Covid-19 fez avanços globais de saúde recuarem décadas, diz Fundação Gates

Cobertura de vacinas de rotina está caindo para níveis vistos pela última vez nos anos 1990.

Blog da Redação
Compartilhe esta publicação:
Anadolu Agency- Colaborador/ Getty Images
Anadolu Agency- Colaborador/ Getty Images

Os efeitos da pandemia detiveram e reverteram os avanços globais de saúde, alertou um relatório da Fundação Bill & Melinda Gates

Acessibilidade


Os efeitos secundários da pandemia de coronavírus detiveram e reverteram os avanços globais de saúde, fazendo-os regredirem 25 anos e expondo milhões de pessoas ao risco de doenças mortais e da pobreza, alertou um relatório da Fundação Bill & Melinda Gates hoje (15).

Por causa da Covid-19, a pobreza extrema aumentou 7%, e a cobertura de vacinas de rotina –uma boa medida indireta para avaliar como os sistemas de saúde estão funcionando– está caindo para níveis vistos pela última vez nos anos 1990, segundo o relatório.

LEIA MAIS: Geração perdida: “Por causa da Covid-19, centenas de milhares de alunos promissores podem nunca começar uma faculdade”, diz Bill Gates

“É um revés enorme”, disse Bill Gates, copresidente da entidade e filantropo e financiador destacado de saúde e desenvolvimento globais, em uma entrevista coletiva a respeito das conclusões do documento.

O relatório, que monitora o progresso dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS) de reduzir a pobreza e melhorar a saúde, descobriu que no último ano o mundo regrediu em quase todos os indicadores.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Além da queda no índice de imunizações de rotina, que o relatório disse ter “feito o mundo regredir cerca de 25 anos em 25 semanas”, os níveis ascendentes de pobreza e o dano econômico da pandemia estão reforçando as desigualdades.

O relatório revelou que a pandemia tem um impacto desproporcional em mulheres, comunidades de minoria racial e étnica e em pessoas que vivem na pobreza extrema.

“Depois de 20 anos consecutivos de declínio da pobreza extrema, agora vemos uma reversão”, disse Mark Suzman, executivo-chefe da Fundação Gates, em uma entrevista à Reuters. “Vimos quase 40 milhões de pessoas serem arrastadas de volta à pobreza extrema. Isso é bem mais de 1 milhão por semana desde a chegada do vírus”.

O documento citou projeções do Fundo Monetário Internacional (FMI) segundo as quais, apesar dos US$ 18 trilhões já gastos para se tentar estimular economias de todo o mundo, a economia global perderá US$ 12 trilhões ou mais até o final de 2021 –a maior perda de PIB mundial desde o final da Segunda Guerra Mundial.

LEIA MAIS: Fundação de Bill Gates doa US$ 150 mi para distribuição da vacina de Covid-19 em países em desenvolvimento

Embora o cenário seja “desolador” no momento, Gates disse estar confiante de que o mundo emergirá da pandemia e retomará o progresso rumo às metas de melhoria da saúde global.

“Que nos tome dois anos, ou mesmo três, realmente acreditamos que superaremos isto e voltaremos aos trilhos”, disse. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: