Os 10 jogadores mais bem pagos da NFL em 2020

Mesmo recebendo mais do que em 2019, Tom Brady caiu de 4º para 8º na lista dos jogadores mais bem pagos da liga.

Kurt Badenhausen
Compartilhe esta publicação:
 Al Bello/Getty Images
Al Bello/Getty Images

Mesmo recebendo mais do que em 2019, Tom Brady caiu de 4º para 8º na lista dos jogadores mais bem pagos

Acessibilidade


O MVP do Super Bowl, Patrick Mahomes, venceu o duelo de quarterbacks da abertura da temporada da NFL na noite de ontem (10) com uma exibição eficiente de precisão no passe que levou o campeão Kansas City Chiefs a uma vitória de 34-20 sobre Deshaun Watson e o Houston Texans. Mas a estrela terá de esperar antes de reivindicar a vitória em um tipo diferente de competição.

Leia mais: Por dentro do iate de férias de Jay-Z e Beyoncé

Watson bateu Mahomes e ficou em 7º lugar no ranking dos jogadores mais bem pagos da NFL deste ano, com US$ 37,4 milhões, US$ 29,4 milhões em salários e bônus, ultrapassando o salário de US$ 10,8 milhões de seu rival do Chiefs. Ambos os quarterbacks assinaram novos contratos neste verão com extensões no valor de US$ 606 milhões, mas Mahomes terá de esperar para lucrar: seu acordo de US$ 450 milhões se estende por dez anos e não vai pagar mais de US$ 30 milhões por ano até pelo menos 2023.

Ao todo, espera-se que os dez jogadores mais bem pagos ganhem US$ 384 milhões combinados com salários e patrocínios, um aumento de 3% em relação ao ano anterior, embora paralisações por conta da pandemia possam reduzir isso se os jogos precisarem ser cancelados durante a temporada. Nove dos jogadores mais bem pagos são quarterbacks.

Contrariando o domínio dos QBs está Joey Bosa, que chega ao primeiro lugar com US$ 43,8 milhões de renda antes dos impostos, incluindo cerca de US$ 750 mil fora do campo. O defensive end do Los Angeles Chargers assinou uma extensão de contrato neste verão no valor de US$ 135 milhões ao longo de cinco anos, com US$ 42 milhões em bônus iniciais. Os US$ 78 milhões garantidos na assinatura foram um recorde para um jogador defensivo, ganho em parte pelos 40 sacks (quando um jogador defensivo derruba o quarterback adversário, fazendo com que o ataque perca jardas) que ele conseguiu em 51 jogos desde que foi draftado em 2016 pelos Chargers. Abaixo dele está um grupo de “passadores”, a posição cobiçada que foi a primeira escolha em 15 dos últimos 20 Drafts da NFL, com Watson entre eles.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O jovem de 24 anos entrou na NFL em 2017 com muito entusiasmo, depois de levar sua universidade, Clemson, a um campeonato nacional e ser nomeado duas vezes finalista do Troféu Heisman (que premia o melhor jogador universitário da temporada), ajudando-o a fechar contratos com Nike, Beats, Verizon, HEB e Reliant Energy, mesmo sendo novato na liga. Seu jogo fora dos campos atingiu um novo nível neste ano com lucrativos acordos de marketing nacional com a Amazon Web Services e a Samsung. Ele também lançou seu primeiro livro, “Pass It On” (“Passe à Frente”, em tradução livre), com lições de vida sobre como ser um líder.

Ele está seguindo o caminho de estrelas da NBA, como LeBron James e Kevin Durant, que buscam equity em empresas com determinados patrocínios. A Lefty’s Famous Cheesesteaks Hoagies & Grill anunciou Watson como um novo parceiro nesta semana. A rede de Michigan quer se expandir para o Texas, e Watson será franqueado, além de receber royalties e participação no negócio. O fabricante de suplementos nutricionais Zurvita e a plataforma de ativos colecionáveis ​​Rally Rd. são outros parceiros nos quais Watson detém uma parte da empresa. O quarterback vai ganhar cerca de US$ 8 milhões fora do campo neste ano, atrás apenas dos veteranos vencedores do Super Bowl, Drew Brees, Tom Brady e Aaron Rodgers.

Ao contrário das outras três principais ligas esportivas dos Estados Unidos, os contratos da NFL normalmente vêm sem garantias totais, o que leva os times a negociar bônus iniciais maciços para jogadores famosos. Nesta semana houve dois novos contratos recordes de DeAndre Hopkins e Jalen Ramsey, assinados dias antes da abertura da temporada de ontem, que estabeleceu novos valores para wide receivers (Hopkins em US$ 27,25 milhões por ano) e defensive backs (Ramsey em US$ 21 milhões), embora ambos tenham ficado fora do top 10.

Hopkins, que negociou sua própria extensão do contrato, reduziu seu salário-base de 2020 de US$ 12,5 milhões para US$ 1,5 milhão e embolsou um bônus de US$ 27,5 milhões na renovação. E embora os jogadores normalmente recebam seus salários-base completos durante a temporada, não há nada normal em 2020.

Leia também: Os 20 times mais valiosos da NFL em 2020

Vinte e seis dos 32 times da NFL vão jogar em estádios vazios para começar a temporada, devido às restrições do coronavírus. A liga testa jogadores diariamente para a doença, e depois que 17.519 exames foram administrados na semana passada aos jogadores, apenas um deu positivo. Isso pode não durar e, no caso de um surto, os jogadores perderão o pagamento por quaisquer jogos que sejam cancelados, semelhante à MLB. A lista de ganhos da Forbes conta que todos os jogos serão disputados.

Metodologia

A lista dos jogadores mais bem pagos da NFL da Forbes é baseada nos ganhos em campo, incluindo salários-base de 2020 e todos os bônus pagos durante o ano. Os incentivos baseados no desempenho individual ou da equipe em 2020 não estão incluídos. As estimativas de ganhos fora do campo são de patrocínios, licenças, aparições e produtos assinados com base em conversas com membros do setor.

  • 1. Joey Bosa, Defensive end
    Ganhos totais: US$ 43,8 milhões
    Salário/bônus: US$ 43 milhões
    Patrocínios: US$ 750 mil

    Os Chargers deram a Bosa o primeiro contrato de US$ 100 milhões na história da franquia em julho. Ele detém o direito de se gabar novamente na família como o maior ganhador. O irmão Nick ganhou um bônus de assinatura de US$ 22 milhões no ano passado do San Francisco 49ers, como a segunda escolha geral no Draft da NFL.

    Tim Warner/Getty Images
  • 2. Carson Wentz, Quarterback
    Ganhos totais: US$ 43,4 milhões
    Salário/bônus: US$ 39,4 milhões
    Patrocínios: US$ 4 milhões

    Sua extensão de contrato de US$ 128 milhões em junho de 2019 incluiu US$ 38 milhões em bônus em 2020. Wentz tem um vasto portfólio de patrocínio com a Nike, NRG, Bobcat, Amazon, Sanford Health, Bose, Scheels e BlackRidge Bank.

    Elsa/Getty Images
  • 3. Kirk Cousins, Quarterback
    Ganhos totais: US$ 42,5 milhões
    Salário/bônus: US$ 40 milhões
    Patrocínios: US$ 2,5 milhões

    Cousins ​​assinou uma extensão de contrato de dois anos e US$ 66 milhões com os Vikings em março, que incluiu um bônus de US$ 30 milhões. O QB chegou originalmente em Minnesota em 2018, após seis temporadas em Washington: o negócio de três anos e US$ 84 milhões estava totalmente garantido, uma raridade extrema em um contrato de vários anos na NFL.

    Ezra Shaw/Getty Images
  • 4. Dak Prescott, Quarterback
    Ganhos totais: US$ 39,4 milhões
    Salário/bônus: US$ 31,4 milhões
    Patrocínios: US$ 8 milhões

    Dak, que foi duas vezes ao Pro Bowl, evitou a segurança de um contrato de longo prazo e assinou sua “franchise tag” de um ano no valor de US$ 31,4 milhões para a temporada de 2020. Prescott tem sido uma estrela de patrocínios nos últimos anos como o QB dos Dallas Cowboys. Seus patrocínios atuais incluem Adidas, Pepsi/Frito-Lay, Sleep Number, AT&T, DirecTV e muito mais. Seus produtos personalizados também vendem muito bem.

    Ronald Martinez/Getty Images
  • 5. Drew Brees, Quarterback
    Ganhos totais: US$ 39 milhões
    Salário/bônus: US$ 25 milhões
    Patrocínios: US$ 14 milhões

    Brees, 41 anos, assinou uma extensão de contrato de dois anos com o Saints em março no valor de US$ 50 milhões, incluindo um bônus de assinatura de US$ 23 milhões. Ele ultrapassou Eli Manning este ano para ser o líder da NFL em ganhos em campo na carreira, com US$ 270 milhões.

    Andy Lyons/Getty Images
  • 6. Ryan Tannehill, Quarterback
    Ganhos totais: US$ 37,8 milhões
    Salário/bônus: US$ 37,5 milhões
    Patrocínios: US$ 300 mil

    Tannehill começou a temporada de 2019 como reserva, mas assumiu a posição de titular após seis jogos e liderou os Titans nos playoffs enquanto liderava a liga em estatísticas de passe. Sua recompensa: um contrato de quatro anos e US$ 118 milhões com o Tennessee. Ele ganhou o prêmio “Comeback Player of the Year” da NFL, dado ao jogador com melhor campanha de recuperação depois de um ano ruim.

    Stacy Revere/Getty Images
  • 7. Deshaun Watson, Quarterback
    Ganhos totais: US$ 37,4 milhões
    Salário/bônus: US$ 29,4 milhões
    Patrocínios: US$ 8 milhões

    Watson e sua agência, a Athletes First, apostam que o nativo da Georgia continuará ascendendo entre a elite do esporte. Sua extensão de quatro anos, em contraste com o contrato de dez anos de Mahomes, significa que Watson será um agente livre novamente após a temporada de 2025, aos 30 anos. A liga estará ainda mais rica com os novos acordos de TV, que começam na temporada de 2023, com um aumento potencial de 100% da média anual atual de US$ 7,5 bilhões.

    Christian Petersen/Getty Images
  • 8. Tom Brady, Quarterback
    Ganhos totais: US$ 37 milhões
    Salário/bônus: US$ 25 milhões
    Patrocínios: US$ 12 milhões

    Depois de duas décadas no New England Patriots, o seis vezes campeão do Super Bowl se transferiu para para Tampa em um contrato de US$ 50 milhões por dois anos. Neste ano, ele lançou a 199 Productions (relembrando a posição na qual foi draftado em 2000) para desenvolver documentários, longas-metragens e programas de TV. Sua última parceria é com o fabricante de óculos Christopher Cloos, que vai produzir uma coleção da marca Brady, com óculos e óculos de sol com luz azul.

    Maddie Meyer/Getty Images
  • 9. Jared Goff, Quarterback
    Ganhos totais: US$ 33 milhões
    Salário/bônus: US$ 31 milhões
    Patrocínios: US$ 2 milhões

    O Rams assegurou Goff, que foi a primeira escolha geral no Draft da NFL de 2016, no ano passado, depois dele levar o time de Los Angeles ao Super Bowl em apenas sua terceira temporada. O negócio de quatro anos, US$ 134 milhões, incluiu um bônus de US$ 21 milhões pago em março. Seus parceiros de patrocínio incluem Nike, Pizza Hut, Red Bull, BMW, Bose e Banana Republic.

    Kevin C. Cox/Getty Images
  • 10. Aaron Rodgers, Quarterback
    Ganhos totais: US$ 30,5 milhões
    Salário/bônus: US$ 21,5 milhões
    Patrocínios: US$ 9 milhões

    Rodgers, que já foi duas vezes MVP da liga expandiu seu portfólio fora dos campos. Em 2018, comprou uma participação minoritária no Milwaukee Bucks, time da NBA. O quarterback lançou um fundo de risco e crescimento de US$ 50 milhões no ano passado com a Roth Capital em 2019. Rodgers é um dos sócios gerais, junto de Nate Raabe e Byron Roth.

    Quinn Harris/Getty Images

1. Joey Bosa, Defensive end
Ganhos totais: US$ 43,8 milhões
Salário/bônus: US$ 43 milhões
Patrocínios: US$ 750 mil

Os Chargers deram a Bosa o primeiro contrato de US$ 100 milhões na história da franquia em julho. Ele detém o direito de se gabar novamente na família como o maior ganhador. O irmão Nick ganhou um bônus de assinatura de US$ 22 milhões no ano passado do San Francisco 49ers, como a segunda escolha geral no Draft da NFL.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: