Economista-chefe do FMI diz que 100 países já buscaram ajuda por causa da pandemia

REUTERSRodrigo-Garrido
REUTERSRodrigo-Garrido

FMI considera sua capacidade de empréstimo – de US$ 1 trilhão – como “bastante substancial”

O Fundo Monetário Internacional (FMI) considera sua capacidade de empréstimo – de US$ 1 trilhão – como “bastante substancial” para auxiliar os membros a lidar com a pandemia do coronavírus, mas outros recursos podem ser necessários à medida que o impacto da crise atinge os países em desenvolvimento, afirmou hoje (14) a economista-chefe da entidade.

Gita Gopinath afirmou que 100 dos 189 membros do FMI – com metade sendo países de baixa renda – entraram em contato com o credor global acerca do recebimento de fundos de emergência para reforçarem seus esforços em conter a disseminação do novo coronavírus e mitigar seu impacto econômico.

LEIA MAIS: FGV: prévias dos índices de abril indicam menores níveis da história

Ela saudou um acordo entre credores internacionais para suspender o pagamento da dívida dos países mais pobres até o final do ano como um “passo muito, muito bom”, mas disse que as medidas de alívio da dívida podem ter de serem estendidas até 2021, já que o pior dos efeitos da pandemia ainda não havia sido sentido em muitos dos países mais pobres. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).