“Para o online estar bom, o offline tem que estar incrível”, diz Camila Coutinho

Empreendedora digital diz que o mundo da moda pode mudar muito com a pandemia.

Daniel Veloso
Compartilhe esta publicação:
Victor Affaro
Victor Affaro

Camila Coutinho dá muita atenção aos relacionamentos humanos para aumentar a qualidade de seu conteúdo de moda na internet

Acessibilidade


Reconhecida internacionalmente como digital influencer e especialista em moda, Camila Coutinho, convidada para uma live com o CEO e publisher da Forbes, Antonio Camarotti, já é “de casa”. Eleita Under 30 na edição 2015 e uma das mulheres mais poderosas do Brasil da lista deste ano, a pernambucana falou sobre empreendedorismo feminino e o futuro dos influenciadores digitais.

Fundadora do blog “Garotas Estúpidas”, Camila relembrou o início, aos 18 anos, quando se inspirava nos blogs norte-americanos e ainda não tinha o objetivo de ser referência para milhões de seguidores. Uma das pioneiras na construção de um negócio digital, a influencer conquistou a independência financeira aos 23 anos.

LEIA MAIS: TikTok ganha força e supera Facebook e Instagram

A influenciadora lembrou o apoio da família quando decidiu buscar uma carreira inusitada para a época: “Sempre fui muito livre para fazer o que quisesse da minha profissão e tive muito apoio. Isso dá gás e coragem para seguir em frente”. Depois de uma conversa com o pai, Camila revela que começou a levar a sério a ideia de ser uma influenciadora digital com o blog, que já possuía mais de 2 mil seguidores.

Com mais de 2,6 milhões de seguidores no Instagram, atualmente, Camila teve a sensibilidade – e a coragem – de mudar quando achou necessário. “Um dos maiores desafios que enfrento é a reinvenção. O mercado está mudando toda hora e há pessoas novas entrando no jogo a todo momento. E uma das coisas importantes na hora de se reinventar é ter a humildade de admitir que você não sabe tudo”, disse.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A empreendedora digital também falou sobre a ideia por trás da mudança de direção que o “Garotas Estúpidas” sofreu há cerca de um ano. Ao buscar uma maior atualização, Camila precisou reformular a plataforma – e não se arrependeu. Mais uma vez, o espírito empreendedor e “inquieto” a ajudou a conquistar bons resultados.

Questionada sobre como faz para se manter sempre atualizada, Camila afirmou: “Para o online estar bom, o offline tem que estar incrível. É preciso viver, circular, conversar com as pessoas”.

Sobre o atual momento dos influenciadores digitais, Camila entende que o cenário está passando por uma transição do individualismo para a pauta da sociedade como um todo: “As pessoas têm voz. Não adianta você estabelecer um canal de comunicação onde só a sua opinião é válida. Precisamos estar sensíveis às mudanças no mundo”, analisou.

LEIA TAMBÉM: O “novo normal” do turismo pós pandemia passa pela diminuição do overtourism, diz Patrick Mendes

Para Camila, o futuro da moda na era “pós-Covid” será diverso. Algumas pessoas passarão a escolher marcas de acordo com um posicionamento pessoal mais forte, enquanto outras continuarão consumindo sem se importar muito com o assunto.

Além disso, o slow fashion – prática de fabricação de moda que preza pelo local em relação ao global e promove consciência socioambiental – promete se fortalecer nesse novo cenário: “Esse é um tema que já está sendo discutido há muito tempo, mas as pessoas não estavam prontas para consumi-lo. Agora elas estão”. Para Camila, essa é uma oportunidade para que as marcas ganhem valor aos olhos dos consumidores.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: