Setin aposta em inovação para avançar no mercado imobiliário

Divulgação
Divulgação

A COO da empresa, Bianca Setin: foco em vendas online

Com a centralidade do ambiente doméstico trazida pela Covid-19, a incorporadora Setin está apostando em inovação tecnológica e de processos para atingir seus objetivos de crescimento em vendas de até 25% em 2021.

No próximo ano, a empresa prevê o maior número de empreendimentos de sua história de 41 anos na cidade de São Paulo, com oito projetos a serem lançados com valor geral de venda em torno de R$ 1,1 bilhão. O tipo de imóveis com maior procura mudou desde o início da crise, com maior demanda por espaços onde seja possível trabalhar e morar, bem como prédios com funcionalidades que apoiem a vida na pandemia.

Siga todas as novidades da Forbes Insider no Telegram

Segundo Bianca Setin, chief operations officer (COO) da companhia, inovação é um tema que tem estado cada vez mais presente na discussão dos rumos estratégicos da Setin para atender às novas demandas de mercado após a emergência da pandemia. A família à frente da incorporadora teve sua primeira incursão no mundo das startups no ano passado, quando investiu na Uotel, que preenche o gap entre o serviço de players como Airbnb e hotéis.

Neste contexto, a empresa está analisando formas de se aproximar ainda mais do ecossistema de startups. “É um estudo que estamos fazendo. Eu e o [fundador e diretor presidente da companhia] Antônio Setin tratamos disso pessoalmente, e a inovação é uma conversa quase que diária, parte da nossa rotina”, diz a executiva, em entrevista à Forbes. “Óbvio que muitas vezes a gente esbarra em aspectos como custo, mas estamos sempre com esse olhar, de trazer a inovação para os nossos produtos”, pontua.

LEIA MAIS: EXCLUSIVO: Tenda investe em construção off-site para expandir atuação no Brasil

A VOLTA DO HOME OFFICE

Segundo Bianca, a relação das pessoas com o lar mudou radicalmente nos últimos meses, e a empresa passou por um processo de adaptação de seus projetos para responder às novas necessidades de consumidores, que passaram a ser levadas em conta nos projetos concebidos desde março.

“As pessoas buscam um contato maior com o sol, com a natureza, com varandas e dormitórios maiores, com áreas verdes de uso comum e ambientes de coworking [nos prédios] no caso de apartamentos menores”, ressalta.

O ambiente de home office, que era presente há mais de uma década nos projetos de apartamentos e havia se perdido em anos recentes, voltou com força, segundo Bianca: “Hoje, com a possibilidade de trabalhar em qualquer lugar e a adoção massiva do home office, adequamos nossos produtos pensando nesse espaço específico”, aponta.

VEJA TAMBÉM: QuintoAndar anuncia precificação inteligente

Nos empreendimentos da Setin, o home office nos apartamentos maiores, de cerca de 140 m2 de três dormitórios, aparece de diversas formas: a área de trabalho pode, por exemplo, ser criada dentro da suíte master, integrada ao closet. Parte da sala de estar também pode dar lugar a um quarto dormitório, que é o ambiente exclusivo de home office, com isolamento acústico.

Para além da disposição dos apartamentos, a Setin oferece incrementos tecnológicos para seus clientes que vão de características padrão em certos empreendimentos, como fechaduras biométricas e tomadas USB, até a automação total de itens como persianas e integração de som e TV.

Nos espaços comuns, a ideia é trabalhar com a Hubert, que administra muitos dos negócios da Setin, e expandir o uso de portaria digital e assembleias digitais, com funções disponíveis ao morador através de um app. Lockers inteligentes, também operados pelo celular, estão sendo implementados nos prédios para responder ao aumento no uso de serviços de delivery e a demanda por serviços sem contato.

No entanto, segundo Bianca, a empresa é cautelosa quando o assunto é trazer tecnologia de ponta para seus empreendimentos: “Quando falamos em tecnologia hoje, o maior entrave é o custo de aplicação destes produtos”, diz a executiva, referindo-se a considerações como o valor destes itens, o repasse destes gastos ao consumidor e o retorno no investimento.

TRANSFORMAÇÃO

Segundo Bianca, a Setin atravessou uma transformação digital significativa nos últimos meses no que diz respeito às vendas dos apartamentos, com a jornada de compra acontecendo de forma cada vez mais virtual e incluindo a assinatura digital de contratos – neste último estágio, a empresa está testando o uso de blockchain, apesar dos entraves relacionados a cartórios preparados para utilizar a tecnologia.

“Hoje consigo fazer uma venda 90% digital – o processo só não é feito inteiramente desta forma porque o cliente ainda quer ver o apartamento pessoalmente”, aponta a COO da companhia, ressaltando que mesmo com a necessidade desta visita pessoal, a empresa disponibiliza tours virtuais, com imagens 3D de alta qualidade.

VEJA MAIS: Loft compra fintech de crédito imobiliário Invest Mais

A empresa não divulga qual é o percentual atual de vendas online, mas diz que o objetivo da companhia é fazer com que as operações pelos canais digitais aumentem nos próximos meses. Além disso, vai continuar buscando formas de trazer mais inovação tecnológica para os diversos aspectos de seu business.

“Espero que daqui um ano a gente consiga aumentar o nosso percentual de vendas online. Esse é o nosso maior desafio, aumentar a transformação [nesta área do negócio]”, diz a executiva, acrescentando que a digitalização da força de trabalho é um processo em andamento. “Estamos com equipes bem formadas nesse sentido, mas é uma evolução diária.”

Angelica Mari é jornalista especializada em inovação há 18 anos, com uma década de experiência em redações no Reino Unido e Estados Unidos. Colabora em inglês e português para publicações incluindo a FORBES (Estados Unidos e Brasil), BBC e outros.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).