Veja quem são os 25 artistas mais bem pagos dos EUA

Taylor Swift, Bruce Springsteen, Reese Witherspoon e o bilionário Peter Jackson são alguns dos destaques da lista da Forbes.

Lisette Voytko
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Ao todo, os 25 artistas mais bem pagos ganharam US$ 4,4 bilhões e, mais chocante, a grande maioria fez isso sem criar nada de novo.

Acessibilidade


Nunca houve um momento melhor para limpar as prateleiras, especialmente se você é uma superestrela que acumulou os direitos autorais dos hits de sucesso das últimas décadas.

Quase metade dos 25 artistas mais bem pagos de 2022 – entre eles o diretor de O Senhor dos Anéis, Peter Jackson, e o roqueiro Bruce Springsteen – entraram no ranking ao vender parte de seus estúdios ou catálogos de músicas (quando não venderam toda a sua obra).

Em dezembro passado, Springsteen, dono de sucessos como “Born to Run”, “Dancing in The Dark” e “Streets of Philadelphia”, vendeu os masters – gravações originais oficiais – e os direitos de publicação de todas as suas músicas e composições. A conta, em que estão incluídos 11 álbuns multi-platina e cinco singles de ouro, chegou a quase US$ 500 milhões.

A compradora foi a Sony Music, controladora de sua antiga gravadora, a Columbia Records. O acordo colossal coloca o vencedor de 20 Grammys em segundo lugar na lista da Forbes de artistas mais bem pagos de 2021, atrás apenas de Peter Jackson.

O diretor de cinema arrecadou US$ 600 milhões em dinheiro depois de vender parte da sua empresa de efeitos visuais por US$ 1,6 bilhão, em novembro. O negócio garantiu a Jackson um lugar no seleto clube dos bilionários da Forbes.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Bruce Springsteen não é o único roqueiro em plena ascensão financeira. O grupo de artistas que venderam seus lucrativos catálogos de música no ano passado inclui Bob Dylan, Paul Simon e Neil Young, que arrecadaram juntos US$ 500 milhões (desconsiderando impostos).

“Esses negócios não foram fruto de disputa entre as partes”, diz Jon Landau, empresário de Springsteen há quase 50 anos. “Todo mundo está se beneficiando.”

Acervos de música não são os únicos conteúdos negociados nessas transações milionárias. Nos últimos dois anos, os principais serviços de streaming gastaram cerca de US$ 3,7 bilhões para garantir os direitos de sucessos televisivos como Friends e Law & Order, o que ajudou a colocar os criadores de ambos na lista dos artistas mais bem pagos.

Os criadores de South Park, Matt Stone e Trey Parker, fecharam um acordo de US$ 900 milhões com a Viacom. A empresa quis garantir a presença do desenho animado, lançado há 25 anos, em seu serviço de streaming.

A mulher que mais lucrou no entretenimento no ano passado, Reese Witherspoon, chegou ao 12º lugar na lista com a venda de uma parte de sua produtora, a Hello Sunshine, para a empresa de private equity Blackstone em agosto. A empresa foi avaliada em US$ 900 milhões.

Jay-Z, Dwayne “The Rock” Johnson e Kanye West conquistaram seus lugares no top cinco do ranking da Forbes com faturamentos de nove dígitos. Mas a maior parte da fortuna desses artistas, por incrível que pareça, não vem do rap, da produção ou de papéis no cinema, mas da venda de champanhe, tequila e tênis de marca.

Com ganhos de US$ 52 milhões, a novata Taylor Swift assegurou a posição nº 25 da lista. A maior parte de seu dinheiro veio da regravação de álbuns que ela lançou há uma década.

Ao todo, os 25 artistas mais bem pagos ganharam US$ 4,4 bilhões (o valor desconsidera impostos e comissões). O montante equivale ao dobro da lista da Forbes de 2020 e, mais chocante, a grande maioria fez isso sem criar nada de novo.

“Há tantas opções hoje em dia. As pessoas gravitam em torno do que já conhecem”, diz Tom Freston, ex-executivo da Viacom, que comprou o programa de TV South Park.

Confira a lista:

 

1. Peter Jackson • US$ 580 milhões

Getty Images

O diretor de O Senhor dos Anéis vendeu parte da Weta Digital, sua empresa de efeitos visuais, para a Unity Software por US$ 1,6 bilhão em novembro. Ele se tornando a terceira pessoa na história a se tornar um bilionário fazendo filmes (depois de Steven Spielberg e George Lucas).

 

2. Bruce Springsteen • US$ 435 milhões

Getty Images

A venda de todo o seu acervo para a Sony Music, sua gravadora de longa data, foi estimada em quase US$ 500 milhões. O pacote inclui cinco décadas de músicas icônicas, gravações e créditos de composição de 20 álbuns de estúdio, várias edições especiais de conteúdo e gravações ao vivo.

 

3. Jay-Z • US$ 340 milhões

Getty Images

O primeiro bilionário do hip-hop mostrou suas habilidades nos negócios em 2021, quando vendeu suas participações no serviço de streaming de música Tidal e na marca de champanhe Armand de Brignac.

 

4. Dwayne “The Rock” Johnson • US$ 270 milhões

Getty Images

Apenas um quarto dos ganhos de The Rock, um dos poucos atores a entrar no ranking este ano, vieram de suas atuações em filmes como Jungle Cruise (Disney) e Red Notice (Netflix). A maior parte do faturamento veio de sua marca de tequila, chamada Teremana.

 

5. Kanye West • US$ 235 milhões

Getty Images

A maior parte do dinheiro do bilionário, produtor e rapper vem de um contrato para assinar o design de tênis para a Adidas. Sua primeira linha de Yeezys (batizada com o apelido de Kanye) foi lançada no ano passado pela Gap, e se esgotou rapidamente.

 

6. Trey Parker e Matt Stone • US$ 210 milhões

Getty Images

Politicamente incorreto, engraçado e barato de produzir: o universo South Park, que inclui uma série de programas e conteúdos relacionados ao desenho original, gera um faturamento de mais de US$ 80 milhões por ano. Em agosto, seus criadores assinaram um contrato de seis anos com a Paramount+ no valor de US$ 900 milhões.

 

7. Paul Simon • US$ 200 milhões

Getty Images

O músico de folk rock vendeu em março os direitos autorais de centenas de composições, incluindo “Mrs. Robinson”, “59th Street Bridge Song (Feelin’ Groovy)” e “The Sound of Silence” para a Sony Music Publishing, por cerca de US$ 250 milhões.

 

8. Tyler Perry • US$ 165 milhões

Getty Images

O criador e ator bilionário, que atua em várias frentes, revitalizou a franquia cinematográfica Madea, responsável por torná-lo famoso. Hoje, a maior parte de seus ganhos vem do que ele construiu com os lucros que recebeu pelos filmes. Seu império inclui um contrato de produção de vários anos com a BET (plataforma digital de streaming de vídeos sob demanda) e um estúdio de produção de mais de 130 hectares, em Atlanta, que abriga seu escritório.

 

9. Ryan Tedder • US$ 160 milhões

Getty Images

Além das mais de 500 músicas que ele escreveu para sua própria banda, a One Republic, Tedder é autor de sucessos gravados por Beyoncé, Adele e Ed Sheeran. Ele vendeu uma parte de seu catálogo para a empresa de investimentos KKR em janeiro.

 

10. Bob Dylan • US$ 130 milhões

Getty Images

Aos 80 anos, o vencedor do prêmio Nobel vendeu os direitos autorais de músicas já lançadas – e ainda por lançar – para a Sony por US$ 150 milhões. Em 2020, o artista fechou um meganegócio de US$ 400 milhões quando vendeu seu catálogo musical para a Universal.

 

11. Red Hot Chili Peppers • US$ 116 milhões

Getty Images

O fundo de investimento musical londrino Hipgnosis abocanhou em maio o catálogo dos roqueiros da Califórnia, que inclui hits como “Californication”.

 

12. Reese Witherspoon • US$ 115 milhões

Getty Images

A estrela do seriado da HBO Big Little Lies vendeu a Hello Sunshine, sua produtora focada em filmes e séries com protagonistas mulheres, para a empresa de private equity Blackstone por US$ 900 milhões em agosto – ela manteve uma participação na empresa. A atriz também recebeu US$ 20 milhões por 10 episódios da segunda temporada da série The Morning Show.

 

13. Chuck Lorre • US$ 100 milhões

Getty Images

O produtor preferido da Warner Bros ainda recebe dezenas de milhões de dólares todos os anos pela distribuição de sucessos antigos, como as sitcoms Two and a Half Men e The Big Bang Theory, mas ele ainda não se aposentou. Lorre tem quatro sitcoms atualmente em exibição, além da série da Netflix O Método Kominsky.

 

14. Sean “Diddy” Combs • US$ 90 milhões

Getty Images

“Não estou de brincadeira, estou construindo ativos”, disse o jovem empresário à Forbes em 1999 – e ele não falou da boca para fora. O rapper e produtor musical é dono de marcas que começou a construir naquela época, incluindo a Bad Boy Records e a grife Sean Jean, mas a maior parte de seus ganhos hoje vem de sua marca de vodka Cîroc.

 

15. Dick Wolf • US$ 86 milhões

Getty Images

Mesmo depois de 32 anos, a franquia Law & Order de Wolf continua a fisgar viciados em crime com uma combinação de novos programas (Law & Order: Organized Crime) e mais antigos (Law & Order: Unidade de Vítimas Especiais). Os ganhos de seu criador, Dick Wolf, vêm principalmente de um acordo de distribuição com a Universal Television que inclui uma cláusula de participação nos lucros.

 

16. Howard Stern • US$ 85 milhões

Getty Images

O autoproclamado “rei de todas as mídias” fez a transição do rádio para a SiriusXM há 15 anos. Em 2020, ele renovou seu contrato por cinco anos e saiu com US$ 500 milhões.

 

17. Kevin Bright, Marta Kauffman, David Crane • US$ 82 milhões

Getty Images

Os criadores da maior série de comédia dos anos 1990, Friends, voltaram à cena com um episódio de reunião do elenco na HBO Max. O trio continua lucrando, principalmente graças a um acordo de distribuição com o serviço de streaming no valor de US$ 425 milhões.

 

18. Shonda Rhimes • US$ 81 milhões

Getty Images

A produtora da série Bridgerton apostou em si mesma quando assinou com a Netflix em 2017 e impressionou os executivos do serviço de streaming – a série foi um dos lançamentos de maior sucesso da pandemia. Ela voltou a trabalhar com a Netflix em julho e continua recebendo somas significativas da ABC pela série Grey’s Anatomy, que garantiu o lançamento da sua 19a temporada.

 

19. Neil Young • US$ 80 milhões

Getty Images

Em janeiro, um ano depois de vender seus direitos musicais ao fundo de investimento Hipgnosis, Young disse ao Spotify para escolher entre ele e Joe Rogan, que supostamente espalhou informações erradas sobre a Covid-19 em seu podcast. O serviço de streaming removeu as músicas do cantor folk.

 

20. Greg Berlanti • US$ 75 milhões

Getty Images

O showrunner é conhecido por seu bando de sucessos da CW, como Riverdale, mas a maior parte de sua renda vem de um contrato de produção de seis anos com a Netflix para programas como o thriller psicológico You.

 

21. Lindsey Buckingham • US$ 73 milhões

Getty Images

O renomado guitarrista da banda de rock Fleetwood Mac vendeu seu catálogo musical para a Hipgnosis de Londres em janeiro de 2021. Ele coletou proventos de uma vida inteira de sucessos, incluindo “Go Your Own Way”, “The Chain” e “Tusk”.

 

22. Mötley Crüe • US$ 72 milhões

Getty Images

A banda de heavy metal dos anos 80, conhecida tanto por seu hedonismo e cabelos malucos quanto talvez por sua música, vendeu os direitos de canções de seus nove álbuns de estúdio – como “Kickstart My Heart”, “Dr. Feelgood” e “Girls, Girls, Girls” – para a detentora de direitos musicais BMG.

 

23. Beach Boys • US$ 64 milhões

Getty Images

Os padrinhos do surf rock venderam o controle acionário de sua propriedade intelectual para o lendário executivo musical Irving Azoff em fevereiro de 2021.

 

24. Blake Shelton • US$ 55 milhões

Getty Images

A estrela country vendeu seu catálogo de músicas em 2021, mas grande parte dos ganhos veio da televisão – onde ele recebe US$ 13 milhões por seu trabalho de jurado no programa de auditório The Voice – e de uma turnê por 15 cidades, com a qual faturou US$ 14,5 milhões.

 

25. Taylor Swift • US$ 52 milhões

Getty Images

A compositora de 32 anos transformou sua raiva em lucro regravar e relançar canções vendidas sem seu consentimento pelo empresário Scooter Braun. Ela também registrou ganhos graças aos lucrativos acordos de patrocínio da Peloton e da Starbucks.

Metodologia

Os números representam os ganhos em 2021 antes dos impostos, subtraindo os honorários de empresários, advogados e agentes, além de custos operacionais. As fontes incluem dados da Nielsen BookScan, MRC Data, Pollstar, IMDBPro e Variety Insight, bem como entrevistas com agentes, advogados, empresários, executivos e especialistas do setor.

Compartilhe esta publicação: