Ibovespa fecha em queda com NY e cenário político

Getty
Getty

O giro financeiro somou R$ 22,7 bilhões

O Ibovespa fechou em queda hoje (12), contaminado pela piora em Nova York e preocupações relacionadas ao cenário político no país, com ações de bancos entre as maiores pressões de baixa, compensando o avanço de papéis de exportadoras na esteira de nova alta do dólar em relação ao real.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 1,51%, a 77.871,95 pontos, na mínima da sessão, após superar os 80 mil pontos mais cedo. O giro financeiro somou R$ 22,7 bilhões.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Em Wall Street, o S&P 500 fechou em baixa de 2%, conforme agentes financeiros continuam contrabalançando os riscos de uma nova onda de contágio da Covid-19 com a reabertura de atividade em várias regiões dos Estados Unidos, onde o vírus já matou 80 mil pessoas.

Anthony Fauci, especialista em doenças infecciosas renomado dos Estados Unidos e diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas, alertou o Congresso nesta terça-feira que uma suspensão prematura dos isolamentos pode provocar surtos adicionais do coronavírus.

No Brasil, a deterioração em Wall Street foi seguida pelos primeiros relatos sobre o conteúdo do vídeo de uma reunião ministerial na qual, segundo o ex-ministro Sergio Moro, é apontado como possível prova da tentativa de interferência política do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal.

Em reunião ministerial no dia 22 de abril, Bolsonaro disse que a investigação sobre seus familiares justificaria a troca do então superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro e afirmou que, se ela não fosse efetivada, trocaria o diretor-geral da PF e o próprio ministro da Justiça e Segurança Pública, cargo então ocupado por Moro, relatou à Reuters uma fonte com conhecimento do vídeo da reunião.

“Isso fez a bolsa acelerar as perdas”, afirmou o diretor da Mirae Asset Pablo Spyer em vídeo na sua conta no Twitter.

Ainda no cenário político, agentes financeiros também estão na expectativa do veto prometido por Bolsonaro da proposta que exclui categorias do congelamento de salário previsto aos servidores públicos. A medida está no projeto de auxílio a Estados e municípios aprovado pelo Congresso.

“O Brasil não tem novidades auspiciosas”, afirmou a Verde Asset Management, em relatório de gestão, citando que aos problemas relacionados à pandemia da Covid-19 juntam-se a confusão política recente e a deterioração do cenário fiscal e de dívida no curto e médio prazos.

“Nessa neblina de incertezas, fica mais difícil alocar mais capital”, afirmou a equipe liderada pelo gestor Luis Stuhlberger, para quem não surpreende a fraqueza – com algumas exceções – do mercado acionário. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).