Outro Musk que está ficando rico com a Tesla: o irmão mais novo de Elon

O irmão mais novo de Elon, Kimbal Musk, foi um dos primeiros investidores na montadora de carros elétricos e atua no conselho da empresa desde 2004.

Rachel Sandler
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Ele também possui cerca de US$ 2 milhões em ações da Chipotle

Acessibilidade


O rápido aumento do preço das ações da Tesla fez do CEO, Elon Musk, a pessoa mais rica do mundo este ano, mas ele não é o único membro da família Musk a lucrar.

O irmão mais novo de Elon, Kimbal Musk, foi um dos primeiros investidores na montadora de carros elétricos e atua no conselho da empresa desde 2004. É um trabalho lucrativo. A Forbes estima de forma conservadora que Kimbal Musk tem um patrimônio líquido de cerca de US$ 700 milhões. Isso se deve, em grande parte, à sua participação de 0,04% na Tesla, em que conta com 172.250 ações da Tesla, no valor de cerca de US $ 170 milhões, na cotação de 9 de novembro.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Ele também possui cerca de US$ 2 milhões em ações da Chipotle, onde também é diretor, e provavelmente tem uma participação na SpaceX, a empresa privada de voos espaciais de Elon Musk, da qual Kimbal também faz parte do conselho.

O filho mais novo de Maye e Errol Musk, Kimbal cresceu na África do Sul e foi para Queen’s University em Ontário, Canadá, com Elon (Elon saiu após dois anos para terminar sua graduação na Universidade da Pensilvânia). Após se formar em 1995, Kimbal e Elon fundaram a Zip2, uma empresa de software que foi adquirida pela Compaq em 1999.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Depois disso, ele investiu na X.com, a próxima startup do Elon, que eventualmente se tornou parte do Paypal, de acordo com a CNBC. Ele se juntou ao conselho da Tesla no mesmo ano em que Elon investiu $ 6,5 milhões para se tornar o maior acionista da empresa e presidente do conselho.

Kimbal investiu na Tesla com seu próprio dinheiro e também recebeu valiosas opções de ações ao longo dos anos como compensação por seu serviço no conselho. Em 2008, no auge da recessão, os investimentos pessoais de Kimbal fracassaram, então ele vendeu seus ativos restantes e os colocou na Tesla para ajudar a empresa em dificuldades a se manter viva, de acordo com a biografia de 2015 do jornalista Ashlee Vance “Elon Musk: Tesla, SpaceX, e a busca por um futuro fantástico. ”Eu estava perto da falência”, disse Kimbal a Vance.

Não está claro quanto Kimbal investiu; um porta-voz diria apenas que ele foi um “investidor inicial”. De acordo com os arquivos da Securities and Exchange Commission, Kimbal participou de uma rodada de financiamento de 2008, na qual os investidores emprestaram dinheiro à Tesla em troca de uma nota conversível para comprar ações com desconto. Kimbal ficou com 594.857 ações. Ninguem sabe se ele investiu mais de seu próprio dinheiro no negócio ao longo dos anos.

O que está claro: a participação de Kimbal na Tesla foi altamente lucrativa para ele. Desde a oferta pública inicial do fabricante de carros elétricos em 2010, ele vendeu quase US$ 230 milhões (antes dos impostos) em ações da Tesla. Isso inclui uma venda massiva de ações na sexta-feira passada (5), pouco antes do preço das ações da Tesla afundar 12% após a pesquisa do Twitter de Elon que fez com que as ações caíssem. A Forbes estima que Kimbal contava com US$ 752 milhões antes de as ações caírem.

Além disso, Kimbal está usando uma tática testada e comprovada dos ultra-ricos para conseguir ainda mais dinheiro: fazer empréstimos contra suas ações. De acordo com os arquivos da SEC, em julho Kimbal havia prometido 599.740 ações da Tesla – todas as ações que ele possuía – como garantia para empréstimos pessoais. A Forbes descontou sua participação na Tesla para contabilizar as ações prometidas.

O assento do conselho de Kimbal não passou sem queixas de nepotismo. Em 2018, um grupo de administradores de fundos de pensão e acionistas ativistas tentou, mas não conseguiu, destituir Kimbal do conselho. Eles argumentaram que os laços familiares de Kimbal o impedem de servir como um diretor independente.

O grupo também destacou que Kimbal “não tem experiência profissional na indústria automobilística” e “se mostrou ineficaz como diretor de empresa pública na Chipotle”. Outra proposta em outubro, da consultoria de procuração Institutional Shareholder Services, tentou expulsar Kimbal e o diretor James Murdoch do conselho devido ao que o ISS considerou sua “compensação excessiva” em opções de ações.

“Não há explicação de por que a magnitude das concessões de opções é tão maior do que a remuneração dos conselheiros em empresas semelhantes”, diz um relatório sobre o tema ISS. A ISS se recusou a elaborar sua proposta.

Em um comunicado, Kimbal não abordou diretamente seu patrimônio líquido, mas, em vez disso, enviou à Forbes uma longa carta sobre sua filosofia de investimento e filantropia.

“Somos inspirados pela próxima geração de jovens agricultores, empresários e inovadores que estão ajudando a combater a mudança climática cultivando alimentos locais mais nutritivos, reduzindo o desperdício de alimentos e criando carne regenerativa, bem como vegetal e celular”, disse Kimbal em a declaração.

Fora da Tesla, Kimbal é dono de restaurante e investidor na área de alimentação. Na mesma época, ele se juntou ao conselho da Tesla, Kimbal foi cofundador do The Kitchen Restaurant Group, que opera três cadeias de restaurantes em todo o país. Ele foi cofundador da startup de agricultura urbana Square Roots em 2016 e investiu no serviço de assinatura de refeição Everytable e na empresa de carnes cultivadas em laboratório Upside Foods, entre outras startups.

Kimbal também fundou a Big Green, uma organização sem fins lucrativos que cria hortas em escolas e tem como objetivo ensinar os alunos sobre nutrição, saúde e alfabetização alimentar.

Compartilhe esta publicação: