Hidrovias do Brasil e VLI formam parceria para avaliar Ferrogrão e buscar investidor

Projeto de ferrovia idealiza impulsionar o escoamento de grãos pela região Norte e Centro-Oeste do Brasil.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Felix Kayser/EyeEm/Getty Images
Felix Kayser/EyeEm/Getty Images

Ferrogrão é um projeto de ferrovia idealizada impulsionar o escoamento de grãos pela região Norte e Centro-Oeste do Brasil

Acessibilidade


A Hidrovias do Brasil informou na noite de ontem (27) parceria com a empresa de logísticas VLI para realizar uma avaliação técnica conjunta do projeto Ferrogrão, ferrovia idealizada para impulsionar o escoamento de grãos pelo Norte do país.

A parceria, celebrada por meio de Memorando de Entendimentos não-vinculante, contempla a linha de 993 quilômetros entre Sinop (MT) e Miritituba (PA), onde já existe um porto fluvial.

LEIA MAIS: VLI firma acordo com LD para transporte ferroviário de 500 mil toneladas de celulose por ano

“Essa parceria permite que a VLI e Hidrovias unam suas respectivas expertises para o estudo de uma solução logística multimodal para a Ferrogrão, bem como busca de parceiro investidor para atuação conjunta no prosseguimento do projeto”, afirmou a Hidrovias em nota.

A VLI, controladora da Ferrovia Centro-Atlântica que realiza operações logísticas no corredor Centro-Norte, tem entre os acionistas a mineradora Vale, Brookfield, Mitsui, FI-FGTS e Brasil Port Holdings.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Ao final de abril, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou que o leilão da Ferrogrão deveria ocorrer no segundo semestre e que os entraves legais do projeto seriam superados.

A ferrovia teve projeto enviado ao TCU (Tribunal de Contas da União) em meados do ano passado e está em fase de certificação de critérios ambientais por parte de consultoria internacional.

Segundo o governo, a Ferrogrão terá papel estruturante para o escoamento de produção de grãos do Centro-Oeste e de outros produtos como fertilizantes, açúcar e etanol. A expectativa de investimento no projeto, que tem sido alvo de uma série de questionamentos judiciais, é de R$ 8,4 bilhões. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: