Arrecadação federal sobe 1,41% em novembro e chega a R$ 157 bilhões

O resultado foi o maior para o mês desde 2014.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

Em maior valor para o mês desde 2014, arrecadação federal em novembro chegou a R$ 157 bilhões

Acessibilidade


A arrecadação do governo federal teve alta real de 1,41% em novembro sobre igual mês do ano passado, a R$ 157,340 bilhões, divulgou a Receita Federal hoje (21).

O resultado foi o maior para o mês desde 2014 (R$ 157,565 bilhões), conforme série da Receita corrigida pela inflação.

LEIA TAMBÉM: 4 empresas dos EUA negociadas na B3 que são apostas de especialistas

O detalhamento dos dados do mês mostra que as receitas administradas pela Receita Federal, que englobam a coleta de impostos de competência da União, ficaram praticamente estáveis, com uma elevação real de 0,42%.

Em contrapartida, as receitas administradas por outros órgãos, que são sensibilizadas sobretudo pelos royalties decorrentes da produção de petróleo, tiveram alta de 48,2% acima da inflação.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

De janeiro a novembro, o crescimento real da arrecadação foi de 18,13%, a R$ 1,685 trilhão, desempenho mais forte para o período na série iniciada em 1995.

Embora positivo, o crescimento da arrecadação no ano vem perdendo força desde julho, quando houve um pico de 26,11% de alta nas receitas acumuladas no ano em comparação com igual período de 2020.

Nos primeiros onze meses de 2021, a alta real nas receitas administradas pela Receita Federal foi de 16,86%, enquanto a elevação da arrecadação administrada por outros órgãos ficou em 50,20%.

Pesou negativamente no resultado de novembro uma queda de 8,17% na produção industrial e um recuo de 7,10% nas vendas de bens, na comparação com o mesmo mês de 2020.

Por outro lado, houve crescimento de 55,17% no valor em dólar das importações e alta de 14,59% no valor das notas fiscais eletrônicas.

Compartilhe esta publicação: