Bolsa cai a 102 mil pontos em dia de quedas globais

Bitcoin recua mais de 13% e chega a US$ 23,3 mil

Vitória Fernandes
Compartilhe esta publicação:

Forbes

Acessibilidade


O clima negativo entre os principais índices internacionais levou o Ibovespa a fechar em queda 2,73% hoje (13), a 102.598 pontos. As negociações foram marcadas pela aversão a risco dos investidores em todo o mundo, que temem altas mais agressivas das taxas de juros pelos bancos centrais.

Brasil e Estados Unidos terão suas próximas reuniões de política monetária na próxima quarta-feira (15). Os holofotes estão voltados principalmente para as definições do Federal Reserve (banco central norte-americano), com o mercado esperando nova alta de 0,5 ponto percentual.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Por lá, os principais índices de Wall Street fecharam em queda acentuada. O Dow Jones perdeu 2,79% a 30.516 pontos; o S&P 500 recuou 3,88%, a 3.749 pontos; e o Nasdaq caiu 4,68% a 10.809 pontos

Para os que buscam refúgio das incertezas vividas no mercado de ações também não foi um bom dia. As criptomoedas sentiram um forte impacto depois que uma das maiores plataformas de empréstimos, a Celsius, suspender os saques de seus clientes.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A decisão, que reforçou a tendência de baixa vista desde a divulgação dos dados de inflação dos EUA na última sexta-feira (10), fez com que o bitcoin recuasse mais de 13% durante o dia, atingindo a mínima dos últimos em dez meses. Além disso, o valor de mercado das criptomoedas caiu abaixo de US$ 1 trilhão pela primeira vez desde o início de 2021.

O dólar também sentiu a tensão econômica e registrou alta de 2,56%, ultrapassando os R$ 5,10 durante as negociações do dia e fechando cotado a R$ 5,1146.

No cenário corporativo, poucas ações fecharam no campo positivo. A maior alta do dia ficou para os papéis da Cielo (CIEL3), que subiram 1,32%. A Suzano (SUZB3) também se valorizou e teve avanço de 0,70%.

Do lado vermelho do índice, as ações de aviação e turismo foram as que mais sofreram. Os ativos da Gol (GOLL4), CVC (CVCB3) e Azul (AZUL4) recuaram 14,46%, 11,72% e 10,92%.

“A movimentação negativa mostra-se mais acentuada em empresas muito alavancadas e que têm seus custos operacionais e de dívidas atreladas ao dólar, que já se valorizou mais de 10% nas duas últimas semanas, impactando principalmente o setor aéreo”, avalia Idean Alves, sócio e chefe da mesa de operações da Ação Brasil Investimentos.

Empresas de tecnologia como Locaweb (LWSA3) e Méliuz (CASH3) perderam 9,67% e 11,11% durante o pregão, ficando entre as maiores quedas do dia. (Com Reuters)

Inscreva-se na seleção para a lista Under 30 2022

Compartilhe esta publicação: