Preços do petróleo sobem mais de 7%; UE pondera sobre proibição de petróleo russo

Os governos da União Europeia considerarão a possibilidade de impor um embargo de petróleo à Rússia pela invasão da Ucrânia.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Angus Mordant/Reuters
Angus Mordant/Reuters

Bomba de petróleo na Bacia Permian, em Loving County (Texas)

Acessibilidade


Os preços do petróleo fecharam em alta de mais de 7% hoje (21), com o Brent subindo acima de US$ 115, cerca de R$571, o barril, uma vez que os países da União Europeia discordaram sobre a possibilidade de se juntar aos Estados Unidos em um embargo de petróleo russo.

Um ataque a instalações petrolíferas sauditas no fim de semana também aumentou o nervosismo do mercado.

Os futuros do petróleo Brent fecharam a US$ 115,62 dólares (R$ 574,16) por barril, alta de US$ 7,69 (R$ 38,18) ou 7,12%, enquanto os futuros do petróleo dos EUA (WTI) encerraram a US$ 112,12 (R$ 556,78) por barril, avanço de US$ 7,42 (R$ 36,84), ou 7,09%.

Tal embargo “poderia ser o precipício para problemas globais de oferta”, disse John Kilduff, sócio da Again Capital LLC.

Dada a incerteza sobre a possível proibição da UE às importações de petróleo russo, os futuros de gasolina dos EUA saltaram 5%.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Os governos da União Europeia considerarão a possibilidade de impor um embargo de petróleo à Rússia pela invasão da Ucrânia, enquanto se reúnem esta semana com o presidente dos EUA, Joe Biden, para uma série de cúpulas destinadas a endurecer a resposta do Ocidente para Moscou.

VEJA TAMBÉM: Quais são as sanções contra a Rússia e seus impactos econômicos?

No fim de semana, ataques do movimento Houthi do Iêmen, alinhado ao Irã, causaram uma queda temporária na produção de uma refinaria Saudi Aramco em Yanbu, alimentando a preocupação em um mercado de petróleo agitado, do qual a Rússia é um importante fornecedor e os estoques globais estão em mínimas de vários anos.

Compartilhe esta publicação: