Avanço da pandemia freia recuperação, mas país está em condição para retomada, diz Economia

País apresenta condições de recuperação melhores hoje do que nas crises de 2009 e 2015, diz a SPE (Secretaria de Política Econômica).

Redação
Compartilhe esta publicação:
Yuichiro Chino/Getty Images
Yuichiro Chino/Getty Images

Brasil apresenta condições de recuperação melhores hoje do que em crises anteriores, diz a SPE (Secretaria de Política Econômica)

Acessibilidade


O aumento do crédito e da taxa de poupança ocorrido durante a crise gerada pela pandemia da Covid-19, aliado ao fato de o ajuste do mercado de trabalho no período ter se dado principalmente no mercado informal, confere ao Brasil agora melhores condições de recuperação do que as verificadas em outras crises recentes, destacou a SPE (Secretaria de Política Econômica) hoje (15).

Ainda assim, a secretaria ressaltou em texto divulgado à imprensa que o recrudescimento da pandemia representou um freio à retomada econômica verificada no segundo semestre do ano passado, e que a crise atual só será superada totalmente com a vacinação em massa.

LEIA MAIS: Ibovespa sobe 1% com recuperação de bancos e avanço da PEC Emergencial

“A crise tem em sua origem a doença, de forma que só serão sanadas de forma definitiva com a vacinação em massa da população, em especial a dos mais vulneráveis à doença”, disse a SPE em nota.

Segundo destacou a secretaria do Ministério da Economia, ao contrário do que foi visto na crises de 2009 e de 2015-2016, a taxa de poupança cresceu no ano passado, chegando ao maior nível em cinco anos (15% do PIB), impulsionada pelo pagamento do auxílio emergencial e às restrições ao consumo impostas pela pandemia.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Já o crédito foi alavancado por iniciativas de expansão da liquidez, provisão de garantias e programas do governo, e também apresentou alta robusta no ano passado.

VEJA TAMBÉM: Ibovespa sobe com recuperação na Petrobras e MP de privatização da Eletrobras

Para a SPE, o fato de a queda do emprego ter se dado principalmente no mercado informal, enquanto as vagas formais foram em boa medida protegidas pelo programa do governo que autorizou a suspensão de contratos e redução de salários e jornadas, é outra vantagem frente a outras crises.

“A preservação de postos formais significou o permanecimento de empregos mais produtivos e de melhor qualidade – e, portanto, de capacidade potencial de produção, que poderá significar uma retomada mais forte”, disse a SPE. “E, dada a maior flexibilidade do setor informal, a retomada dos empregos nesse setor também deverá ocorrer mais rapidamente.”

A secretaria divulgará amanhã (16) uma atualização das suas projeções para o Produto Interno Bruto e a inflação. As estimativas mais recentes da secretaria, divulgadas em novembro, apontam para um crescimento de 3,2% este ano, com IPCA de 3,23%.

(Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: