AMD faz acordo para comprar rival Xilinx por US$ 35 bi

Aly Song/Reuters
Aly Song/Reuters

O acordo entre a AMD e a Xilinx vai criar uma companhia com força de engenharia de 13.000 trabalhadores

A projetista de microprocessadores AMD anunciou hoje (27) a compra da rival Xilinx por US$ 35 bilhões em ações, intensificando competição com a Intel no mercado de centrais de processamento de dados.

O acordo, que a AMD espera concluir até o final de 2021, vai criar uma companhia com força de engenharia de 13.000 trabalhadores e com uma estratégia totalmente terceirizada e dependente em alto grau da Taiwan Semiconductor Manufacturing (TSMC).

LEIA MAIS: Intel eleva previsões de vendas e lucro do ano

As duas companhias norte-americanas têm se beneficiado de uma estratégia mais enxuta para conquistar participação de mercado da Intel, que tem enfrentado dificuldades com a produção de seus processadores.

Desde que a presidente-executiva da AMD assumiu o comando da empresa em 2014, ela vem concentrando a estratégia de enfrentar a Intel no mercado de data centers, onde aplicações de computação em nuvem como telecomunicações e inteligência artificial são processadas.

A Xilinx também tem trabalhado para ampliar sua participação de mercado neste segmento, com processadores programáveis que ajudam a acelerar tarefas especializadas como compressão de vídeo ou codificação de dados. A principal rival da empresa na área, Altera Corp, foi comprada pela Intel em 2015 por US$ 16,7 bilhões.

“Há algumas áreas onde somos muito fortes e vamos poder acelerar parte da adoção da família de produtos da Xilinx”, disse Su à Reuters. “E há algumas áreas em que a Xilinx é muito forte e acreditamos que vamos poder acelerar alguns produtos da AMD.”

O negócio foi anunciado em um momento em que a tecnologia de produção da Intel ficou anos defasada em relação à da TSMC. A AMD, que vendeu suas fábricas quase uma décadas atrás, disparou com chips que possuem performance melhor, segundo especialistas. A vantagem de performance ajudou a AMD a ganhar terreno desde 2013, quando sua fatia do mercado era de menos de 20%. Neste ano, as ações da AMD acumulam valorização de 79%.

VEJA TAMBÉM: Arábia Saudita lança estratégia nacional de inteligência artificial

A Xilinx também usa as fábricas da TSMC para produzir seus chips e ambas as companhias norte-americanas usam projetos modulares que as ajudam a substituir diferentes partes de um processador para evitar gargalos ou atrasos de produção.

A AMD também divulgou resultados trimestrais hoje. A companhia teve receita de US$ 2,8 bilhões e lucro equivalente a US$ 0,41 por papel, superando expectativas de Wall Street de US$ 0,36, segundo dados da Refinitiv. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).