Os bilionários mais jovens dos EUA em 2019

DIvulgação Forbes USA
Na lista dos jovens mais ricos dos EUA predominam homens e donos de startups digitais

Resumo: 

  • A lista Forbes 400, que lista os mais ricos dos EUA, tem 13 membros com menos de 40 anos;
  • Deles, o mais rico é o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, de 35 anos; 
  • Lynsi Snyder, da cadeia de lanchonetes In-N-Out, é a única mulher do ranking.

Uma coisa é verdadeira já há algumas décadas: se você é jovem e deseja fazer fortuna, comece um negócio online.

Treze membros da lista Forbes 400 dos norte-americanos mais ricos têm menos de 40 anos. Quatro deles são herdeiros. Os outros nove lançaram empresas que operam digitalmente, transformando atividades rotineiras, como a forma como nos comunicamos com amigos e a maneira de comprar um carro usado.

LEIA MAIS: As 10 mulheres mais influentes entre as bilionárias dos EUA

O mais rico entre os com menos de 40 anos é o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, 35 anos, cuja fortuna cresceu US$ 8,6 bilhões, atingindo US$ 69,6 bilhões neste ano. Isso ocorreu mesmo depois que o Facebook recebeu uma multa recorde de US$ 5 bilhões da Federal Trade Commission, a agência de proteção ao consumidor dos EUA, em 24 de julho, por conta do tratamento de dados dos usuários. No mesmo dia, o Facebook divulgou resultados do segundo trimestre, mostrando que a receita havia crescido 28%. O preço das ações do gigante das mídias sociais subiu 15% no ano passado.

Dois outros com riqueza vinculada ao Facebook também estão entre os mais jovens da Forbes 400: o cofundador Dustin Moskovitz, nascido oito dias após Zuckerberg, e Sean Parker, 39 anos, que aos 24 se tornou presidente fundador do Facebook. Embora Parker tenha saído da empresa logo após brigar com os investidores, ele foi embora com o que mais tarde se tornaria muito valioso na empresa de mídia social.

Novo na lista deste ano está Ernest Garcia III, 37 anos, cofundador do site de comércio eletrônico de carros usados ​​Carvana. Em 2012, ele teve a ideia de vender carros online, mas seu chefe (e pai, Ernest II) tinha suas dúvidas. “Eu não tinha certeza de que as pessoas comprariam um carro usado online sem vê-lo”, diz Ernie II. Os Garcia já eram magnatas do motor, donos de uma grande quantidade de concessionárias de carros usados, de Atlanta a Albuquerque.

Ernie III conseguiu persuadir o pai, e hoje a Carvana é uma empresa de capital aberto com quase US$ 2 bilhões em vendas. As ações mais que dobraram desde janeiro. Ernie III é presidente e CEO, já seu pai é o maior acionista. Ernie III “simplesmente não para”, diz Ron Josey, diretor da JMP Securities. “É contagiante, e Ernie se cercou de um grupo de operadores realmente inteligentes.”

A lista também apresenta, pela quinta vez, um trio de magnatas da tecnologia, todos na faixa dos 30 anos. Os cofundadores do Airbnb, Nathan Blecharczyk, Brian Chesky e Joe Gebbia. O aplicativo de compartilhamento de residências vendeu uma participação acionária a investidores privados com uma avaliação de US$ 35 bilhões este ano e deve fazer uma oferta pública inicial em 2020. Em uma reportagem de capa da Forbes no ano passado, o CEO, Chesky, comentou sobre a abertura de capital: “A tabela de pontos para empresas mudou […] Antes, tratava-se realmente de métricas financeiras, e acho que agora as empresas estão percebendo que temos uma responsabilidade maior com a sociedade para garantir que a vida seja ótima.”

Também na capa da Forbes 400 do ano passado, estava Lynsi Snyder, a presidente de 37 anos da rede de hambúrguer favorita da Costa Oeste americana, a In-N-Out. A mulher mais jovem da lista, ela é uma das quatro herdeiras abaixo de 40 anos e a única com um papel ativo de liderança em sua empresa. Ela assumiu o comando após a morte de seu pai e tio e, desde então, expandiu a rede da Califórnia para o Texas e o Oregon. “Senti um apelo profundo para garantir a preservação das coisas que minha família gostaria”, disse ela à Forbes. “Nós nunca precisamos cortar os custos, olhar para os lados para ver o que todos estão fazendo ou mudar drasticamente as coisas e se comprometer”.

A lista de 2019 da Forbes tem uma pessoa com menos de 40 anos a mais do que no ano passado. Mesmo assim, o número ainda é menor do que os 23 que apareceram em 2000.

Veja na galeria a seguir os 13 mais jovens da Forbes 400:

  • Sean Parker

    Idade: 39

    Patrimônio: US$ 2,7 bilhões

    Fonte da riqueza: Facebook

    Parker, aos 19 anos, fundou o Napster, a plataforma gratuita de compartilhamento de músicas online que mais tarde enfrentou vários processos de direitos autorais. Ele marcou uma reunião com Mark Zuckerberg em 2004 e se tornou o primeiro presidente do Facebook, apesar de não ter ficado no cargo por muito tempo. Foi um dos primeiros a apoiar o Spotify e uma das principais forças por trás da criação das “Zonas de Oportunidades” (um programa para reduzir imposto de empresas que investem em áreas necessitadas).

  • Joe Gebbia

    Idade: 38

    Patrimônio: US$ 4,2 bilhões

    Fonte da riqueza: Airbnb

    Uma situação em que muitos recém-graduados podem se enxergar: mesmo depois de obter dois diplomas em design gráfico e design industrial, Gebbia lutava para encontrar um trabalho. Dois anos depois, ele cofundou a Airbnb, onde é diretor de produtos. Ele também ajudou a revisar as práticas de contratação da empresa.

  • Brian Chesky

    Idade: 38

    Patrimônio: US$ 4,2 bilhões

    Fonte da riqueza: Airbnb

    Assim como Gebbia, Chesky se graduou na Rhode Island School of Design. Em 2007, ele precisava de dinheiro para pagar o aluguel, então, a dupla resolveu cobrar de alguns participantes da conferência de design em São Francisco o aluguel de alguns colchões de ar no chão de seu apartamento. Antes, ele trabalhava como designer industrial em Los Angeles.

  • Ernest Garcia III

    Idade: 37

    Patrimônio: US$ 2,3 bilhões

    Fonte da riqueza: Vendas de carros usados online

    Garcia lançou a Carvana como uma subsidiária da varejista de carros usados ​​de seu pai, a DriveTime Automotive, onde era vice-presidente. Antes disso, teve uma pequena passagem por bancos de investimentos.

  • Lynsi Snyder

    Idade: 37

    Patrimônio: US$ 3,6 bilhões

    Fonte da riqueza: In-N-Out Burger

    Lynsi herdou a franquia In-N-Out, mas já passou por postos mais baixos dentro da rede, incluindo caixa e separadora de folhas de alface em um restaurante em Redding, na Califórnia. Aos 18, ela entrou no departamento de propaganda corporativa da rede de hambúrgueres. Ela virou presidente em 2010 e se manteve fiel ao cardápio clássico do In-N-Out, com exceção da adição de chocolate quente em 2018.

  • Scott Duncan

    Idade: 36

    Patrimônio: US$ 6,3 bilhões

    Fonte da riqueza: Gasodutos

    Duncan e seu três irmãos, todos com idade perto dos 50 anos, herdaram a empresa de gasodutos e oleodutos de seu falecido pai, a Enterprise Product Partners. Scott não tem envolvimento com o negócio, mas sua irmã mais velha, Randa Duncan Williams, dirige a empresa de capital aberto.

  • Nathan Blecharczyk

    Idade: 36

    Patrimônio: US$ 4,2 bilhões

    Fonte da riqueza: Airbnb

    Blecharczyk, cofundador do Airbnb, disse ter lançado uma empresa de software durante a faculdade. Esse seu negócio alcançou pessoas de mais de 20 países. Também era colega de quarto de Gebbia e acabou criando o primeiro site do Airbnb. Graduado em ciência da computação, ele é agora o diretor de estratégia da plataforma de aluguel de casas e o presidente do Airbnb China.

  • Mark Zuckerberg

    Idade: 35

    Patrimônio: US$ 69,6 bilhões

    Fonte da riqueza: Facebook

    Zuckerberg lançou o Facebook em 2004, ainda na faculdade. Em um mês, a rede social se expandiu para Stanford, Yale e Columbia. Até o final do ano, tinha um milhão de usuários. Ele abandonou Harvard no mesmo ano, embora Harvard tenha lhe concedido um doutorado honorário em 2017.

  • Dustin Moskovitz

    Idade: 35

    Patrimônio: US$ 11,6 bilhões

    Fonte da riqueza: Facebook

    Moskovitz, que era colega de quarto de Zuckerberg, cofundou o Facebook no dormitório que compartilhavam em Harvard e se tornou o primeiro diretor de tecnologia da empresa. Ele deixou o Facebook em 2008. A maior parte de sua riqueza está ligada à sua participação estimada de 2% na rede social. Seu segundo ato, uma empresa de software de gerenciamento de trabalho chamada Asana, agora é avaliada em US$ 1,5 bilhão.

  • Julio Mario Santo Domingo III

    Idade: 34

    Patrimônio: US$ 2,1 bilhões

    Fonte da riqueza: Cerveja

    O falecido avô de Santo Domingo recebeu ações da SABMiller quando ela adquiriu sua cervejaria colombiana em 2005. Hoje, Julio Mario possui participação na Anheuser-Busch InBev, que se fundiu com a SABMiller em 2016. Ele é DJ e trabalha para a Sheik ‘N’ Beik, um grupo de música eletrônica de Nova York.

  • Lucas Walton

    Idade: 33

    Patrimônio: US$ 18,1 bilhões

    Fonte da riqueza: Walmart

    Seu avô, Sam Walton, fundou a gigante do varejo Walmart. Lukas herdou sua parte depois que seu pai morreu em um acidente de avião em 2005. Estudou negócios ambientalmente sustentáveis ​​na Universidade de Colorado e ingressou na fundação da família, onde chefia o comitê do programa ambiental.

  • Bobby Murphy

    Idade: 31

    Patrimônio: US$ 3,7 bilhões

    Fonte da riqueza: Snap

    Bobby Murphy e seu companheiro de república em Stanford, Evan Spiegel, lançaram o popular aplicativo de compartilhamento de fotos Snapchat em 2011. Trabalhando hoje como CTO da Snap Inc., Murphy ajudou o aplicativo a encarar uma série de saídas executivas e problemas técnicos. O Snapchat está em um ano de virada, com número de usuários crescendo e preço de ações se recuperando.

  • Evan Spiegel

    Idade: 29

    Patrimônio: US$ 3,6 bilhões

    Fonte da riqueza: Snap

    No ensino médio, Spiegel promoveu a Red Bull como estagiário. Ele estreou na Forbes 400 em 2015, aos 25 anos. Pelo segundo ano consecutivo, Spiegel é o único membro da lista na casa dos 20 anos. Após alguns anos fora da faculdade, ele retornou a Stanford para se formar em 2018.

Sean Parker

Idade: 39

Patrimônio: US$ 2,7 bilhões

Fonte da riqueza: Facebook

Parker, aos 19 anos, fundou o Napster, a plataforma gratuita de compartilhamento de músicas online que mais tarde enfrentou vários processos de direitos autorais. Ele marcou uma reunião com Mark Zuckerberg em 2004 e se tornou o primeiro presidente do Facebook, apesar de não ter ficado no cargo por muito tempo. Foi um dos primeiros a apoiar o Spotify e uma das principais forças por trás da criação das “Zonas de Oportunidades” (um programa para reduzir imposto de empresas que investem em áreas necessitadas).

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).