Veja o crescimento da Amazon durante a pandemia em 5 números

GettyImages/ Anadolu Agency
GettyImages/ Anadolu Agency

Jeff Bezos viu seu patrimônio líquido aumentar em mais de 50% somente em 2020, graças ao ótimo desempenho da Amazon durante a crise do novo coronavírus

A pandemia do novo coronavírus causou estragos no setor do varejo no mundo todo. Mas, para a Amazon, do bilionário Jeff Bezos, não foi bem assim. A gigante registrou enorme crescimento no período.

Separamos cinco números que mostram a alta da Amazon.

LEIA MAIS: EXCLUSIVO: Érick Jacquin lança linha de molhos gourmet para pets

Veja na galeria de imagens a seguir:

  • US$ 570 bilhões
    É quanto a capitalização de mercado da Amazon ganhou até agora em 2020. No início do ano, a gigante do comércio eletrônico ostentava uma avaliação de cerca de US$ 920 bilhões. Depois que as ações se recuperaram da liquidação do mercado de coronavírus em março e atingiram novos recordes, a empresa agora vale US$ 1,49 trilhão. Isso faz da Amazon uma das maiores empresas do mundo, atrás apenas da Microsoft, que vale US$ 1,54 trilhão, e da Apple, avaliada em US$ 1,61 trilhão.

    GettyImages/ Chesnot
  • 63,3%
    As ações da Amazon aumentaram mais de 60% em 2020 e agora são negociadas a cerca de US$ 3.000 por ação. Elas chegaram a cerca de US$ 1.600 em meados de março, quando o mercado caiu em meio a amplos fechamentos de negócios devido à pandemia do novo coronavírus. Desde então, as ações se recuperaram da mínima de março, fechando acima de US$ 3.000 por papel pela primeira vez em 6 de julho. Existem várias razões para explicar este “aumento meteórico”, segundo o analista do Morningstar R. J. Hottovy. “Maior envolvimento dos membros Prime (especialmente para serviços de compras online)” e fortes taxas de uso para seus negócios na nuvem, o Amazon Web Services (AWS). A Morningstar atribui às ações uma estimativa de valor justo de US$ 2.750 por ação.

    GettyImages/ SOPA Images
  • US$ 178,5 bilhões
    Jeff Bezos, que atualmente detém uma participação de 11,1% na Amazon, viu seu patrimônio líquido aumentar em mais de 50% até agora em 2020. Ele é a pessoa mais rica do mundo: a Forbes estima sua fortuna em US$ 178,5 bilhões. No final de 2019, o bilionário tinha patrimônio de US$ 114,7 bilhões. A segunda pessoa mais rica é o cofundador da Microsoft Bill Gates, com um patrimônio líquido de US$ 113 bilhões.

    GettyImages/ Mint
  • US$ 75 bilhões
    É a quantidade mínima de receita que os analistas esperam da Amazon quando reportar ganhos do segundo trimestre na próxima semana, em 30 de julho. Mas para a Morningstar (como é o caso de muitas grandes ações de tecnologia hoje), o mercado voltou a um pensamento de “crescimento acima de rentabilidade” quando se trata da Amazon. Espera-se que a empresa relate pelo menos US$ 4 bilhões em despesas relacionadas ao coronavírus, o que pode pressionar seus lucros operacionais, segundo Hottovy. Desde abril, a Amazon e Bezos enfrentam reações adversas devido a condições inadequadas de segurança e trabalho em meio ao coronavírus, o que levou a protestos de trabalhadores. Desde então, a empresa prometeu gastar mais dinheiro na reformulação dos protocolos de saúde e segurança no local de trabalho.

    GettyImages/ Chesnot
  • US$ 3.800 por ação
    Analistas das empresas de investimento Jefferies e Goldman Sachs aumentaram suas metas de preço na Amazon para US$ 3.800 por ação. Essa é a estimativa mais alta de Wall Street. Ambas as empresas citaram o crescente negócio de comércio eletrônico da Amazon (incluindo um crescimento sustentado das vendas online na América do Norte) e um grande potencial de crescimento em relação ao segmento de nuvem, o AWS. Segundo analistas da Goldman, os dados da Mastercard indicam que o segmento de comércio eletrônico da Amazon cresceu 93% em maio em relação ao ano anterior.

    GettyImages/ picture alliance

US$ 570 bilhões
É quanto a capitalização de mercado da Amazon ganhou até agora em 2020. No início do ano, a gigante do comércio eletrônico ostentava uma avaliação de cerca de US$ 920 bilhões. Depois que as ações se recuperaram da liquidação do mercado de coronavírus em março e atingiram novos recordes, a empresa agora vale US$ 1,49 trilhão. Isso faz da Amazon uma das maiores empresas do mundo, atrás apenas da Microsoft, que vale US$ 1,54 trilhão, e da Apple, avaliada em US$ 1,61 trilhão.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).