Gigantes chinesas de dispositivos móveis se unem para enfrentar Play Store, do Google

ReutersTobyMellvile
ReutersTobyMellvile

A plataforma visa facilitar a desenvolvedores de jogos e de outros aplicativos a venda de seus apps em mercados estrangeiros

A Xiaomi, a Huawei, a Oppo e a Vivo estão se unindo para criar uma plataforma para desenvolvedores fora da China fazerem o upload de aplicativos em todas as suas lojas de aplicativos simultaneamente, em uma medida que analistas dizem ter como objetivo desafiar o domínio da Play Store do Google.

As quatro empresas estão eliminando as falhas no que é conhecido como Global Developer Service Alliance (GDSA). A plataforma visa facilitar a desenvolvedores de jogos e de outros aplicativos a venda de seus apps em mercados estrangeiros, de acordo com pessoas com conhecimento do assunto.

A ideia inicial era que a GDSA fosse lançada em março, disseram fontes, embora não esteja claro como isso será afetado pelo recente surto de coronavírus.

Um site protótipo diz que a plataforma cobrirá inicialmente nove “regiões”, incluindo Índia, Indonésia e Rússia.

As quatro empresas se recusaram a comentar o assunto.

O Google, cujos serviços são proibidos na China, faturou cerca de US$ 8,8 bilhões em todo o mundo com a Play Store em 2019, disse Katie Williams, analista da Sensor Tower. O gigante de tecnologia – que não respondeu aos pedidos de entrevista – também vende conteúdo como filmes, livros e aplicativos na loja e cobra uma comissão de 30%.

LEIA MAIS: New York Times supera estimativas de receita com alta nas assinaturas digitais

“Ao formar essa aliança, cada empresa procurará aproveitar as vantagens das outras em diferentes regiões, como a forte base de usuários da Xiaomi na Índia, da Vivo e da Oppo no sudeste da Ásia e da Huawei na Europa”, disse Nicole Peng, vice-presidente de dispositivos móveis da Canalys.

Juntas, as quatro empresas representaram 40,1% dos envios mundiais de dispositivos móveis no quarto trimestre de 2019, segundo a consultoria IDC.

Embora a Oppo, a Vivo e a Xiaomi tenham acesso total aos serviços do Google nos mercados internacionais, a Huawei perdeu o acesso a novos dispositivos no ano passado, depois que os Estados Unidos proibiram fornecedores norte-americanos de vender bens e serviços para a empresa, citando preocupações com a segurança nacional.

A GDSA pode atrair alguns desenvolvedores de aplicativos ao fornecer mais exposição do que na abarrotada Play Store, e a nova plataforma pode oferecer melhores incentivos monetários, disseram analistas.

No entanto, gerenciar a aliança pode ser um desafio, disse Peng. “A execução é complicada, pois é difícil dizer qual empresa está ganhando mais peso e investindo mais nela. Não vimos o modelo de aliança funcionar bem no passado.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).