, impactados pelo cenário econômico desafiador.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).