Como melhorar a inteligência emocional enquanto assiste TV

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

É possível treinar a inteligência emocional com um pequeno exercício na televisão

Muitos de nós têm passado mais tempo na frente da TV durante a pandemia, principalmente buscando por entretenimento – e não exatamente crescimento intelectual.

Mas se você estiver disposto a pausar seu programa favorito e pensar profundamente por alguns minutos, vou mostrar como todo esse tempo na frente da televisão pode realmente aumentar sua inteligência emocional.

LEIA MAIS: 10 dicas para usar a inteligência emocional no incremento dos negócios

Se você deseja avançar na carreira, esse tipo de desenvolvimento é essencial. Como nosso estudo “Hiring For Attitude” (“Contratando pela atitude”, em tradução livre) descobriu, a falta de inteligência emocional causa mais fracassos na hora de uma entrevista de emprego do que a falta de habilidades técnicas.

Um componente-chave é a consciência sobre o outro. Esta é a capacidade de compreender as perspectivas de outras pessoas, identificar seus sentimentos e interpretar corretamente as causas das suas emoções. A consciência sobre o outro envolve uma série de habilidades, incluindo a atenção, a empatia, a ausência de julgamento e a presença de uma mente aberta e flexível sobre o comportamento das pessoas.

Isso é um pouco mais difícil do que parece: é muito mais do que apenas prestar atenção no outro. Por exemplo, apesar de milhares de pessoas terem feito o teste online “Você sabe ouvir com empatia?”, cerca de um terço dos entrevistados falharam no resultado. Enquanto isso, apenas um quinto alcançou a pontuação perfeita. É realmente uma habilidade difícil de dominar.

É aqui que entra o tempo adicional assistindo TV. Lembre-se de que uma parte importante da consciência sobre o outro é manter uma mente aberta e flexível em relação ao por que as pessoas agem daquela maneira. Queremos quebrar o hábito de observar alguém e fazer um julgamento precipitado sobre seu comportamento. Em vez disso, precisamos ter a flexibilidade cognitiva e emocional para desenvolver explicações múltiplas – e até mesmo contraditórias – para a conduta de alguém.

Em primeiro lugar, na próxima vez que você estiver assistindo a um programa, procure um personagem que está expressando alguma emoção (as intensas são as melhores, mas mesmo sentimentos moderados funcionam).

Em segundo lugar, faça uma pausa no programa e identifique quais emoções você acha que estão presentes. Eles estão sentindo raiva, alegria, medo, surpresa, tristeza ou nojo? Existem centenas de emoções entre as quais você pode escolher, portanto, identificá-la é mais importante do que escolher o termo perfeito.

VEJA TAMBÉM: Como desenvolver sua inteligência emocional em seis passos

Terceiro, identifique por que você acha que o personagem está se sentindo daquela maneira. O que causou esse sentimento? Como começou? Por que eles reagiram com essa emoção particular? Que partes de sua personalidade estão conduzindo seus sentimentos? Depois de pensar sobre isso, você terá uma hipótese formada sobre a situação.

Quatro passo, o mais importante: quero que você abandone essa hipótese e apresente uma explicação totalmente diferente para o motivo de eles estarem se sentindo assim. E quanto mais diferente a nova hipótese for da antiga, melhor. Seu objetivo é desenvolver a flexibilidade cognitiva e emocional sem ficar preso a uma visão limitada.

Talvez sua primeira hipótese fosse que o personagem principal estivesse chorando de tristeza porque seu porco de estimação ficou grande demais para morar dentro de casa e ele vai sentir falta da companhia do animal. Agora, se você pensar em uma hipótese muito diferente dessa, talvez o personagem esteja chorando porque ele sempre quis comer o porco e agora nunca mais terá essa chance.

É um exemplo ridículo, claro, mas faz parte do exercício. Preciso me abrir para a possibilidade de que minha hipótese inicial estava errada, e não apenas um pouco errada, mas total e completamente equivocada. A melhor maneira de conseguir isso é desenvolver uma segunda hipótese que seja radicalmente diferente da primeira.

Na quinta etapa, vou desenvolver uma terceira hipótese. Esta normalmente estará mais perto da inicial, mas você provavelmente notará que se tornou um pouco mais aberto às possibilidades de que algo esteja acontecendo além do que você pensava inicialmente.

Por fim, retome o programa, continue assistindo e veja se consegue encontrar algumas pistas sobre qual das suas hipóteses é a mais precisa.

Quanto mais complexo e bem escrito o programa, mais valioso se torna este exercício. Quando os personagens são mal escritos e unidimensionais, o desafio não é tão estimulante. Mas existem alguns programas realmente bem elaborados no momento, de drama à documentário, então você não deve ter problemas para encontrar algo para assistir e, em seguida, praticar a consciência sobre o outro.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).