4 motivos para o baixo desempenho no home office e como superá-los

Desafios do trabalho remoto podem impactar cada funcionário de maneira única.

Sabina Nawaz
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Desafios do trabalho remoto podem impactar cada funcionário de maneira única

Acessibilidade


É improvável que a tendência do trabalho remoto seja revertida nos próximos anos. Mas a distância limita o que os gestores podem ver, especialmente quando os funcionários não estão atendendo às expectativas. As raras interações podem ocultar o motivo pelo qual um colaborador não está fazendo o progresso esperado. Assim, os líderes precisam arrumar novas maneiras de se conectar e manter a produtividade do time.

É fácil presumir que funcionários com baixo desempenho não estão trabalhando horas suficientes durante o home office. Mas isso geralmente é só uma parte do problema.

LEIA MAIS: 7 dicas simples para aumentar a produtividade

Uma vez que os gestores identificam a causa do baixo desempenho, eles podem articular as soluções apropriadas (se, é claro, o problema for o ambiente remoto e não a falta de esforço ou experiência). Os funcionários não precisam esperar que o chefe implemente estratégias como essas; qualquer pessoa pode enfrentar os desafios do home office e sugerir soluções aos membros da equipe.

Veja, na galeria abaixo, quatro motivos comuns para o baixo rendimento no trabalho remoto:

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
  • 1. Má comunicação com o funcionário

    Alguns funcionários remotos fazem um ótimo trabalho, mas não comunicam seu progresso de forma eficaz. O que era relativamente visível no escritório agora depende de atualizações regulares e bem articuladas – uma habilidade ou hábito que muitas pessoas não têm. Eles não estão com baixo desempenho; eles estão subnotificando suas tarefas.

    Grace, diretora de uma empresa de alta tecnologia, estava lutando para entender no que três de seus diretores remotos estavam trabalhando. No escritório, ela sempre iniciava conversas espontâneas que a mantivessem informada sobre o progresso do trio. E o ideal é que um funcionário em regime de home office seja proativo o bastante para contar dos seus problemas para o chefe.

    Mas, em vez de esperar que seus funcionários aprimorassem magicamente suas habilidades de comunicação, Grace implementou estruturas para manter a equipe conectada de forma consistente. Eles começaram a realizar reuniões de equipe de quinze minutos todas as manhãs para resolver problemas críticos. Uma vez por semana, todos preenchem um modelo para relatar os destaques, itens que precisam de atenção entre as prioridades para a próxima semana. Isso fornece uma oportunidade fácil de responsabilização para os funcionários e um padrão que qualquer um pode estabelecer para si mesmo, se um gestor não o impor.

    Westend61/Getty Images
  • 2. Falta de estrutura

    Talvez seu funcionário não tenha estrutura para trabalhar em casa. Hábitos relaxados, a proximidade da geladeira ou o compartilhamento do espaço com crianças, parceiros e animais de estimação podem prejudicar o foco. O home office requer a observação de limites claros entre as tarefas domésticas e as profissionais. No escritório, essa disciplina é imposta externamente. Em casa, a autogestão eficaz é uma curva de aprendizado para muitos.

    Para ajudar aqueles que ficam sem motivação quando estão na companhia da sua TV, da sua cama ou da geladeira, os funcionários de Grace ligam as câmeras em alguns horários e trabalham virtualmente na presença de outras pessoas. Eles podem iniciar conversas organicamente e ver os outros enquanto trabalham.

    Delmaine Donson/Getty Images
  • 3. Falta de conexão

    Algumas pessoas florescem na energia do escritório, mas murcham em casa sem conexões pessoais. A criatividade que surge espontaneamente na hora do almoço ou em brainstorms no quadro branco pode secar quando se trabalha isoladamente – gerando tédio, estagnação e até depressão.

    Grace implementou duas reuniões semanais durante o horário comercial para abordar tópicos menores. Essas conversas ajudam a diretora a se manter atualizada, além de se tornarem momentos de compartilhamento de informações entre colegas de trabalho. O objetivo é recriar virtualmente as conversas do corredor que fomentam o pensamento criativo e levam a um trabalho mais eficiente. Por exemplo, um funcionário foi capaz de alavancar a pesquisa feita por outro por meio de uma discussão casual durante um desses encontros online. Inspirados por essas interações, a equipe procura cada vez mais se comunicar enquanto trabalham juntos virtualmente.

    Mohan, vice-presidente de uma empresa de ciências da saúde, estava preocupado com o impacto do isolamento social. Mesmo quando os funcionários estavam dialogando com os membros da equipe, eles eram impedidos de colaborar com outros departamentos. Em vez de tomar uma ação unilateral, Mohan convidou seus subordinados diretos e dois colegas de outros grupos para um brainstorm, implementando, em última análise, três ideias. Eles criaram um fórum chamado “Espaço de Negociação” para que os funcionários trocassem ideias entre as equipes. Na prática, cada pessoa publica uma realização ou um item em que precisa de ajuda, desde sugestões de clubes do livro até recomendações de contratação. Os participantes saem dessas sessões com o sentimento de que enfrentam lutas comuns e que têm apoio para superar seus desafios.

    A segunda solução de Mohan envolve convidar membros de diferentes equipes para se apresentar em reuniões de outros departamentos. Isso ajuda o compartilhamento de informações de maneira eficiente, fazendo com que o time aproveite melhor o trabalho dos demais. Construir conexões entre as equipes agora é vital para aumentar a visibilidade entre os trabalhadores remotos.

    JGITom Grill/Getty Images
  • 4. Gerenciamento de crises

    Durante as crises, como a pandemia da Covid-19, as pessoas podem passar por um processo de luto, o que as deixará naturalmente para baixo e desmotivadas. Crises pessoais, como trabalhar em casa enquanto cuida de um familiar doente, podem ter consequências semelhantes.

    Para compensar o fardo emocional da pandemia, Grace designa uma sexta-feira por mês como dia de folga para a equipe e incentiva seus subordinados diretos a utilizarem plenamente os dias de férias.

    Mohan organiza conversas onde seus subordinados se revezam para falar por até 45 minutos com alguns funcionários. Essa espécie de fórum conecta o time e cria uma oportunidade para melhorar a compreensão e apoio para o bem-estar emocional coletivo.

    Justin Paget/Getty Images

1. Má comunicação com o funcionário

Alguns funcionários remotos fazem um ótimo trabalho, mas não comunicam seu progresso de forma eficaz. O que era relativamente visível no escritório agora depende de atualizações regulares e bem articuladas – uma habilidade ou hábito que muitas pessoas não têm. Eles não estão com baixo desempenho; eles estão subnotificando suas tarefas.

Grace, diretora de uma empresa de alta tecnologia, estava lutando para entender no que três de seus diretores remotos estavam trabalhando. No escritório, ela sempre iniciava conversas espontâneas que a mantivessem informada sobre o progresso do trio. E o ideal é que um funcionário em regime de home office seja proativo o bastante para contar dos seus problemas para o chefe.

Mas, em vez de esperar que seus funcionários aprimorassem magicamente suas habilidades de comunicação, Grace implementou estruturas para manter a equipe conectada de forma consistente. Eles começaram a realizar reuniões de equipe de quinze minutos todas as manhãs para resolver problemas críticos. Uma vez por semana, todos preenchem um modelo para relatar os destaques, itens que precisam de atenção entre as prioridades para a próxima semana. Isso fornece uma oportunidade fácil de responsabilização para os funcionários e um padrão que qualquer um pode estabelecer para si mesmo, se um gestor não o impor.


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: