Alemanha insta Opep a aumentar produção e alerta contra busca por lucro após sanções à Rússia

A Rússia é o maior fornecedor de gás para a Alemanha, que lançou várias iniciativas para diminuir a dependência energética em relação a Moscou.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/Dado Ruvic
REUTERS/Dado Ruvic

Os pesos-pesados da Opep, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos, resistiram aos apelos ocidentais para usar sua capacidade ociosa de produção de petróleo para controlar preços pós-invasão da Ucrânia

Acessibilidade


O ministro da Economia da Alemanha, Robert Habeck, ecoou hoje (21) apelos ocidentais para que a Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) aumente a produção de petróleo e disse que os Estados do Golfo não devem lucrar com as sanções globais contra a Rússia por sua invasão da Ucrânia.

Os pesos-pesados da Opep, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos, resistiram aos apelos ocidentais, inclusive dos Estados Unidos, para usar sua capacidade ociosa de produção de petróleo para controlar os preços que subiram quando a invasão provocou temores de interrupções no fornecimento.

“Não estou pedindo que se juntem às sanções… mas para não lucrarem com as sanções europeias e americanas”, disse Habeck, que está em viagem ao Golfo para discutir suprimentos de energia de longo prazo, como hidrogênio e gás natural liquefeito.

A delegação alemã deverá manter conversas com o ministro de energia dos Emirados Árabes Unidos.

A Rússia é o maior fornecedor de gás para a Alemanha e Habeck lançou várias iniciativas para diminuir a dependência energética de seu país em relação a Moscou.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Leia mais: Brasil não consegue aumentar produção de petróleo imediatamente para compensar embargo à Rússia, diz ANP

Compartilhe esta publicação: