Forbes Radar: Banco Inter, Eletrobras, CCR e outros destaques corporativos

Últimas notícias sobre: Banco Inter, Eletrobras, CCR, Camil, Banco do Brasil, Mills, Petrobras.

Mariangela Castro
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


No Forbes Radar de hoje (26):

Os acionistas do Banco Inter aprovaram a transferência da listagem da instituição financeira da Bolsa de valores brasileira para a Nasdaq. O banco pagará R$ 45,84 por unit aos acionistas que optarem pelo resgate.

A CCR anunciou pagamento de dividendos no montante de R$ 153,8 milhões, o correspondente a R$ 0,076 por ação ordinária. A distribuição será realizada no dia 15 de dezembro.

Veja estes e outros destaques corporativos do dia:

Banco Inter (BIDI11)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Os acionistas do Banco Inter aprovaram a transferência da listagem da instituição financeira da Bolsa de valores brasileira para a Nasdaq, disse o Inter ontem (25).

O banco já havia recebido autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para a mudança. Agora, os acionistas podem escolher vender suas participações ou receber BDRs que podem ser convertidos em ações Classe A negociadas na Nasdaq.

O Inter decidiu mudar sua listagem para os Estados Unidos para ter “mais acesso aos mercados de capitais globais e, potencialmente, uma base de investidores maior e mais diversa”, disse a instituição.

O banco pagará R$ 45,84 por unit aos acionistas que optarem pelo resgate, preço 22% acima do fechamento de quinta-feira, de R$ 37,56. A data limite para optar pelo direito de resgate é 2 de dezembro.

A listagem efetiva do banco na Nasdaq é esperada para 28 de dezembro, por conta do cumprimento de prazos legais. Helena Lopes Caldeira disse que o Inter espera que o volume de opções pelo resgate não alcance R$ 2 bilhões. Se os pedidos superarem essa marca, o Inter tem o direito de revisar a transação e eventualmente reduzir o valor.

Eletrobras (ELET6)

A Eletrobras informou nesta quinta-feira que o Conselho de Administração da companhia aprovou o plano de alienação de participações societárias minoritárias.

O documento define a lista de participações que serão vendidas e o formato da venda, de forma a atender a meta de R$ 3,5 bilhões em alienações, conforme previsto no Plano Diretor de Negócios e Gestão 2021-2025.

A lista de empresas que serão alienadas não será divulgada neste momento por se tratar de informação estratégica, segundo fato relevante.

CCR (CCRO3)

A CCR anunciou o pagamento de dividendos no montante de R$153,8 milhões, correspondentes a R$ 0,07613868925 por ação ordinária. A distribuição será realizada no dia 15 de dezembro e terá como base todos os titulares de ações ordinárias da companhia em 30 de novembro de 2021.

Camil (CAML3)

A Camil Alimentos comunicou o pagamento de juros sobre capital próprio (JCP) aos acionistas no valor bruto de R$25 milhões, correspondente ao valor bruto unitário de R$0,069058198 por ação ordinária.

O pagamento está sujeito à incidência de 15% de imposto de renda na fonte, exceto para os acionistas que declararem ser imunes ou isentos até 2 de dezembro de 2021.Terão direito ao JCP todos os acionistas detentores de ações ordinárias na data de 1º de dezembro de 2021. Os valores serão pagos no dia 13 de dezembro de 2021.

Banco do Brasil (BBAS3)

O Banco do Brasil (BBAS3) aprovou a distribuição de juros sobre capital próprio (JCP) aos acionistas no valor total de R$ 499,3 milhões, o equivalente a R$ 0,17 por ação. O pagamento será realizado no dia 30 de dezembro e terá como base a posição acionária de 13 de dezembro.

Mills (MILS3)

A Mills (MILS3) anunciou ontem (25) conclusão da compra da totalidade de ações da SK Rental Locação de Equipamentos pelo valor de R$ 89,1 milhões.

Vale (VALE3)

O Conselho de Administração da Vale aprovou Daniel André Stieler como membro, para preencher a vacância criada com a renúncia de José Mauricio Pereira Coelho. Stieler ocupará o cargo até a próxima Assembleia Geral de Acionistas.

Petrobras (PETR4)

A Petrobras planeja comercializar diesel coprocessado com óleos vegetais com percentual de 5% a 7% de conteúdo renovável, mas ainda aguarda avanço de regulação que permita a iniciativa, afirmou nesta quinta-feira o diretor-executivo de refino e gás natural, Rodrigo Costa.

O primeiro marco da empresa nesse sentido foi a realização de testes na Repar (Refinaria Presidente Getúlio Vargas), no Paraná, onde a empresa tem potencial para produzir cerca de 2,3 mil barris por dia (bpd) de diesel coprocessado. Leia aqui a notícia completa.

Compartilhe esta publicação: