Produção global de vinho sofre redução por crise do coronavírus

Regis Duvignau/Reuters
Regis Duvignau/Reuters

É o segundo ano consecutivo em que a produção global de vinho fica abaixo da média depois de alcançar altas quase recordes em 2018

A produção global de vinho continuará abaixo da média de cinco anos em 2020, já que foi reduzida pelos volumes baixos da América do Sul e pelo limites de produção da União Europeia, depois que a crise do coronavírus fez as vendas caírem, disse um órgão internacional do setor hoje (27).

Em estimativas iniciais sobre a produção mundial de vinho deste ano, a Organização Internacional de Vinícolas e Vinhos (OIV) calculou algo entre 253,9 milhões e 262,2 milhões de hectolitros (mhl), com uma estimativa média de 258 mhl.

LEIA MAIS: Consumo de vinho: garrafas mais caras são tendência, diz vice-presidente da World Wine

Trata-se do segundo ano consecutivo em que a produção global de vinho fica abaixo da média depois de alcançar altas quase recordes em 2018, informou a organização sediada em Paris.

“Isto não deve necessariamente ser considerado uma má notícia para o setor do vinho, dado o contexto atual, no qual tensões geopolíticas, mudança climática e a pandemia de Covid-19 estão gerando um grau alto de volatilidade e incerteza no mercado global de vinho”, disse a OIV em uma apresentação.

Na UE, os vinhedos se beneficiaram das condições climáticas boas, mas a produção continuou abaixo da média porque produtores e governos a limitaram para se contraporem ao impacto negativo da pandemia, disse a OIV.

No Hemisfério Sul, estima-se que a produção total de 2020 recuará 8% na comparação com 2019 e ficará em 49 mhl, principalmente por causa das quedas acentuadas na Argentina (-17% em relação a 2019), Chile (-13%) e Austrália (-11%), informou a OIV. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).