YouTube amplia medidas contra conteúdo de assédio e teorias de conspiração

Empresa disse que fortalecerá ações contra mensagens de ódio imediatamente, política que será ampliada nas próximas semanas.

Blog da Redação
Compartilhe esta publicação:
 Future Publishing/Getty Images
Future Publishing/Getty Images

A mudança do YouTube segue as recentes repressões anunciadas por Facebook e Twitter

Acessibilidade


O YouTube, da Alphabet, disse hoje (15) que está banindo conteúdo que visa um indivíduo ou um grupo usando teorias de conspiração como QAnon ou Pizzagate que têm “sido usadas para justificar a violência no mundo real”.

A empresa disse que fortalecerá ações contra mensagens de ódio e assédio imediatamente, política que será ampliada nas próximas semanas.

LEIA MAIS: YouTube lança Shorts, rival do TikTok

A mudança do YouTube segue as recentes repressões anunciadas por outras grandes empresas de mídia social, incluindo Facebook e Twitter, contra o conteúdo da QAnon.

QAnon é uma teoria da conspiração infundada e extensa que afirma sem base que o presidente dos EUA, Donald Trump, está secretamente lutando contra uma conspiração de predadores sexuais infantis que inclui democratas proeminentes, elites de Hollywood. Foi citado pelo FBI como um potencial instigador do terrorismo interno. (Com Reuters)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: