Joe Rogan pede desculpas por usar termos racistas

Podcaster também virou polêmica por veicular desinformação sobre o coronavírus.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/The Joe Rogan Experience
Reprodução/The Joe Rogan Experience

O podcaster Joe Rogan já utilizou termos racistas em diversas ocasiões

Acessibilidade


Joe Rogan, popular podcaster dos EUA, pediu desculpas pela segunda vez em uma semana, desta vez pelo uso de termos racistas, após uma montagem em vídeo mostrá-lo usando várias vezes a palavra que começa com “N”.

Em um pedido de desculpas em vídeo publicado no Instagram neste sábado, Rogan disse que era a coisa mais “lamentável e vergonhosa sobre a qual precisei falar em público”. Durante o vídeo, Rogan disse que imagens dele usando o epíteto foram tiradas de contexto, mas pareciam “horríveis, mesmo para mim”.

LEIA TAMBÉM: Neil Young X Spotify: outros boicotes que mudaram políticas das big techs

O pedido de desculpas de Rogan acontece depois de a cantora e compositora vencedora do Grammy, India Arie, retirar sua música do Spotify, que veicula o podcast de Rogan, após publicar clipes em seu Instagram mostrando Rogan usando a ofensa.

Reportagens da imprensa no sábado disseram que mais de 70 episódios do podcast “The Joe Rogan Experience” foram removidos do serviço do Spotify.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O Spotify não respondeu a um pedido por comentário.

Na segunda-feira (31), Rogan havia pedido desculpas após críticas contra desinformação sobre Covid-19 em seu programa, e o Spotify disse que acrescentaria um aviso de conteúdo em qualquer episódio com discussões sobre o vírus.

Rogan, proeminente cético em relação à vacina, gerou controvérsia com suas visões sobre a pandemia, as vacinas e as ordens do governo para controlar a disseminação do vírus.

Os cantores Neil Young e Joni Mitchell anunciaram semana passada a retirada suas músicas do Spotify em protesto contra a veiculação de desinformação sobre o coronavírus na plataforma.

Compartilhe esta publicação: