Fintechs do Reino Unido são forçadas a suspender serviços após colapso da Wirecard

Empresa alemã de pagamentos foi à falência ontem (25), com US$ 4 bi em dívidas.

Redação
Compartilhe esta publicação:
michael dalder/reuters
michael dalder/reuters

Efeitos indiretos do colapso da Wirecard representaram um grande teste para as empresas digitais

Acessibilidade


Clientes de várias empresas financeiras digitais britânicas não conseguiram efetuar pagamentos ou acessar suas contas hoje (26), com o colapso da empresa alemã de pagamentos Wirecard causando problemas nas fronteiras.

A falência da Wirecard na quinta-feira, devendo quase US$ 4 bilhões, fez a Autoridade de Conduta Financeira do Reino Unido (FCA) impor restrições à unidade da empresa no país.

VEJA TAMBÉM: Conheça o banco secreto do setor de Fintech

Isso forçou empresas que dependiam dos serviços da Wirecard a suspender temporariamente seus próprios serviços, levando dezenas de clientes a reclamar nas redes sociais sobre não conseguir acessar serviços vitais – e seu dinheiro.

O emissor de cartões Curve detectou interrupção temporária dos serviços e orientou clientes a usar pagamento alternativos, enquanto o provedor de contas Pockit disse que as contas dos clientes ficariam inacessíveis por um curto período e que está trabalhando com a FCA para encontrar uma solução.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A FCA disse que as regras protegem e devolvem o dinheiro do cliente caso uma empresa entre em falência.

“A Wirecard está sob a exigência dos Regulamentos sobre Dinheiro Eletrônico para manter as medidas apropriadas para proteger o dinheiro dos clientes”, afirmou o órgão fiscalizador financeiro do Reino Unido.

Sarah Kocianski, chefe de pesquisa da consultoria fintech 11:FS, disse que os efeitos indiretos do colapso da Wirecard representaram um grande teste para as empresas digitais, que frequentemente dependem de serviços de back-end fornecidos por empresas maiores. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo: .

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: