Forte demanda por artigos de luxo impulsiona vendas da Richemont no fim de 2021

Vendas da empresa chegaram a € 5,658 bilhões.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Denis Balibouse/Reuters
Denis Balibouse/Reuters

As vendas da Richemont subiram para € 5,658 bilhões no final de 2021

Acessibilidade


A forte demanda por joias e relógios nas Américas e na Europa levou as vendas trimestrais da Richemont, dona da Cartier, a crescer em quase um terço, disse o segundo maior grupo de luxo do mundo hoje (19).

As vendas da Richemont subiram para € 5,658 bilhões no trimestre encerrado em dezembro, um aumento de 32% excluindo oscilações cambiais. O desempenho foi 38% melhor que o trimestre de Natal de 2019 antes da pandemia, disse a Richemont.

LEIA TAMBÉM: Ações de luxo e mineração avançam e mercado europeu recupera parte das perdas

As ações, que caíram ligeiramente até agora este ano após um salto de 71% no ano passado, subiram 5,7% no início do pregão após as vendas acima do esperado.

A demanda por produtos de luxo se recuperou fortemente dos piores momentos da pandemia – a italiana Prada e a britânica Burberry também registraram números fortes esta semana – e a Richemont se beneficia de sua exposição à joalheria em rápido crescimento.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

As vendas de relógios de alta qualidade também se recuperaram em 2021, com as exportações de relógios suíços ligeiramente acima dos níveis de 2019 no final de novembro.

As vendas das marcas de joias Richemont Cartier, Buccellati e Van Cleef & Arpels aumentaram 38%, enquanto as vendas de relojoeiros especializados, incluindo as marcas IWC e Vacheron Constantin, aumentaram 25% em ante mesma etapa do ano anterior.

As Américas tiveram o maior crescimento – 55% – seguidas pela Europa com 42%. A China, que já havia se recuperado do pior da pandemia, cresceu apenas 7%, disse a Richemont.

Para aumentar as vendas e as margens, a Richemont está se afastando do atacado para lojas varejistas e canais online. As vendas diretas aos consumidores aumentaram ainda mais, agora representando 78% das vendas do grupo, e as vendas no varejo online também aumentaram 19%, disse a empresa.

Compartilhe esta publicação: