As 10 maiores transformações digitais de 2020: conclusões do pós-pandemia

 MR.Cole_Photographer/Getty Images
MR.Cole_Photographer/Getty Images

A quarentena forçada pela Covid-19 acelerou a necessidade da tecnologia para garantir a sobrevivência das empresas

No ano passado, nessa mesma época, eu fiz minhas previsões anuais de tendências de transformação digital. Agora, um ano depois, estamos lidando com uma pandemia global que afetou literalmente todos os setores.

Enquanto trabalhava em uma nova lista de tendências de transformação digital para 2021, achei que deveríamos olhar para as minhas previsões para este ano e avaliar onde estamos agora.

Leia mais: Funcionários de cabine da Lufthansa chegam a acordo sobre corte de gastos

Na esteira da pandemia de Covid-19, vimos a tecnologia acelerar a um ritmo vertiginoso. Com as mudanças que esse novo cenário trouxe para tantas empresas, acredito que seja um bom momento para considerar como o novo coronavírus impactou as maiores tendências de transformação digital que eu havia planejado para 2020.

Veja, na galeria de fotos a seguir, o status de cada uma delas:

  • 1. A aceleração do desenvolvimento da tecnologia 5G

    Até um ano atrás, estava claro que todos, em todo o mundo, buscavam conectividade mais rápida, tanto em casa quanto no local de trabalho. A Covid-19 apenas intensificou essa demanda quando os profissionais trocaram seus escritórios em áreas bem conectadas pelo home office em áreas mais afastadas dos grandes centros. Precisamos de redes melhores para manter esse nível de conectividade A boa notícia: a implantação está avançando, apesar do vírus. Muitas empresas de telecomunicações estão no caminho certo para cumprir ou superar suas metas de implementação do 5G. Em maio, a Verizon lançou um laboratório virtual para testar a implantação da tecnologia e anunciou a cobertura em San Diego. Na China, a tecnologia 5G está se espalhando tão rapidamente que a Ericsson teve que aumentar sua meta de registros para o ano. Ao mesmo tempo, a Qualcomm anunciou em seu balanço mais recente que mais de 60% dos dispositivos enviados no trimestre eram 5G.

    Outras estatísticas relevantes da Qualcomm reforçam a tendência: atualmente, 80 operadoras diferentes estão investindo em tecnologia 5G, o serviço já foi lançado em mais de 35 países diferentes e mais de 45 fabricantes anunciaram a produção de aparelhos compatíveis.

    Além disso, a tecnologia já está sendo aplicada na China e em outros lugares. Os hospitais chineses estão usando robôs movidos a 5G para monitorar a temperatura de usuários e outras aplicações de saúde. Também vimos vários lançamentos de telefones celulares no ano passado prontos para conectividade 5G. Há rumores de que a Apple lançará seu iPhone 5G ainda este ano ou talvez mais provavelmente em 2021.

    O que está claro é que o 5G não foi desacelerado pela Covid-19 e só continuará a crescer nos próximos meses. 2021 deve ser um grande ano para a tecnologia.

    d3sign/Getty Images
  • 2. O WiFi 6 ainda está por vir

    No ano passado, minha previsão indicava que as tecnologias 5G e WiFi 6 trabalhando em conjunto criariam a combinação perfeita de conectividade ultrarrápida para casas e escritórios. Eu também disse que poderíamos esperar velocidades de download até três vezes mais rápidas do que as alcançáveis ​​com o WiFi 5. Então, onde fomos parar? Em abril, a FCC (órgão regulador da área de telecomunicações e radiodifusão dos Estados Unidos) votou, por unanimidade, para abrir a nova banda do espectro para dispositivos capazes de acomodá-la, o que significa que não sabemos exatamente se funcionará bem. Os primeiros dispositivos equipados para lidar com o WiFi 6 devem ser lançados ainda este ano. E estamos ansiosos para que isso aconteça.

    Marko Geber/Getty Images
  • 3. A análise de dados mostrou que ainda é uma vantagem competitiva

    As empresas que não investirem pesadamente em análises em 2020 provavelmente não estarão no mercado em 2021. Eu mantenho essa previsão que fiz no ano passado. O uso de big data e análises sempre teve uma trajetória de crescimento constante e, então, a Covid-19 explodiu e tornou a necessidade de dados ainda maior. Empresas e instituições como a Johns Hopkins e o SAS criaram painéis de saúde da Covid-19 e compilaram dados de uma infinidade de fontes para ajudar governos e empresas a tomarem decisões para proteger cidadãos, funcionários e outras partes interessadas.

    Agora, que as empresas estão em fase de reabertura, estamos usando dados e análises para rastrear contatos e para ajudar a tomar outras decisões no local de trabalho. Houve anúncios recentes de várias grandes empresas de tecnologia, incluindo Microsoft, HPE, Oracle, Cisco e Salesforce, de direcionamento de foco para o desenvolvimento de ferramentas orientadas a dados para ajudar a trazer os funcionários de volta ao trabalho com segurança, algumas até estendidas gratuitamente aos seus clientes.

    A necessidade de informação para tomar todas as decisões de negócios cresceu. Mas este ano vimos a análise de dados sendo usada em tempo real para tomar decisões críticas de negócios e que salvam vidas. Tenho certeza de que não vai parar por aí. Espero um investimento contínuo massivo das empresas em dados e recursos de análise que impulsionam empresas e órgãos a serem mais rápidos, enxutos e inteligentes após a pandemia global de 2020 e as tensões econômicas.

    dowell/Getty Images
  • 4. Inteligência artificial e aprendizado de máquina: impulsionando os negócios durante a pandemia

    Os dados continuam crescendo exponencialmente, mas sem análise, eles se tornam inúteis. A inteligência artificial e o aprendizado de máquina cresceram violentamente nos últimos meses, à medida que as empresas recorreram às tecnologias para obter insights sobre seus negócios. No ano passado, quando a empresa de operações de TI e segurança Splunk anunciou sua campanha “Data to Everything”, pensei que ela era um pouco ousada, mas dadas as circunstâncias atuais, é exatamente disso que precisamos. Todos os dados devem ser capturados, gerenciados, enriquecidos e visualizados rapidamente para fornecerem alguma visão do futuro.

    Eu também disse, no ano passado, que o valor da IA ​​e do aprendizado de máquina para a análise de dados poderia ser dividido em três propostas de valor distintas: velocidade, escala e conveniência. Todos as três foram realizadas nos últimos meses. Provavelmente veremos um crescimento exponencial à medida que o vírus continua a se espalhar.

    Tudo isso tem sido apoiado por um investimento maciço, pois vimos a IA embrenhada cada vez mais no que fazemos. Provedores de nuvem como Google, IBM, Microsoft e AWS estão investindo para oferecer aceleração nesse campo. Fabricantes de chips como NVIDIA e Intel estão criando GPUs e CPUs que podem impulsionar o treinamento e o aprendizado a partir dos dados, e cada vez mais impulsionam recomendações direcionadas e IA conversacional. Isso também está sendo expandido para outra extremidade, onde a inteligência artificial está ajudando a acomodar as massas de dados da Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês). À medida que tentamos dar sentido a mais dados para manter as pessoas, escolas e locais de trabalho seguros, a IA e o aprendizado de máquina continuarão a brilhar.

    Alexander Spatari/Getty Images
  • 5. A necessidade do Blockchain

    Eu previ que 2020 poderia presenciar um verdadeiro aumento do blockchain para além das criptomoedas e acho que estamos vendo isso acontecer. Em abril, o Departamento de Segurança Interna dos EUA nomeou o blockchain como uma tecnologia essencial para combater a Covid-19 e reparar a economia quebrada do país. Cadeias de suprimentos em todo o mundo foram afetadas pelo vírus. Se implantado corretamente, o blockchain tem o potencial de consertar cadeias de suprimentos danificadas, processando e verificando transações rapidamente. Este poderia ser o catalisador perfeito para promover o avanço contínuo da tecnologia.

    MR.Cole_Photographer/Getty Images
  • 6. RPA/IPA terá maior crescimento na era pós-Covid

    Se há algo que pode ajudar a manter uma empresa em movimento quando os funcionários não podem estar fisicamente presentes no escritório é o RPA (automação robótica de processos) e seu parente mais esperto, o IPA (automação inteligente de processos). Mesmo com a passagem do coronavírus, veremos cada vez mais empresas procurando descomplicar ao máximo tarefas capazes de manter os negócios funcionando no caso de uma nova interrupção global. Não se trata tanto de deslocamento de trabalho, mas sim de elevar o nível e automatizar os processos simples.

    Isso é o que está impulsionando o RPA e o IPA. Com empresas gigantes ​​como Microsoft e Amazon atuando neste mercado e um grupo de empresas como Pega, Automation Anywhere e UiPath focado nesses desafios, há muito investimento agora para fazer a automação orientada por software encontrar a tecnologia de nuvem e acelerar com a ajuda de IA. Os relatórios mostram uma taxa composta de crescimento anual de quase 30% para o RPA até 2026, mas você não precisa ser um cientista de dados para ver os benefícios oferecidos para empresas em todo o mundo pelos robôs escaláveis.

    MoMo Productions/Getty Images
  • 7. A IA conversacional está aqui para responder perguntas

    Já comecei a falar sobre isso mais acima, e quando escrevi as tendências no ano passado, disse que acreditava que veríamos alguma forma de IA conversacional se tornar útil em 2020. Admito que aconteceu de uma maneira que eu não previa, mas aconteceu. Durante a paralisação do coronavírus, um grande golpe para todas as empresas foi o atendimento ao cliente. A maneira de resolver isso: um exército altamente treinado de bots de conversação prontos para responder às perguntas dos clientes e manter seus mundos em movimento, mesmo quando a equipe de atendimento estivesse fora de combate. Essa tecnologia recebeu a atenção das maiores empresas de tecnologia do mundo – da colaboração por vídeo controlada por voz até o assistente pessoal no dispositivo móvel e o chatbot que ajuda nas compras online. Na Conferência GTC de 2020, o CEO da NVIDIA, Jensen Huang, fez uma grande aposta na IA conversacional com o lançamento de sua estrutura Jarvis, diminuindo o atraso ao mesmo tempo em que oferece a possibilidade de recursos como 3D, contato visual e leitura labial.

    O fato é que, além de distribuir informações de saúde importantes, a IA conversacional continuará a ter um maior desenvolvimento à medida que as empresas perceberem que simplesmente não possuem o contingente humano para manter seus clientes informados e satisfeitos durante uma emergência global. E isso vai muito além de uma resposta: à medida que as empresas perceberem como essa tecnologia está se tornando mais rápida e precisa, veremos mais e mais dela.

    Dong Wenjie/Getty Images
  • 8. Computadores permanentemente conectados mostram seu valor

    No ano passado, previ que, como estamos sempre conectados, precisaríamos que nossos dispositivos também estivessem. Veja como isso acabou sendo verdade. A demanda por laptops disparou durante a pandemia, e empresas como Lenovo e Samsung (duas que previ no ano passado) lançaram alguns modelos ACPC (computadores pessoais permanentemente conectados) diferentes para atender à demanda. A Qualcomm, que trabalha com ARM para fornecer uma das variantes do chip ACPC, procurou até mesmo suprir a carência e ofereceu ACPCs para alunos da área de San Diego. Eu acredito que a necessidade desses modelos de dispositivos continuará a crescer à medida que mais e mais pessoas descobrirem seu valor.

    Além dos já mencionados, há cada vez mais fabricantes de chips como Intel e AMD procurando PCs permanentemente conectados ou similares para fornecer conectividade constante usando LTE e 5G móveis. Isso, em um momento em que tantas pessoas estão trabalhando em casa e precisam de uma boa e confiável conectividade, pode se tornar um meio realmente importante para fornecer laptops rápidos, com suporte para bateria e permanentemente conectados para funcionários, alunos e qualquer outra pessoa que possa não ter o mesmo acesso a um escritório, escola ou café local.

    Artur Debat/Getty Images
  • 9. Expansão de veículos conectados, drones e outras tecnologias

    No ano passado, pensei que 2020 seria o ano em que nos aproximaríamos de cidades conectadas e veículos autônomos. Graças à pandemia, estamos vendo uma expansão na forma como os governos coletam dados para rastreamento de contatos. Aplicativos com APIs (interface de programação de aplicações) do Google e da Apple estão sendo usados com grande sucesso, em países da Europa. Essa tecnologia, embora usada apenas para o vírus no momento, provavelmente pode ser ajustada e colocada em uso para outras atividades em cidades inteligentes.

    Carros conectados podem não ter sido uma prioridade durante a pandemia, mas as montadoras ainda estão fazendo a tecnologia avançar. No mês passado, a Mercedes e a NVIDIA anunciaram uma parceria para equipar os veículos da montadora com computadores até 2024. Este é apenas um de dezenas de exemplos: a Tesla, é claro, tem tido uma grande trajetória neste ano, pois seus carros e seu novo e disruptivo design de caminhão registraram boas vendas apesar da incerteza econômica.

    E a melhor parte de estar conectado? O carro seria atualizado virtualmente, como nossos telefones e outros dispositivos fazem agora. Essas mudanças podem ser pequenas, mas o impacto pode ser grande no setor à medida que avançamos para 2021.

    Qi Yang/Getty Images
  • 10. Tendências de tecnologia adjacentes roubaram a cena em 2020

    Minha previsão final no ano passado foi três em um. Eu previ que o XaaS (tudo como serviço), UX/ CX (experiência do usuário) e privacidade digital dominariam as discussões sobre a transformação digital e esse foi, definitivamente, o caso. O mercado XaaS cresceu nos últimos meses, pois as empresas tiveram que comprar as tecnologias necessárias para manter os funcionários conectados. E, uma vez que o experimento do trabalho em casa teve grande sucesso, eu previ que esse mercado só continuará a se expandir conforme os sistemas ultrapassados forem eliminados ou colocados em um modelo de consumo.

    O foco na experiência do usuário/cliente continuou a impulsionar os investimentos dos negócios na transformação digital, pois as empresas eliminaram gastos desnecessários e se concentraram mais em reter seus clientes. Tecnologias como algumas das que listei acima (5G, IA conversacional) já agregaram valor às empresas. Vejo mais disso no futuro, à medida que os gastos voltam ao normal.

    Finalmente, a privacidade digital teve um papel importante em muitas conversas recentes à medida que o rastreamento foi impulsionado em todo o mundo. Mas, além do vírus, ainda vemos pedidos por maior controle sobre os dados pessoais e mais proteção para os consumidores por parte de grandes empresas de tecnologia que exploram e vendem dados por dinheiro. Acredito que a privacidade digital continuará sendo uma prioridade nos próximos anos, até que haja maior transparência.

    FG Trade/Getty Images

1. A aceleração do desenvolvimento da tecnologia 5G

Até um ano atrás, estava claro que todos, em todo o mundo, buscavam conectividade mais rápida, tanto em casa quanto no local de trabalho. A Covid-19 apenas intensificou essa demanda quando os profissionais trocaram seus escritórios em áreas bem conectadas pelo home office em áreas mais afastadas dos grandes centros. Precisamos de redes melhores para manter esse nível de conectividade A boa notícia: a implantação está avançando, apesar do vírus. Muitas empresas de telecomunicações estão no caminho certo para cumprir ou superar suas metas de implementação do 5G. Em maio, a Verizon lançou um laboratório virtual para testar a implantação da tecnologia e anunciou a cobertura em San Diego. Na China, a tecnologia 5G está se espalhando tão rapidamente que a Ericsson teve que aumentar sua meta de registros para o ano. Ao mesmo tempo, a Qualcomm anunciou em seu balanço mais recente que mais de 60% dos dispositivos enviados no trimestre eram 5G.

Outras estatísticas relevantes da Qualcomm reforçam a tendência: atualmente, 80 operadoras diferentes estão investindo em tecnologia 5G, o serviço já foi lançado em mais de 35 países diferentes e mais de 45 fabricantes anunciaram a produção de aparelhos compatíveis.

Além disso, a tecnologia já está sendo aplicada na China e em outros lugares. Os hospitais chineses estão usando robôs movidos a 5G para monitorar a temperatura de usuários e outras aplicações de saúde. Também vimos vários lançamentos de telefones celulares no ano passado prontos para conectividade 5G. Há rumores de que a Apple lançará seu iPhone 5G ainda este ano ou talvez mais provavelmente em 2021.

O que está claro é que o 5G não foi desacelerado pela Covid-19 e só continuará a crescer nos próximos meses. 2021 deve ser um grande ano para a tecnologia.

Conclusão

No geral, a Covid-19 fez as coisas andarem mais rápido. A maioria dessas tendências continuará a crescer no futuro, conforme a doença continue a se espalhar. Estamos vendo em primeira mão como muitas delas podem nos ajudar a nos mantermos conectados e saudáveis, então não as vejo indo embora ou mudando tão cedo. Mas, como somos continuamente pressionados ao nosso limite, acredito que mais empresas descobrirão maneiras melhores de usar essas tecnologias e mal posso esperar para ver onde podemos chegar.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).