5 razões por que seu pitch não funciona

GettyImages/FrancescoCartafotografo
GettyImages/FrancescoCartafotografo

A era do marketing digital oferece acesso a diversos clientes, mas requer um estilo novo de atuar

Resumo:

  • O mundo digital tornou a busca por cliques o novo motor do marketing;
  • É importante ter anúncios em sites relacionados com acordos de afiliação;
  • Propagandas e produtos conectados a eventos populares e que façam sentido costumam fazer sucesso;
  • A presença de influenciadores e celebridades que tenham relação com o produto também é incentivada.

No mundo digital de hoje, relações públicas buscam apenas uma coisa: cliques. As publicações estão gerando receita com cliques, engajamento e vendas. A monetização de artigos é a força motriz por trás do que é publicado ou não. A pressão para uma história de alto desempenho (pensando nos cliques) é o futuro e se o que é lançado não produzir cliques, parece que ninguém se importa.

LEIA MAIS: 3 lições de marketing que podem ser tiradas do novo vídeo viral de Kylie Jenner

Como publicitária há mais de 15 anos, trabalhando para marcas em diversas categorias, incluindo moda, beleza, fitness e entretenimento durante essa evolução digital, posso dizer algumas prováveis razões ​​para que seu pitch de venda não esteja dando certo e o que você pode fazer para mudar isso.

  • 1. Nenhum programa de afiliados

    Os programas de afiliados, acordos para veicular propagandas de sites de venda em páginas com assunto relacionado, permitem que as marcas ofereçam incentivos a uma rede de editores, geralmente uma porcentagem das vendas geradas pelo tráfego proveniente do site publicado para o site do vendedor.

    Hoje, a maioria dos canais de produtos online consiste em marcas com fortes programas de afiliados e comissões. É assim que muitas publicações estão ganhando dinheiro com os stories. Amazon, Macy e Nordstrom, entre muitos outros, dominaram esse espaço. Esses varejistas incentivam publicações que usam marcas vendidas em seus sites. Acredito que o surgimento dessa nova tendência é o motivo pelo qual os hiperlinks que levam para sites da própria marca se tornaram extintos. Se o produto da marca estiver à venda em um site de varejo que possua um programa de afiliados, os hiperlinks vão direcionar a esses varejistas e não diretamente ao site da marca.

    Conclusão: se você tem uma marca, recomendo criar uma forte oferta para publicações. Isso pode ser alcançado com tecnologias ou vendendo para algum dos principais varejistas da sua categoria.

    A desvantagem é que esses programas podem ser caros e levar tempo para funcionar e ganhar força dentro de maiores estratégias de marketing. Meu conselho é encontrar a rede certa, o orçamento mais confortável e partir daí.

    GettyImages/DongWenjie
  • 2. Nenhum nome famoso

    Temos de falar do clickbait. Você já se perguntou por que uma celebridade ou influenciador é mencionada no título de um artigo, mas não tem muito a ver com a história? Isso ocorre porque, na minha experiência, os nomes em alta têm um bom desempenho quando o assunto é gerar cliques.

    Como resultado, o apoio de influenciadores e celebridades se tornou uma parte importante da estratégia de relações públicas das marcas. Seja na mídia social ou digital, nomes que geram um grande volume de cliques podem ser inestimáveis ​​para a veiculação de uma marca.

    Envolver-se com talentos alinhados à sua marca de maneiras autênticas -como em uma campanha ou colaboração- permitirá que você use os nomes deles de maneiras que os leitores entendam e aceitem mais naturalmente.

    GettyImages/HeroImages
  • 3. Falta de momento cultural

    Semelhante a uma celebridade popular, a parceria com o nome de uma marca ou evento sazonal pode ajudar. No entanto, a veiculação de maneira autêntica e com os parceiros certos, alinhados com o DNA da marca, é fundamental para o uso dessa tática.

    Eventos online populares, como o Rock in Rio, Super Bowl e a Parada Gay, são exemplos perfeitos de como gerar histórias atraentes em torno de eventos populares. Vimos um grande fluxo de coleções “Pride” este ano em várias marcas. Isso deu a eles o que eu gosto de chamar de “capital de cliques”.

    GettyImages/HeroImages
  • 4. Conteúdo visual inexistente

    De acordo com diferentes estudos, pode levar de 7 a 16 pontos de contato para alcançar os consumidores antes que eles façam uma ação. Atualmente, com tantos canais de mídia, é uma necessidade absoluta que as marcas tenham um volume substancial de conteúdo de ativos visuais para distribuir.

    Os consumidores são altamente visuais e devem ser bombardeados com diversas imagens atraentes.

    GettyImages/dusanpetkovic
  • 5. Sem novidades interessantes

    Muitas marcas ficam frustradas quando lançam campanhas e veem grande divulgação na imprensa, mas então ela desaparece rapidamente. Isso ocorre porque não há novidade. As marcas precisam divulgar continuamente notícias para se manterem relevantes. Se uma marca está estagnada, pode sair do radar.

    Para divulgar uma marca, é preciso gerar histórias dinâmicas que incorporem os componentes acima e qualquer outra coisa que os consumidores acharem relevante e interessante. Resumidamente, ter um ótimo produto simplesmente não é mais suficiente. Como estrategistas de marca, lembre-se dos novos fundamentos ao criar sua fórmula de marketing. A mídia ainda precisa ganhar dinheiro. Ajude-os a ajudá-lo pensando nos cliques acima e além de qualquer outra coisa.

    GettyImages/TetraImages

1. Nenhum programa de afiliados

Os programas de afiliados, acordos para veicular propagandas de sites de venda em páginas com assunto relacionado, permitem que as marcas ofereçam incentivos a uma rede de editores, geralmente uma porcentagem das vendas geradas pelo tráfego proveniente do site publicado para o site do vendedor.

Hoje, a maioria dos canais de produtos online consiste em marcas com fortes programas de afiliados e comissões. É assim que muitas publicações estão ganhando dinheiro com os stories. Amazon, Macy e Nordstrom, entre muitos outros, dominaram esse espaço. Esses varejistas incentivam publicações que usam marcas vendidas em seus sites. Acredito que o surgimento dessa nova tendência é o motivo pelo qual os hiperlinks que levam para sites da própria marca se tornaram extintos. Se o produto da marca estiver à venda em um site de varejo que possua um programa de afiliados, os hiperlinks vão direcionar a esses varejistas e não diretamente ao site da marca.

Conclusão: se você tem uma marca, recomendo criar uma forte oferta para publicações. Isso pode ser alcançado com tecnologias ou vendendo para algum dos principais varejistas da sua categoria.

A desvantagem é que esses programas podem ser caros e levar tempo para funcionar e ganhar força dentro de maiores estratégias de marketing. Meu conselho é encontrar a rede certa, o orçamento mais confortável e partir daí.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).