Os 10 jogadores mais bem pagos da NFL em 2020

 Al Bello/Getty Images
Al Bello/Getty Images

Mesmo recebendo mais do que em 2019, Tom Brady caiu de 4º para 8º na lista dos jogadores mais bem pagos

O MVP do Super Bowl, Patrick Mahomes, venceu o duelo de quarterbacks da abertura da temporada da NFL na noite de ontem (10) com uma exibição eficiente de precisão no passe que levou o campeão Kansas City Chiefs a uma vitória de 34-20 sobre Deshaun Watson e o Houston Texans. Mas a estrela terá de esperar antes de reivindicar a vitória em um tipo diferente de competição.

Leia mais: Por dentro do iate de férias de Jay-Z e Beyoncé

Watson bateu Mahomes e ficou em 7º lugar no ranking dos jogadores mais bem pagos da NFL deste ano, com US$ 37,4 milhões, US$ 29,4 milhões em salários e bônus, ultrapassando o salário de US$ 10,8 milhões de seu rival do Chiefs. Ambos os quarterbacks assinaram novos contratos neste verão com extensões no valor de US$ 606 milhões, mas Mahomes terá de esperar para lucrar: seu acordo de US$ 450 milhões se estende por dez anos e não vai pagar mais de US$ 30 milhões por ano até pelo menos 2023.

Ao todo, espera-se que os dez jogadores mais bem pagos ganhem US$ 384 milhões combinados com salários e patrocínios, um aumento de 3% em relação ao ano anterior, embora paralisações por conta da pandemia possam reduzir isso se os jogos precisarem ser cancelados durante a temporada. Nove dos jogadores mais bem pagos são quarterbacks.

Contrariando o domínio dos QBs está Joey Bosa, que chega ao primeiro lugar com US$ 43,8 milhões de renda antes dos impostos, incluindo cerca de US$ 750 mil fora do campo. O defensive end do Los Angeles Chargers assinou uma extensão de contrato neste verão no valor de US$ 135 milhões ao longo de cinco anos, com US$ 42 milhões em bônus iniciais. Os US$ 78 milhões garantidos na assinatura foram um recorde para um jogador defensivo, ganho em parte pelos 40 sacks (quando um jogador defensivo derruba o quarterback adversário, fazendo com que o ataque perca jardas) que ele conseguiu em 51 jogos desde que foi draftado em 2016 pelos Chargers. Abaixo dele está um grupo de “passadores”, a posição cobiçada que foi a primeira escolha em 15 dos últimos 20 Drafts da NFL, com Watson entre eles.

O jovem de 24 anos entrou na NFL em 2017 com muito entusiasmo, depois de levar sua universidade, Clemson, a um campeonato nacional e ser nomeado duas vezes finalista do Troféu Heisman (que premia o melhor jogador universitário da temporada), ajudando-o a fechar contratos com Nike, Beats, Verizon, HEB e Reliant Energy, mesmo sendo novato na liga. Seu jogo fora dos campos atingiu um novo nível neste ano com lucrativos acordos de marketing nacional com a Amazon Web Services e a Samsung. Ele também lançou seu primeiro livro, “Pass It On” (“Passe à Frente”, em tradução livre), com lições de vida sobre como ser um líder.

Ele está seguindo o caminho de estrelas da NBA, como LeBron James e Kevin Durant, que buscam equity em empresas com determinados patrocínios. A Lefty’s Famous Cheesesteaks Hoagies & Grill anunciou Watson como um novo parceiro nesta semana. A rede de Michigan quer se expandir para o Texas, e Watson será franqueado, além de receber royalties e participação no negócio. O fabricante de suplementos nutricionais Zurvita e a plataforma de ativos colecionáveis ​​Rally Rd. são outros parceiros nos quais Watson detém uma parte da empresa. O quarterback vai ganhar cerca de US$ 8 milhões fora do campo neste ano, atrás apenas dos veteranos vencedores do Super Bowl, Drew Brees, Tom Brady e Aaron Rodgers.

Ao contrário das outras três principais ligas esportivas dos Estados Unidos, os contratos da NFL normalmente vêm sem garantias totais, o que leva os times a negociar bônus iniciais maciços para jogadores famosos. Nesta semana houve dois novos contratos recordes de DeAndre Hopkins e Jalen Ramsey, assinados dias antes da abertura da temporada de ontem, que estabeleceu novos valores para wide receivers (Hopkins em US$ 27,25 milhões por ano) e defensive backs (Ramsey em US$ 21 milhões), embora ambos tenham ficado fora do top 10.

Hopkins, que negociou sua própria extensão do contrato, reduziu seu salário-base de 2020 de US$ 12,5 milhões para US$ 1,5 milhão e embolsou um bônus de US$ 27,5 milhões na renovação. E embora os jogadores normalmente recebam seus salários-base completos durante a temporada, não há nada normal em 2020.

Leia também: Os 20 times mais valiosos da NFL em 2020

Vinte e seis dos 32 times da NFL vão jogar em estádios vazios para começar a temporada, devido às restrições do coronavírus. A liga testa jogadores diariamente para a doença, e depois que 17.519 exames foram administrados na semana passada aos jogadores, apenas um deu positivo. Isso pode não durar e, no caso de um surto, os jogadores perderão o pagamento por quaisquer jogos que sejam cancelados, semelhante à MLB. A lista de ganhos da Forbes conta que todos os jogos serão disputados.

Metodologia

A lista dos jogadores mais bem pagos da NFL da Forbes é baseada nos ganhos em campo, incluindo salários-base de 2020 e todos os bônus pagos durante o ano. Os incentivos baseados no desempenho individual ou da equipe em 2020 não estão incluídos. As estimativas de ganhos fora do campo são de patrocínios, licenças, aparições e produtos assinados com base em conversas com membros do setor.

  • 1. Joey Bosa, Defensive end
    Ganhos totais: US$ 43,8 milhões
    Salário/bônus: US$ 43 milhões
    Patrocínios: US$ 750 mil

    Os Chargers deram a Bosa o primeiro contrato de US$ 100 milhões na história da franquia em julho. Ele detém o direito de se gabar novamente na família como o maior ganhador. O irmão Nick ganhou um bônus de assinatura de US$ 22 milhões no ano passado do San Francisco 49ers, como a segunda escolha geral no Draft da NFL.

    Tim Warner/Getty Images
  • 2. Carson Wentz, Quarterback
    Ganhos totais: US$ 43,4 milhões
    Salário/bônus: US$ 39,4 milhões
    Patrocínios: US$ 4 milhões

    Sua extensão de contrato de US$ 128 milhões em junho de 2019 incluiu US$ 38 milhões em bônus em 2020. Wentz tem um vasto portfólio de patrocínio com a Nike, NRG, Bobcat, Amazon, Sanford Health, Bose, Scheels e BlackRidge Bank.

    Elsa/Getty Images
  • 3. Kirk Cousins, Quarterback
    Ganhos totais: US$ 42,5 milhões
    Salário/bônus: US$ 40 milhões
    Patrocínios: US$ 2,5 milhões

    Cousins ​​assinou uma extensão de contrato de dois anos e US$ 66 milhões com os Vikings em março, que incluiu um bônus de US$ 30 milhões. O QB chegou originalmente em Minnesota em 2018, após seis temporadas em Washington: o negócio de três anos e US$ 84 milhões estava totalmente garantido, uma raridade extrema em um contrato de vários anos na NFL.

    Ezra Shaw/Getty Images
  • 4. Dak Prescott, Quarterback
    Ganhos totais: US$ 39,4 milhões
    Salário/bônus: US$ 31,4 milhões
    Patrocínios: US$ 8 milhões

    Dak, que foi duas vezes ao Pro Bowl, evitou a segurança de um contrato de longo prazo e assinou sua “franchise tag” de um ano no valor de US$ 31,4 milhões para a temporada de 2020. Prescott tem sido uma estrela de patrocínios nos últimos anos como o QB dos Dallas Cowboys. Seus patrocínios atuais incluem Adidas, Pepsi/Frito-Lay, Sleep Number, AT&T, DirecTV e muito mais. Seus produtos personalizados também vendem muito bem.

    Ronald Martinez/Getty Images
  • 5. Drew Brees, Quarterback
    Ganhos totais: US$ 39 milhões
    Salário/bônus: US$ 25 milhões
    Patrocínios: US$ 14 milhões

    Brees, 41 anos, assinou uma extensão de contrato de dois anos com o Saints em março no valor de US$ 50 milhões, incluindo um bônus de assinatura de US$ 23 milhões. Ele ultrapassou Eli Manning este ano para ser o líder da NFL em ganhos em campo na carreira, com US$ 270 milhões.

    Andy Lyons/Getty Images
  • 6. Ryan Tannehill, Quarterback
    Ganhos totais: US$ 37,8 milhões
    Salário/bônus: US$ 37,5 milhões
    Patrocínios: US$ 300 mil

    Tannehill começou a temporada de 2019 como reserva, mas assumiu a posição de titular após seis jogos e liderou os Titans nos playoffs enquanto liderava a liga em estatísticas de passe. Sua recompensa: um contrato de quatro anos e US$ 118 milhões com o Tennessee. Ele ganhou o prêmio “Comeback Player of the Year” da NFL, dado ao jogador com melhor campanha de recuperação depois de um ano ruim.

    Stacy Revere/Getty Images
  • 7. Deshaun Watson, Quarterback
    Ganhos totais: US$ 37,4 milhões
    Salário/bônus: US$ 29,4 milhões
    Patrocínios: US$ 8 milhões

    Watson e sua agência, a Athletes First, apostam que o nativo da Georgia continuará ascendendo entre a elite do esporte. Sua extensão de quatro anos, em contraste com o contrato de dez anos de Mahomes, significa que Watson será um agente livre novamente após a temporada de 2025, aos 30 anos. A liga estará ainda mais rica com os novos acordos de TV, que começam na temporada de 2023, com um aumento potencial de 100% da média anual atual de US$ 7,5 bilhões.

    Christian Petersen/Getty Images
  • 8. Tom Brady, Quarterback
    Ganhos totais: US$ 37 milhões
    Salário/bônus: US$ 25 milhões
    Patrocínios: US$ 12 milhões

    Depois de duas décadas no New England Patriots, o seis vezes campeão do Super Bowl se transferiu para para Tampa em um contrato de US$ 50 milhões por dois anos. Neste ano, ele lançou a 199 Productions (relembrando a posição na qual foi draftado em 2000) para desenvolver documentários, longas-metragens e programas de TV. Sua última parceria é com o fabricante de óculos Christopher Cloos, que vai produzir uma coleção da marca Brady, com óculos e óculos de sol com luz azul.

    Maddie Meyer/Getty Images
  • 9. Jared Goff, Quarterback
    Ganhos totais: US$ 33 milhões
    Salário/bônus: US$ 31 milhões
    Patrocínios: US$ 2 milhões

    O Rams assegurou Goff, que foi a primeira escolha geral no Draft da NFL de 2016, no ano passado, depois dele levar o time de Los Angeles ao Super Bowl em apenas sua terceira temporada. O negócio de quatro anos, US$ 134 milhões, incluiu um bônus de US$ 21 milhões pago em março. Seus parceiros de patrocínio incluem Nike, Pizza Hut, Red Bull, BMW, Bose e Banana Republic.

    Kevin C. Cox/Getty Images
  • 10. Aaron Rodgers, Quarterback
    Ganhos totais: US$ 30,5 milhões
    Salário/bônus: US$ 21,5 milhões
    Patrocínios: US$ 9 milhões

    Rodgers, que já foi duas vezes MVP da liga expandiu seu portfólio fora dos campos. Em 2018, comprou uma participação minoritária no Milwaukee Bucks, time da NBA. O quarterback lançou um fundo de risco e crescimento de US$ 50 milhões no ano passado com a Roth Capital em 2019. Rodgers é um dos sócios gerais, junto de Nate Raabe e Byron Roth.

    Quinn Harris/Getty Images

1. Joey Bosa, Defensive end
Ganhos totais: US$ 43,8 milhões
Salário/bônus: US$ 43 milhões
Patrocínios: US$ 750 mil

Os Chargers deram a Bosa o primeiro contrato de US$ 100 milhões na história da franquia em julho. Ele detém o direito de se gabar novamente na família como o maior ganhador. O irmão Nick ganhou um bônus de assinatura de US$ 22 milhões no ano passado do San Francisco 49ers, como a segunda escolha geral no Draft da NFL.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).