3 sinais de que sua equipe está falhando por conta do estresse do home office

Getty Images / Westend61
É necessário identificar as evidências de funcionários lutando psicologicamente com o afastamento para avaliar a equipe e intervir de forma apropriada

Durante o primeiro mês de trabalho em casa, muitos funcionários estavam em um estado de “semi-choque”. Havia tanta energia concentrada em apenas descobrir a logística do trabalho remoto que não sobrava tempo para lidar com os aspectos emocionais.

No entanto, à medida que as pessoas se estabelecem em uma rotina e que o pânico com a adaptação ao home office diminui, é possível identificar sinais preocupantes das pressões emocionais enfrentadas pelos funcionários que trabalham em casa.

VEJA MAIS: 6 dicas para trabalhar em casa sem enlouquecer

O contexto atual é sem precedentes para a maioria dos profissionais. Nunca antes (pelo menos nos tempos modernos) tantos funcionários trabalharam em casa. Os desafios logísticos, que pareceriam intransponíveis há alguns anos, foram realmente bem gerenciados. E, graças à atenção e ao esforço altamente concentrados, os trabalhadores passaram a atuar de forma remota com surpreendentemente pouco sofrimento.

Todavia, aqueles que estudam o trabalho remoto há anos sabiam que a adrenalina de fazer uma mudança de emergência se esgotaria em algum momento. Agora, as evidências de funcionários lutando psicologicamente com o afastamento estão sendo vistas.

Seu objetivo, ao avançar para a próxima fase de trabalho remoto, é estar ciente dos sinais de alerta de que seus colaboradores estão tendo problemas. Depois de identificá-los, será possível começar a avaliar sua equipe e intervir de forma apropriada. Assim, se souber o que procurar, estará muito à frente da grande maioria dos líderes e seus funcionários terão uma grande chance de enfrentar esta tempestade.

Mas como saber se sua equipe está sob altos níveis de estresse no trabalho remoto? Veja, a seguir, três sinais de alerta:

  • 1. Diminuição da resiliência

    Nas últimas duas semanas, mais de 5.000 pessoas fizeram um teste de resiliência online gratuito (que testa como o indivíduo lida com as adversidades e reage a falhas, críticas, estresse etc.) e foi revelado que menos de um quarto das delas possui um alto nível dessa qualidade no momento.

    Dado que a resiliência é nossa capacidade de lidar com as adversidades, este é um bom indicador de quão bem os funcionários têm se sentindo e gerenciando as pressões atuais. É possível solicitar que os colaboradores façam esse teste a fim de avaliar com precisão a resiliência atual da equipe.

    Também é viável perguntar diretamente a eles na próxima reunião de time por videoconferência. Faça a seguinte pergunta: “Comparado com o que senti há quatro meses, me vejo experimentando…?”

    – Dificuldade de concentração
    – Perda de interesse em gostos precedentes ao trabalho remoto
    – Falta de esperança à respeito do futuro
    – Sensação de distância ou isolamento com relação aos outros
    Sentimento de irritação ou raiva

    Ao constatar que vários funcionários listaram esses itens, é possível concluir que sua equipe está sofrendo fortemente com as pressões de trabalhar em casa.

  • 2. Os profissionais têm cometido mais erros

    Um sinal claro de que os profissionais estão começando a se cansar de trabalhar remotamente é quando cometem mais erros e se perdem mais com os prazos do que o normal. No geral, as pessoas não se saem tão bem sob estresse ​​em comparação a um estado de espírito mais relaxado. E esse desconforto emocional geralmente se manifesta em trabalhos mal feitos, imprecisos ou atrasados.

    Antes de começar a ver um trabalho incorreto, é possível perceber uma distração individual ou dispersão geral entre os funcionários. Isso pode aparecer quando os integrantes da equipe estão muito agitados e desviam dos assunto central durante uma videoconferência ou por meio do esquecimento. Você já viu algum de seus funcionários esquecer pequenas coisas, como fazer follow-ups, registrar um contato de um cliente ou até mesmo omitir uma linha de assinatura em um email? Esses podem parecer problemas menores, mas eles representam sinais de alerta de que a pressão está chegando à sua equipe.

  • 3. A linguagem dos seus funcionários tem se tornado mais negativa e emotiva

    Quando as pessoas se sentem estressadas, é comum que sua linguagem (seja por e-mail, telefonemas ou pessoalmente) evidencie mais negatividade e emocionalidade.

    Por exemplo, em situações sem estresse, um funcionário pode dizer: “Este projeto vai ser difícil”. Mas em um ambiente altamente estressante, é provável que ele diga “este projeto é impossível” ou “nunca terminarei a tempo”.

    Percebe as diferenças na linguagem? Palavras como “impossível” e “nunca” são chamadas de absolutas. Elas representam uma forma de pensamento em preto e branco (ou seja, em extremos) e é uma distorção cognitiva bem conhecida. A maioria das situações na vida são tons sutis de cinza, não em preto e branco. Sim, esse projeto pode ser difícil, mas não há realmente nenhuma maneira, em qualquer universo, de que de alguma forma possa ser realizado?

    Quanto mais alguém se envolve em pensamentos pretos e brancos, menor a probabilidade de ver oportunidades ou possibilidades ocultas. E isso pode levar diretamente a sentimentos de desespero e desesperança.

    Outra distorção cognitiva relacionada que aparece na linguagem dos funcionários quando estão estressados ​​é catastrofizar. Isso ocorre quando as pessoas passam a consideram uma situação desagradável como uma catástrofe de vida ou morte, de modo a transformar uma circunstância ruim em uma intolerável. Os profissionais ansiosos são especialmente propensos a catastrofizar. Quando se ouve um funcionário dizer: “Se eu falhar nessa tarefa, minha carreira acabou”, é o sinal de que ele está catastrofizando.

    Atente-se a colaboradores que digam ou escrevam frases como as seguintes (visto que são sinais claros de estresse):

    – Não há nada que eu possa fazer
    – Não existem opções
    – Não posso fazer nada
    – Isto é impossível

1. Diminuição da resiliência

Nas últimas duas semanas, mais de 5.000 pessoas fizeram um teste de resiliência online gratuito (que testa como o indivíduo lida com as adversidades e reage a falhas, críticas, estresse etc.) e foi revelado que menos de um quarto das delas possui um alto nível dessa qualidade no momento.

Dado que a resiliência é nossa capacidade de lidar com as adversidades, este é um bom indicador de quão bem os funcionários têm se sentindo e gerenciando as pressões atuais. É possível solicitar que os colaboradores façam esse teste a fim de avaliar com precisão a resiliência atual da equipe.

Também é viável perguntar diretamente a eles na próxima reunião de time por videoconferência. Faça a seguinte pergunta: “Comparado com o que senti há quatro meses, me vejo experimentando…?”

– Dificuldade de concentração
– Perda de interesse em gostos precedentes ao trabalho remoto
– Falta de esperança à respeito do futuro
– Sensação de distância ou isolamento com relação aos outros
Sentimento de irritação ou raiva

Ao constatar que vários funcionários listaram esses itens, é possível concluir que sua equipe está sofrendo fortemente com as pressões de trabalhar em casa.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).