Bolsa de Valores hoje: Ibovespa abre em alta na contramão dos mercados internacionais

As atenções dos investidores estão voltadas para o IBC-Br, considerado sinalizador do PIB, divulgado nesta manhã.

Isabella Velleda
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa opera em alta de 0,64% na abertura do pregão de hoje (11), a 114.090 pontos, às 10h30, horário de Brasília. O índice vai na contramão dos mercados internacionais, que continuam digerindo os dados de inflação mais altos do que o esperado nos Estados Unidos.

As atenções dos investidores estão voltadas para o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica), divulgado nesta manhã. O indicador registrou crescimento de 4,5% no ano passado, depois de apresentar contração de 4,05% em 2020. O dado reflete a recuperação da economia brasileira dos impactos da Covid-19, apesar da inflação alta e do aumento dos juros domésticos.

O IBC-Br é considerado sinalizador do PIB (Produto Interno Bruto). Os números oficiais do PIB de 2021 serão divulgados em 4 de março.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Ontem (10), o Departamento do Trabalho norte-americano mostrou que os preços ao consumidor subiram 7,5% em janeiro. Esse foi o maior avanço anual da inflação em 40 anos, e reforça as expectativas de um aumento de juros mais forte no país.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“O rendimento do tesouro de 10 anos americano saltou acima de 2% pela primeira vez desde 2019, enquanto o rendimento de 2 anos, que é mais sensível aos dados, subiu mais de 26 pontos-base, o que representou o maior movimento intradiário desde 2009”, afirma Welington Filho, especialista em renda variável da Blue3.

O dólar opera em baixa de 0,95%, negociado a R$ 5,1917 na venda, a caminho de engatar sua quinta semana consecutiva de quedas.

Na Ásia, as ações fecharam em baixa, refletindo as preocupações com altas mais agressivas dos juros nos Estados Unidos. O crescimento do crédito na China continental em janeiro, apesar de ter mais do que triplicado sobre o mês anterior e atingido uma máxima recorde, não contribuiu para melhorar o sentimento do investidor.

O Hang Seng, de Hong Kong, caiu 0,07%; o BSE Sensex, de Mumbai, fechou o dia em queda de 1,31%; e o Shangai, na China continental, recuou 0,66%. No Japão, as bolsas não funcionaram por causa de um feriado local.

Na Europa, os principais índices operam em queda, também em reação aos dados de inflação dos Estados Unidos. Enquanto isso, os balanços financeiros continuam a influenciar os mercados locais.

A empresa britânica Tate & Lyle saltou mais de 8,5%, liderando os ganhos no Stoxx 600, após apresentar fortes resultados trimestrais. Já a empresa alemã Delivery Hero caiu mais 9,9%, após perder 30% ontem, ao divulgar previsões decepcionantes para 2022.

Por volta das 10h30, o Stoxx 600 perdia 0,64%; na Alemanha, o DAX recuava 0,31%; na França, o CAC 40 operava em queda de 1,09%; na Itália, o FTSE MIB cedia 1,06%; enquanto, no Reino Unido, o FTSE 100 caía 0,66%.

No cenário das commodities, os futuros do aço chinês fecharam perto da estabilidade após subirem mais de 2% ao longo da sessão, refletindo a esperança de que estímulos da política chinesa poderão elevar a demanda pela commodity. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: