Pagamento por aproximação cresce em pedágios

Ecovias e Ecopistas registram mais de 100 mil operações desde 30 de abril

Angelica Mari
Compartilhe esta publicação:
Divulgação
Divulgação

Nas praças de pedágios da Ecopistas, que atende o Corredor Ayrton Senna-Carvalho Pinto, foram mais de 58 mil transações sem contato

Acessibilidade


As praças de pedágio da Ecovias e Ecopistas, concessionárias reguladas pela ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), contabilizaram mais de 100 mil pagamentos feitos por aproximação desde a implementação do projeto piloto deste sistema em 30 de abril.

O teste está sendo feito como forma de diminuir o contato entre o operador da cabine de pedágio e o motorista, evitar a manipulação de dinheiro e ampliar a proteção contra o novo coronavírus. Cartões de crédito e débito, bem como acessórios como pulseiras e celulares que possuam a tecnologia Near Field Communication (NFC), podem ser usados para pagar tarifas de até R$ 50.

Siga todas as novidades da Forbes Insider no Telegram

Nas praças de pedágios da Ecopistas, que atende o Corredor Ayrton Senna-Carvalho Pinto, foram mais de 58 mil transações por este meio. No segundo mês de utilização, foi registrado um aumento de 89% no número de transações na comparação com o primeiro mês e, apenas nos 13 primeiros dias de julho, já houve um aumento de 71% na comparação com o mesmo período do mês anterior.

Mais de 42 mil transações nesta modalidade foram registradas nas praças de pedágio da Ecovias, responsável pelo Sistema Anchieta-Imigrantes, onde no segundo mês foi registrado um aumento de 92% no número de transações e, nos 13 primeiros dias julho, houve um aumento de 51% na comparação com o mesmo período do mês anterior.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Angelica Mari é jornalista especializada em inovação há 18 anos, com uma década de experiência em redações no Reino Unido e Estados Unidos. Colabora em inglês e português para publicações incluindo a FORBES (Estados Unidos e Brasil), BBC e outros.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: